Problema do fazendeiro, o lobo, o carneiro e a alface

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa

O problema do fazendeiro, o lobo, o carneiro e a alface (também conhecido com outros nomes variantes como o problema do lobo, da galinha e o saco de milho, o problema da raposa, o ganso, e o saco de feijão, o problema do lobo, a cabra, e o repolho, etc...) é um clássico quebra-cabeça de travessia de rio. Ele remonta pelo menos ao século IX [1], e entrou para o folclore de uma série de grupos étnicos[2].

A história[editar | editar código-fonte]

Era uma vez um fazendeiro que foi ao mercado e comprou um lobo, um carneiro, e uma alface. No caminho para casa, o fazendeiro chegou à margem de um rio e arrendou um barco. Mas, na travessia do rio por barco, o agricultor poderia levar apenas a si mesmo e uma única de suas compras - o lobo, o carneiro, ou a alface.

Se fossem deixados sozinhos em uma mesma margem, o lobo comeria o carneiro, e o carneiro comeria a alface.

O desafio do fazendeiro é atravessar a si mesmo e as suas compras para a margem oposta do rio, deixando cada compra intacta[3]. Como ele fará isso?

Ocorrência e variações[editar | editar código-fonte]

Este quebra-cabeças é um de uma série de quebra-cabeças de travessia de rio, onde o objetivo é mover um conjunto de itens, de uma margem à outra do rio sujeito à uma série de restrições.

Na mais antiga ocorrência conhecida do problema, no manuscrito medieval Propositiones ad Acuendos Juvenes, de Alcuíno de Iorque, os três elementos são um lobo, uma cabra e um repolho. Outras variações cosméticas do quebra-cabeça também existem, como o lobo, uma ovelha e um repolho[4];[2], p. 26; a raposa, uma galinha e grãos; [5], a raposa, um ganso e milho[6] e a pantera, um porco, e mingau[7]. A lógica do jogo, no qual há três elementos,A, B e C, em que nenhum dos A e B nem B e C podem ser deixados juntos, permanece a mesma.

O quebra-cabeças foi encontrado no folclore de afro-americanos, Camarões, as Ilhas de Cabo Verde, Dinamarca, Etiópia, Gana, Itália, Rússia, Roménia, Escócia, Sudão, Uganda, Zâmbia e Zimbabwe[2], pp. 26–27;[8]. Foi dado o número de índice H506.3 no índice de assuntos da literatura popular de Stith Thompson, e o ATU 1579 no sistema de classificação Aarne-Thompson-Uther[9].

O quebra-cabeças era um dos favoritos de Lewis Carroll[10], e tem sido reproduzido em várias coleções de matemática recreativa[2], p. 26..

Uma variação do quebra-cabeças também aparece no jogo Nintendo DS, Professor Layton and the Curious Village.

Em algumas partes da África, variações sobre o quebra-cabeça foram encontradas formulando que a embarcação pode transportar dois objetos em vez de apenas um. Quando o enigma é enfraquecido, desta forma, é possível introduzir a restrição adicional de que não há dois itens, incluindo A e C, que podem ser deixados juntos[2], p. 27..

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. PRESSMAN, Ian; SINGMASTER, David (Junho 1989). «"The Jealous Husbands" and "The Missionaries and Cannibals"». The Mathematical Gazette. 73–S. The Mathematical Association. doi:10.2307/3619658 
  2. a b c d e ASCHER, Marcia (Fevereiro de 1990). «A River-Crossing Problem in Cross-Cultural Perspective». Mathematics Magazine. 63 (1). Mathematical Association of America. pp. 26–29. doi:10.2307/2691506. Consultado em 8 de junho de 2009 
  3. George F., Luger. Inteligência Artificial: Estruturas e Estratégias para a Solução de Problemas Complexos. 4ª ed. Porto Alegre: Bookman, 2004. 567-572 p. ISBN 85-363-0396-4
  4. Alcuin's Transportation Problems and Integer Programming,ketelyn Ralf Borndörfer, Martin Grötschel, and Andreas Löbel, preprint SC-95-27 (November 1995), Konrad-Zuse-Zentrum für Informationstechnik Berlin.
  5. The Classic River Crossing Puzzle
  6. Mary Jane Sterling, Math Word Problems for Dummies, P.313
  7. Stewart, Ian (1998). The Magical Maze. Phoenix. ISBN 0753805146 
  8. 235. Three Zande Texts, E. E. Evans-Pritchard, Man, 62 (October 1962), pp. 149–152.
  9. "Carrying a Wolf, a Goat, and a Cabbage across the Stream. Metamorphoses of ATU 1579", Piret Voolaid, Folklore: Electronic Journal of Folklore 35 (2007), pp. 111–130. Tartu: Eesti Kirjandusmuuseum.
  10. p. 17, Rediscovered Lewis Carroll Puzzles, Lewis Carroll, compiled by Edward Wakeling, Courier Dover Publications, 1996, ISBN 0486288617.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]