Primavera

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Primavera (desambiguação).
Estações do ano
Temperadas
Primavera
Verão
Outono
Inverno
Tropicais
Estação seca
Estação das chuvas

A primavera (AO 1945: Primavera) é a estação do ano que se segue ao inverno e precede o verão e é tipicamente associada ao reflorescimento da flora terrestre.

Do ponto de vista da astronomia, a primavera do Hemisfério Sul inicia-se no equinócio de setembro e termina no solstício de dezembro, e a do Hemisfério Norte inicia-se no equinócio de março e termina no solstício de junho. A estação, assim como as demais, não ocorre simultaneamente nos dois hemisférios: enquanto num deles é primavera, no outro é outono.[1]

A primavera do hemisfério norte é chamada de "primavera boreal" e a do hemisfério sul é chamada de "primavera austral".

A palavra deriva do latim, primo vere, que significa "primeiro verão".[1]

Características gerais[editar | editar código-fonte]

As flores são uma das características da primavera
  • reflorescimento da flora terrestre;
  • temperaturas mais amenas;
  • aumento da umidade do ar;
  • é característica de regiões de clima temperado ou subtropical, com as quatro estações bem definidas;
  • no primeiro dia da primavera, por ser uma data equinocial, o dia e a noite têm a mesma duração na linha do equador;
  • durante a estação, os dias vão se tornando mais longos e as noites, mais curtas.


A primavera no Hemisfério Norte[editar | editar código-fonte]

No Japão, no Cherry Blossom Festival em abril de 2011
Primavera na cidade de Ubezhenskaya, Rússia, em junho de 2017

A "primavera boreal" tem início em 20 de março e termina em 21 de junho, podendo estas datas variar um pouco a cada ano.[2]

A estação é característica na maioria dos países deste hemisfério, aqueles mais distantes da Linha do Equador e com as quatro estações bem definidas, tanto nos localizados mais ao norte, como a Rússia, quanto os localizados mais ao sul, como o Japão, onde no início da primavera ocorrem os tradicionais festivais populares para observar a floração das cerejeiras (sakura em japonês).

Nesta região, por ser maior a parte continental, as temperaturas costumam aumentar mais rapidamente do que na primavera do Hemisfério Sul.

A primavera no Hemisfério Sul[editar | editar código-fonte]

A "primavera austral" tem início, aproximadamente, em 23 de setembro e fim em 21 de dezembro, mas estas datas podem variar um pouco de ano para ano.[2]

Na primavera do hemisfério sul, os oceanos meridionais ainda estão frios e vão aos poucos aquecendo, fazendo com que a estação seja de temperaturas amenas.

A estação é característica apenas em regiões que estão mais afastadas da Linha do Equador.

A primavera no Brasil[editar | editar código-fonte]

No Brasil, em grande parte do território, com exceção do Sul, as quatro estações não são bem definidas, sendo apenas nomeadas como "inverno seco" e "verão úmido".[1]

De forma geral, no entanto, com a chegada dessa estação, as chuvas começam a intensificar-se na maior parte do país, tornando então as temperaturas mais amenas e aumentando a umidade do ar, que, no inverno (estação anterior à primavera), são bastante reduzidas (com exceção do Sul, onde as chuvas se intensificam no inverno).[1]

Segundo o CPTEC (Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos), durante o período da primavera, de setembro a dezembro:[1]

Nordeste: a estação seca continua, com exceção dos estados da Bahia, do Maranhão e do Piauí. As temperaturas continuam altas, o que é característico na região o ano inteiro;

Norte: as chuvas aumentam gradativamente, especialmente entre outubro e novembro. As temperaturas não mudam muito e costumam ser altas o ano inteiro;

Centro-Oeste e Sudeste: as chuvas ficam mais intensas e mais frequentes e muitas vezes são acompanhadas de ventos fortes e granizo.

Flores no Parque Farroupilha, em Porto Alegre, RS, no dia 21 de setembro de 2014
Flores, primavera.

A primavera no Sul do Brasil: a mais típica[editar | editar código-fonte]

A região Sul do Brasil, onde o clima é subtropical e as quatro estações são bem definidas, a primavera tem as características tradicionais, como o aumento gradual da temperatura e o reflorescimento da flora. Quanto às chuvas, elas continuam frequentes e em boa quantidade, assim como acontecia no inverno. Mais: nos dois estados mais ao sul, o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, grandes enchentes não são raras nesta época.[3]

"Aumenta a ocorrência de raios e de “complexos convectivos”, sistemas que provocam grande quantidade de chuva em períodos relativamente curtos", escreveu o CPTEC.[4]

Segundo o site Climatempo, os fenômenos meteorológicos que normalmente influenciam a Região Sul durante a primavera são:[5]

Ventos de moderados a fortes também não são incomuns, causados pelos fenômenos típicos citados acima: as áreas de baixa pressão, os sistemas e complexos convectivos (causam rajadas de vento) e o os ciclones extratropicais (que, apesar de não tocarem solo, "mandam" seus ventos do alto-mar para a terra às vezes por dois ou três dias seguidos).

Nos fenômenos de "baixa pressão atmosférica", por exemplo, "simultaneamente, existe ar superior que se desloca para substituir o ar quente em elevação, o que dá origem a ventos".[6]

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Durante esta estação, os animais que hibernaram no inverno, costumam deixar suas tocas, muitas vezes com filhotes.
  • Especies como borboletas e abelhas costumam ficar mais ativas e, com a polinização, interferindo significativamente no ciclo reprodutivo dos vegetais.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
Wikiquote Citações no Wikiquote
Commons Imagens e media no Commons

Referências


Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Meteorologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.