Princípio de prazer

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Na psicanálise de Sigmund Freud, o princípio de prazer (em alemão: Lustprinzip)[1] é a busca instintiva de prazer e evitando dor de sofrimento, de forma a satisfazer as necessidades biológicas e psicológicas.[2] Specifically, the pleasure principle is the driving force guiding the id.[3] O princípio de prazer opõe-se ao princípio de realidade, o qual caracteriza-se pelo adiamento da gratificação. Faz parte do amadurecimento normal do indivíduo aprender a suportar a dor e adiar a gratificação. Ao fazer isso, o indivíduo passa a reger-se menos pelo princípio de prazer e mais pelo princípio de realidade.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Laplanche, Jean; Pontalis, Jean-Bertrand (1988) [1973]. «Pleasure Principle (pp. 322-5)». The Language of Psycho-analysis reprint, revised ed. London: Karnac Books. ISBN 978-0-946-43949-2. ISBN 0-94643949-4 
  2. Snyder, C. R.; Lopez, Shane J. (2007). Positive Psychology. [S.l.]: Sage Publications, Inc. 147 páginas. ISBN 0-7619-2633-X 
  3. Carlson, Neil R.; Heth, C. Donald (2007). Psychology - the science of behaviour. [S.l.]: Pearson Education Canada. 700 páginas. ISBN 978-0-205-64524-4 
Ícone de esboço Este artigo sobre psicologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.