Primeiro Alcibíades

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Primeiro Alcibíades ou Alcibiades I (grego: Ἀλκιβιάδης αʹ) é um diálogo entre Alcibíades e Sócrates. É atribuída a Platão, embora os estudiosos estão divididos sobre a questão de sua autenticidade.

Autenticidade[editar | editar código-fonte]

Na antiguidade Alcibiades I foi considerado como o melhor texto para introduzir alguém a filosofia platônica, que pode ser por isso que continuou a ser incluídas no Corpus platônico desde então. A autenticidade do diálogo nunca foi posta em dúvida na antiguidade. Até 1836, quando o estudioso alemão Friedrich Schleiermacher argumentou contra a atribuição de Platão.[1] Posteriormente, sua popularidade diminuiu. No entanto, a pesquisa estilométrica suporta a autoria [2] e alguns estudiosos têm defendido recentemente sua autenticidade.[3] O argumento mais claro quanto a autoria da obra é que Platão nunca escreveu algo cuja interpretação fosse tão simples como Alcibíades.[4]


Datação[editar | editar código-fonte]

Tradicionalmente, o Alcibíades tem sido considerado um diálogo inicial. A análise de estilométrica de Gerard Ledger apoiou esta tradição, que data o trabalho para o 390 a.C.[5]

Uma datação mais recente também foi defendida. Nicholas Denyer sugere que foi escrito em 350 a.C, quando Platão, de volta a Atenas, pode refletir sobre as semelhanças entre Dionísio II (como o conhecemos a partir da Sétima carta) e Alcibiades — dois jovens interessados ​​em filosofia, mas comprometidos por sua ambição e má educação.[6] Esta hipótese requer o ceticismo sobre o que é geralmente considerado como o única razoavelmente certo resultado de estilometria platônico, a tendência marcante de Platão em evitar hiatos nos seis diálogos que se acredita ter sido composto no período a que Denyer atribui Alcibiades (Timeu, Crítias, Sofista, Definições, Filebo eLeis).[7]

A solução de compromisso com as questões da dificuldade em se datar atendendo as características lingüísticas em Alcibiades também viu a hipótese de que os primeiros dois terços do diálogo foi escrito por algum outro membro da Academia Platônica, cujos esforços foram completados pelo próprio Platão em seu período médio-tardio.[8]

R.S. Bluck, embora impressionado com os argumentos anteriores contra a autenticidade do diálogo, sugere uma data após o fim da vida de Platão, aproximadamente, 343/2 a.C., com base especialmente em "um paralelismo marcante entre o Alcibiades e as primeiras obras de Aristóteles, bem como de algumas outras composições que provavelmente pertencem ao mesmo período como o último". [9]

Referências

  1. Denyer (2001): 15. (em inglês)
  2. Young (1998): 35-36.
  3. Denyer (2001): 14-26.
  4. Plato. Complete Works. [S.l.]: Hackett Publishing, 1997. p. 557. ISBN 978-1-60384-672-1
  5. Young (1998)
  6. Denyer (2001): 11-14. Cf. 20-24
  7. Denyer (2001): 23 n. 19
  8. Pamela M. Clark, "The Greater Alcibiades," Classical Quarterly N.S. 5 (1955), pp. 231-240 (em inglês)
  9. R.S. Bluck, "The Origin of the Greater Alcibiades," Classical Quarterly N.S. 3 (1953), pp. 46-52 (em inglês)
  • ¤ Não é da autoria de Platão segundo a maioria dos estudiosos
  • † Não é geralmente aceito pelos estudiosos
  • ‡ Somente trechos têm a autoria comprovada.