Profecia de Neferti

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

A Profecia de Neferti é um texto literário do Antigo Egipto datado da época do Império Médio.

A acção desenrola-se em outra época histórica, na corte do rei Seneferu, primeiro soberano da IV Dinastia, ou seja, da época do Império Antigo. Preocupado com o futuro do país, o rei consulta um adivinho de nome Neferti que descreve acontecimentos que terão lugar daí a quatro séculos.

Neferti retrata um futuro apocalíptico, no qual os asiáticos invadirão o Egipto, provocando a destruição dos templos e o abandono do palácio real. O sol ficará coberto e o rio Nilo secará. Contudo, um salvador virá e libertará o país da dominação estrangeira. Esse salvador é oriundo do sul do país e tem o nome de Ameny, sendo identificado como o rei Amenemés I da XII Dinastia.

Este texto descreve uma profecia post eventum, ou seja, uma profecia cujos acontecimentos tiveram lugar antes de ter sido escrito o texto, estando ao serviço da propaganda real. Os eventos descritos na "profecia" referem-se aos últimos anos da XI Dinastia época da história do Egipto, que os historiadores consideram relativamente calma, mas que neste texto é retratada como negativa como forma de legitimar o poder de Amenemés I, o primeiro rei da XII Dinastia. O autor do texto terá sido um sacerdote de Bubástis de nome Neferti.

Este texto foi preservado no Papiro Leningrado 1116B, datado da XVIII Dinastia. É possível encontrar pequenas passagens da obra em tábuas de escrita e em ostraca (pequenos pedaços de pedra de calcário).

Referência[editar | editar código-fonte]