Primeira Guerra Civil de Samoa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Primeira Guerra Civil de Samoa
Data 1886–1894
Local Apia, Upolu, Samoa, Oceano Pacífico
Desfecho Malietoa Laupepa restaurado ao poder
Combatentes
Samoa Mata'afanos

Apoiados por:
Estados Unidos Estados Unidos

Samoa Tamasese
 Império Alemão
Principais líderes
Samoa Mata'afa Iosefo
US Naval Jack 38 stars.svg Lewis Kimberly
Samoa Tupua Tamasese Titimaea (até 1891)
Samoa Tupua Tamasese Lealofi I (a partir de 1891)


Primeira Guerra Civil de Samoa refere-se ao conflito entre facções rivais samoanas nas Ilhas de Samoa no Pacífico Sul. A guerra foi travada aproximadamente entre 1886 e 1894, principalmente entre os samoanos lutando sobre se Malietoa Laupepa ou Mata'afa Iosefo deveriam ser Rei de Samoa. No entanto, os militares alemães intervieram em várias ocasiões. Houve também um impasse naval entre os Estados Unidos, a Alemanha e o Reino Unido. Depois que um ciclone em Apia em 1889, que destruiu seis dos navios alemães e estadunidenses estacionados em Samoa, os três países decidiram que Malietoa seria o Rei.[1]

Contexto[editar | editar código-fonte]

A Alemanha lutava em Samoa em defesa de Tamasese, a sua escolha para Tafa'ifa, o Rei de Samoa, depois que o rei reinante Malietoa Laupepa foi usurpado e exilado. Tamasese e seus aliados alemães enfrentavam uma facção rival, chefiada pelo popular chefe samoano Mata'afa Iosefo. A Alemanha visava expandir seu novo império e seus interesses comerciais. Os Estados Unidos, também procurando proteger os seus interesses comerciais em Samoa, enviaram três navios de guerra — o USS Vandalia, o USS Trenton e o USS Nipsic — para monitorar a ilha. A Grã-Bretanha também enviou um navio para proteger seus interesses, o HMS Calliope.

Guerra[editar | editar código-fonte]

As tensões aumentaram com os Estados Unidos, depois que um bombardeio alemão as aldeias rebeldes de Mata'afa também provocaram a destruição de bens pertencentes aos estadunidenses em 1887. Uma batalha em Vailele, em setembro de 1888, após bombardeio alemão de suas aldeias rebeldes, resultou nos guerreiros de Mata'afa destruindo um contingente alemão invasor e saqueando suas plantações. [2] Durante a guerra, os navios alemães, estadunidenses e britânicos ficaram em um impasse naval conhecido como a Crise de Samoa. As três potências ocidentais concordaram finalmente que Malietoa Laupepa seria restaurado como Rei de Samoa em 1889 depois que um ciclone destruiu dois navios de guerra estadunidenses e alemães no porto de Apia, interrompendo as hostilidades entre as potências. [3] No entanto, o conflito em Samoa continuou até 1894, quando Malietoa se tornou rei novamente.

Consequências[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Segunda Guerra Civil de Samoa

Nove anos depois, com a morte de Malietoa, as hostilidades começaram novamente em 1898 na Segunda Guerra Civil de Samoa. No entanto, esse conflito seria rapidamente interrompido pela divisão do arquipélago na Convenção Tripartite de 1899.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Editor. «Samoan Showdown – Germany Risks War With America In The 1880s | Militaryhistorynow.com». 
  2. Kohn, George C (1986). Dictionary of wars, Third Edition Facts on File Inc, factsonfile.com [S.l.] pp. 479–480. ISBN 0-8160-6577-2. 
  3. Stevenson, Robert Louis (1892). A Footnote to History: Eight Years of Trouble in Samoa BiblioBazaar [S.l.] ISBN 1-4264-0754-8. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]