Primeira República da Checoslováquia

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Československá republika
República da Tchecoslováquia
Flag of Austria-Hungary (1869-1918).svg
 
Flag of Austria.svg
 
Flag of the German Empire.svg
1918 – 1938 Flag of the Czech Republic.svg
 
Flag of the German Reich (1935–1945).svg
 
Flag of Hungary (1915-1918, 1919-1946).svg
 
Flag of Poland.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Lema nacional
Pravda vítězí («A verdade prevalece»)
Hino nacional
Kde domov můj, Nad Tatrou sa blýska

e Podkarpatskiji Rusíny


Localização de Checoslováquia
Checoslováquia
Continente Europa
Capital Praga
50° 05' N 14° 28' E
Língua oficial Checo e Eslovaco
Governo República parlamentarista
Presidente
 • 1918-1935 Tomáš Masaryk
 • 1935-1938 Edvard Beneš
Primeiro Ministro
 • 1918-1919 (primeiro) Karel Kramář
 • 1935-1938 (último) Milan Hodža
História
 • 28 de outubro de 1918 Independência do Império Austro-Húngaro
 • 29 de setembro de 1938 Acordo de Munique
 • 31 de dezembro de 1938 Dissolução

Primeira República da Checoslováquia (em checo / em eslovaco: Československá republika) refere-se ao primeiro Estado checoslovaco que existiu entre 1918-1938. O Estado era comumente chamado de Checoslováquia (Československo) e foi composto pela Boêmia, Morávia, Silésia, Eslováquia e Transcarpátia.

Depois de 1933, a Checoslováquia permaneceu como a única democracia em funcionamento na Europa Central e Oriental, outros países cairiam sob regimes autoritários ou autocráticos. Sob uma enorme pressão de sua minoria alemã dos Sudetos, apoiada pela vizinha Alemanha nazista, a Checoslováquia seria forçada a ceder sua região dos Sudetos para a Alemanha em 1 de outubro de 1938 como parte do Acordo de Munique. Também cederia partes do sul da Eslováquia e Transcarpátia para a Hungria e a região de Zaolzie na Silésia para a Polônia. Isto, na prática, terminaria com a Primeira República da Checoslováquia, que seria substituída pela Segunda República da Checoslováquia, que duraria menos da metade de um ano antes da Alemanha ocupar o restante da Checoslováquia.

História[editar | editar código-fonte]

A independência da Checoslováquia foi proclamada em 28 de outubro de 1918 pelo Conselho Nacional da Checoslováquia em Praga. Vários grupos e territórios com diferentes tradições históricas, políticas, econômicas e étnicas tiveram que ser mesclados dentro de uma nova estrutura estatal. A origem da Primeira República encontra-se no Ponto 10 dos Quatorze Pontos de Woodrow Wilson: "Reconhecimento do direito ao desenvolvimento autônomo dos povos da Áustria-Hungria, cujo lugar entre as nações queremos ver assegurado e salvaguardado".

As fronteiras completas do país e a organização de seu governo foram finalmente estabelecidas na Constituição da Checoslováquia de 1920. Tomáš Garrigue Masaryk tinha sido reconhecido pelos Aliados da Primeira Guerra Mundial como o líder do Governo Provisório da Checoslováquia, e em 1920, foi eleito primeiro presidente do país. Foi reeleito em 1925 e 1929, servindo como presidente até 14 de dezembro de 1935, quando renunciou devido a problemas de saúde e foi sucedido por Edvard Beneš.

Na sequência do Anschluss da Alemanha nazista e Áustria em março de 1938, o próximo alvo para anexação do líder nazista Adolf Hitler seria a Checoslováquia. Seu pretexto eram as privações sofridas pelas populações de etnia alemã que viviam em regiões fronteiriças do norte e oeste da Checoslováquia, conhecidas coletivamente como Sudetos. Sua incorporação na Alemanha nazista iria deixar o restante da Checoslováquia impotente para resistir à subsequente ocupação. [1]

Referências

  1. Spencer Tucker, Priscilla Mary Roberts (2005). World War II: A Political, Social, and Military History. [S.l.]: ABC-CLIO. ISBN 1-57607-999-6 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]