Prisão de Landsberg

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Prisão de Landsberg

A prisão de Landsberg (em alemão: Justizvollzugsanstalt Landsberg ) é uma prisão da Alemanha.

A prisão tem uma área de mais de 6 hectares. Tem capacidade de manter 565 bem como outros 109 condenados em prisão aberta na prisão de Rothenfeld na comunidade de Andechs e outros 58 em duas construções em Landsberg am Lech.

História[editar | editar código-fonte]

A prisão foi construída em 1908 com cisão de partes da prisão de Ebrach como Staatliche Gefangenenanstalt Landsberg a. Lech, com projeto do arquiteto Hugo von Höfl.

Após a Primeira Guerra Mundial foi construída uma fortaleza. O primeiro prisioneiro foi Anton Graf von Arco auf Valley, que em fevereiro de 1919 matou o ministro presidente da Baviera Kurt Eisner. Em 1923/24 Adolf Hitler ficou preso durante 264 dias.

Presos conhecidos[editar | editar código-fonte]

Por participação no Hitlerputsch:

Época do Nacionalsocialismo[editar | editar código-fonte]

Na época nazista foram presos em Landsberg:

Prisão dos Criminosos de Guerra No. 1[editar | editar código-fonte]

O religioso da prisão Karl Morgenschweis ora para o condenado à morte Franz Strasser (1946)

Após o final da Segunda Guerra Mundial na Europa o Exército dos Estados Unidos organizou a partir de 1 de janeiro de 1947 na prisão de Landsberg a War Criminal Prison No. 1 (em alemão Kriegsverbrechergefängnis Landsberg am Lech).

Neste local foram executadas prisões e penas de morte de diversos processos contra criminosos de guerra alemães:

Em Landsberg foram executadas 259 condenados por enforcamento e 29 por fuzilamento. Apesar de após ser fundada a Alemanha Ocidental em maio de 1949 ter sido extinguida a pena de morte, em Landsberg continuaram a ser executados condenados. A última execução oficial ocorreu em 7 de junho de 1951.

Diversos prisioneiros proeminentes - por exemplo Alfried Krupp von Bohlen und Halbach e Wilhelm Speidel - foram libertados já em 1951.[1]

Sete condenados à morte foram executados em 7 de junho de 1951:

Alguns dos executados foram sepultados no "Spöttinger Friedhof" (cemitério da prisão), sendo outros sepultados por seus familiares em seus locais de origem. Em 2003 o cemitério da prisão foi desfeito pelo estado da Baviera e as placas de identificação dos túmulos foram removidas sob fortes protestos.[1]

Outras prisões decretadas pela justiça dos Estados Unidos incluem:

Justizvollzugsanstalt[editar | editar código-fonte]

Desde 1959 as instalações são operadas como Justizvollzugsanstalt. Desde então dentre alguns dos presos proeminentes ou conhecidos constam:

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Referências

}

  • Ralf Beste, Georg Bönisch u.a. (Janeiro). Welle der Wahrheiten. Der Spiegel. Hamburg: SPIEGEL-Verlag Rudolf Augstein GmbH & Co. KG. Consultado em 8 de janeiro de 2013  Verifique data em: |data= (ajuda)

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Prisão de Landsberg