Processo de cassação de Luiz Estevão

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Processo de cassação de Luiz Estevão
Participantes Luiz Estevão
Localização  Brasil
Resultado Cassado em 28 de junho de 2000.

O processo de cassação de Luiz Estevão consistiu na cassação senador Luís Estêvão no dia 28 de junho de 2000, sendo 52 votos a favor da perda do mandato e 18 contra, além de 10 abstenções. Os senadores entenderam que o político mentiu e quebrou o decoro parlamentar ao negar envolvimento com o esquema de desvio de R$ 169 milhões nas obras do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) de São Paulo. Com o mandato cassado, ele também perdeu os direitos políticos até 2014.Erro de citação: Elemento de abertura <ref> está mal formado ou tem um nome inválido

A sessão secreta foi presidida pelo senador Antonio Carlos Magalhães, sem a presença de repórteres e outras pessoas além dos senadores. Vale salientar que o voto também foi secreto, mas o painel eletrônico do Senado foi violado, gerando um escândalo que desencadeou na renúncia de Antonio Carlos Magalhães e do senador José Roberto Arruda. O senador acusado discursou por uma hora e meia. Dos 11 parlamentares que fizeram uso da tribuna, apenas o senador Ernandes Amorim (PPB-RO) o defendeu. Os parlamentares do PMDB, foram liberados para votar como desejassem.Erro de citação: Elemento de abertura <ref> está mal formado ou tem um nome inválido

Referências