Privataria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

Privataria é um neologismo em língua portuguesa criado pelo jornalista ítalo-brasileiro Elio Gaspari. O termo mescla as palavras privatização e pirataria,[1] que foi utilizado inicialmente para descrever o processo de privatizações de empresas estatais iniciado pelo governo do presidente brasileiro Fernando Henrique Cardoso (19952002) por Elio Gaspari. Apesar de não constar em nenhum dicionário, o termo é usual entre setores da esquerda e alguns jornalistas.[2] que foi criada no Congresso Nacional. Um termo semelhante foi criado pelo economista estadunidense Joseph E. Stiglitz, premiado com o Prémio de Ciências Económicas em Memória de Alfred Nobel em 2001; briberization[3], que traduzido significaria algo como "propinização".

O termo é usado de modo informal ao se referir a processos de privatizações realizados por valores discutíveis juntamente com indícios de operações ilegais como: o envolvimento de propinas, desvio de dinheiro público e a utilização de off-shores num processo conhecido como "lavagem" de recursos financeiros em paraísos fiscais.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ambas as palavras são usadas inclusive no estrangeiro para definir este termo quando usadas juntas, vide: Financial Crisis: Toxic Plans for Toxic Assets
  2. Enfim, chegou a CPI da Privataria Elio Gaspari. São Paulo: Folha de S. Paulo. 18/01/2006.
  3. STIGLITZ, Joseph E. Making Globalization Work. New York, London: W. W. Norton, 2006. p.142.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wiki letter w.svg Este artigo é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o. Editor: considere marcar com um esboço mais específico.