Império Paleobabilônico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Babilônia.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde janeiro de 2013). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Primeiro Império Babilônico
Império Paleobabilônico
Blank.png
1 792 a.C. – 1 595 a.C. Blank.png
Localização de Império Paleobabilônico
Mapa do Império Paleobabilônico
Continente Ásia
Região Mesopotâmia
País  Iraque
Capital Babilônia
32° 32' N 44° 25' E
Língua oficial acádio babilônico e sumério
Governo monarquia
rei Hamurabi
Período histórico Antiguidade
 • 1 792 a.C. Conquista dos Gútios
 • 1 800 a.C. Unificação da região entre a Assíria e a Caldeia
 • 1 595 a.C. Saque de Babilônia pelos Hititas

Babilônia (português brasileiro) ou Babilónia (português europeu) (em árabe: بابل, Babil; em acadiano: Bābili(m);[1] em logograma sumério: KÁ.DINGIR.RAKI;[1] em hebraico: בבל, Babel;[1] em grego: Βαβυλών, Babylōn) foi uma cidade-Estado acadiana (fundada em 1 867 a.C. por uma dinastia amorita) na antiga Mesopotâmia, cujas ruínas são encontradas na atual cidade de Al-Hillah, na província Babil, atual Iraque, cerca de 85 km ao sul de Bagdá. A Babilônia, juntamente com a Assíria, ao norte, foi uma das duas nações acadianas que evoluíram após o colapso do Império Acadiano, embora raramente tenham sido governadas por acádios nativos. Tudo o que resta da antiga e famosa cidade original da Babilônia é um monte, ou tell, de várias ruínas de edifícios de tijolos de barro e detritos na planície fértil da Mesopotâmia entre os rios Tigre e Eufrates. A própria cidade foi construída sobre o rio Eufrates e dividida em partes iguais ao longo de suas margens esquerda e direita, com taludes íngremes para conter as cheias sazonais do rio.

Recursos históricos disponíveis sugerem que a Babilônia foi primeiro uma pequena cidade que havia aparecido no fim do milênio III a.C. A cidade floresceu e alcançou a independência, com a ascensão da primeira dinastia Amorita da Babilônia, em 1 894 a.C. Afirmando ser a sucessora da antiga Eridu, Babilônia eclipsou Nipur como a "cidade santa" da Mesopotâmia, na época em que um rei amorita chamado Hamurabi criou o primeiro e curto Império Babilônico. Esse rapidamente dissolveu-se após a sua morte e a Babilônia passou longos períodos sob dominação assíria, cassita e elamita. A cidade novamente se tornou a sede do Segundo Império Babilônico de 612 a 539 a.C., que foi fundado por caldeus e cujo último rei foi um assírio. Os Jardins Suspensos da Babilônia foram uma das Sete Maravilhas do Mundo Antigo. Após sua queda, a Babilônia ficou sob dominação aquemênida, selêucida, parta, romana e sassânida. Foi dissolvida como uma província depois da conquista árabe-islâmica do século VII d.C.

História[editar | editar código-fonte]

O Império da Babilónia, que teve um papel significativo na história da Mesopotâmia, foi provavelmente fundado em 1 950 a.C. O povo babilônico era muito avançado para a sua época, demonstrando grandes conhecimentos em arquitetura, agricultura, astronomia e direito. Iniciou sua era de império sob o amorita Hamurabi, por volta de 1 730 a.C., e manteve-se assim por pouco mais de mil anos. Hamurabi foi o primeiro rei conhecido a codificar leis, utilizando no caso, a escrita cuneiforme, escrevendo suas leis em tábuas de barro cozido, o que preservou muitos destes textos até ao presente. Daí, descobriu-se que a cultura babilônica influenciou em muitos aspectos a cultura moderna, como a divisão do dia em 24 horas, da hora em 60 minutos e daí por diante.

De entre os seus soberanos, o mais famoso foi Hamurabi (1792 a 1 750 a.C.). O mais antigo e completo código de leis que a história registra foi de realização sua. Hamurabi também nomeou governadores, unificou a língua, a religião e fundiu todos os mitos populares em um único livro: a Epopéia de Marduk - que era lido em todas as festas de seu reino. Também cercou sua capital, fortificando-a. Ele criou o Código de Hamurabi, cujas leis, em resumo, seguem um mesmo princípio: Olho por Olho, Dente por Dente. Veja algumas leis:

  • 218 - Se um médico fizer uma larga incisão com uma faca de operações e matar o paciente, suas mãos deverão ser cortadas;
  • 219 - Se um médico fizer uma larga incisão no escravo de um homem livre, e matá-lo, ele deverá substituir o escravo por outro;
  • 221 - Se um médico fizer curar um osso quebrado melável do corpo humano, o paciente deverá pagar ao médico cinco shekels;
  • 229 - Se um construtor construir uma casa para outro, e não fizer a casa bem feita, e se a casa cair e matar seu dono, então o construtor será condenado à morte;
  • 230 - Se morrer o filho do dono da casa, o filho do construtor deverá ser condenado à morte;

A expansão do Império se iniciou por volta de 1 800 a.C., logo, o rei Hamurabi unificou toda a região que ia da Assíria (no norte), à Caldeia (no sul). A partir dessa unificação, surgiu o Primeiro Império Babilônico.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c The Cambridge Ancient History: Prologomena & Prehistory: Vol. 1, Part 1. Acessado em 15 de dezembro de 2010.]
Ícone de esboço Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.