Pritaneu

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Ruínas do Pritaneu de Éfeso
Ruínas do Pritaneu de Panticapeia, na Crimeia, atualmente na Rússia

O Pritaneu [1] (em grego clássico: Πρυτανεῖον; transl.: Prytaneion; "presidência") era a sede dos prítanes, ou seja, dos membros do governo das cidades-estado da Grécia Antiga. O termo é também usado para descrever qualquer das estruturas antigas onde oficiais se reuniam, normalmente no âmbito de funções relacionadas com o governo de uma cidade. O termo é ainda referido para designar o edifício onde os oficiais e vencedores dos Jogos Olímpicos se reuniam em Olímpia.

O Pritaneu situava-se normalmente no centro da idade, na ágora, e albergava o fogo sagrado e eterno de Héstia, a deusa do lar e da família e símbolo da vida da cidade. O fogo dos pritaneus das colónias era levado do pritaneu da cidade-mãe Era no Pritaneu que os magistrados se reuniam e recebiam as homenagens dos seus conterrâneos e os embaixadores estrangeiros. O local também era palco de sacrifícios de oferendas aos deuses da cidade.

Atenas

Em Atenas, o Pritaneu funcionava no Tolo (tholos; "círculo" em grego), um templo circular com 18 metros de diâmetro situado no lado sudoeste da ágora que fazia parte do complexo do Buletério (onde funcionava a Bulé, o conselho de cidadãos).[2] O Tolo funcionava como uma espécie de estrutura polivalente, que servia como refeitório e alojamento para alguns oficiais.[3] Esta função tornou-se necessária após as reformas de Clístenes, que obrigavam a que um terço do senado a estar permanentemente presente no complexo, qualquer que fosse a hora do dia ou da noite. O edifício foi construído cerca de 470 a.C. por Címon como refeitório dos membros da Bulé.[4]

Olímpia

Em Olímpia o Pritaneu era onde os sacerdotes e magistrados viviam;[5] os altos sacerdotes viviam no Teocoleão.[6] Situa-se a noroeste do templo de Hera e era usado para celebrações e festas pelos vencedores dos Jogos Olímpicos. Era também o lugar onde se encontrava o altar de Héstia, onde ardia a chama olímpica original.[7]

Notas e referências[editar | editar código-fonte]

  1. "pritaneu". Dicionário Michaelis. michaelis.uol.com.br. Consult. 16 de janeiro de 2014. 
  2. Camp, John McK. (1992) (em inglês), The Athenian Agora: Excavations in the Heart of Classical Athens, Nova Iorque: Thames and Hudson, ISBN 9780500276839 
  3. [ligação inativa]"Tholos, Athens". traumwerk.stanford.edu (em inglês). Universidade de Stanford. Metamedia. Archaeopaedia. Arquivado desde o original |url= incorrecta (Ajuda) em 7 de fevereiro de 2012.  |datali= e |arquivodata= redundantes (Ajuda)
  4. [ligação inativa]"Athens - Prytaneion". Bouleuterion: Birthplace of Democracy. (em inglês). Fundação do Mundo Helénico. Arquivado desde o original em 21 de julho de 2011.  |datali= e |arquivodata= redundantes (Ajuda)
  5. "Olympia, Prytaneion (Building)". Projeto Perseus. www.perseus.tufts.edu (em inglês). Universidade Tufts. 
  6. "Festivals and Games". Olympia: Pathways to Ancient Myth (em inglês). Calvin College. www.calvin.edu. Consult. 17 de janeiro de 2014. 
  7. "The Altis". Olympia: Pathways to Ancient Myth (em inglês). Calvin College. www.calvin.edu. Consult. 17 de janeiro de 2014. 

Bibliografia complementar[editar | editar código-fonte]

  • Rachet, Guy (1993) (em francês), Dictionnaire de la civilisation grecque, Références Larousse, Larousse, ISBN 2037202318 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pritaneu