Programa H

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Programa H
Programa H (BR)
H1996-2000.jpg
Informação geral
Formato Programa de auditório
Duração 75 Minutos
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Apresentador(es) Luciano Huck
Otaviano Costa
Sabrina Parlatore
Exibição
Emissora de televisão original Brasil Band
Transmissão original 1°fase: 1996 - 2000
2°fase: 2000 - 2001
3°fase: 2001 - 2002

Programa H foi um programa voltado para o público jovem, exibido pela emissora Bandeirantes. Era apresentado de segunda a sexta. Teve três fases distintas, com nomes e apresentadores diferentes, mas seguindo o mesmo gênero.

Primeira fase - Luciano Huck[editar | editar código-fonte]

O programa estreou em 28 de outubro de 1996 [1] e foi inicialmente exibido a tarde, porém, a repercussão de seus quadros, como a personagem Tiazinha, forçaram uma mudança de horário para o horário noturno.

O programa era um típico programa de auditório com música, gincanas, reportagens e entrevistas. Eventualmente, Tiazinha ganhou um programa próprio e saiu do H, sendo substituída por Feiticeira. O apresentador Luciano Huck foi contratado pela Rede Globo de Televisão, e deixou um vazio no programa. O nome "H" virou marca registrada dele, e a Band, não querendo perder o produto no horário nobre, trouxe Otaviano Costa.

Segunda fase - Otaviano Costa[editar | editar código-fonte]

O novo apresentador, que era ex-VJ da MTV e ex-repórter do Domingão do Faustão estreou no programa no dia 4 de outubro de 1999.[2] Inicialmente, o título "H" foi mantido, mas depois, através de votação pelo público, o programa passou a ser chamado O+ (positivo), porém mantendo quadros e formato.

Outras personagens como Tiazinha e Feiticeira foram criados, como a Índia, os gêmeos Flávio e Gustavo e Internética, porém o programa não conseguiu manter a mesma repercussão nem audiência.

Terceira fase - Sabrina Parlatore[editar | editar código-fonte]

A partir de 7 de maio de 2001 Sabrina Parlatore passou a dividir a apresentação com Otaviano Costa, e o programa foi rebatizado de "Superpositivo"[3].

Em julho de 2001, Otaviano deixa a Band e vai para a Rede Record e a partir de 27 de agosto de 2001, Sabrina passa a conduzir o programa sozinha.

Alguns quadros novos foram criados, mas o formato era o mesmo do começo, como por exemplo, a personagem Feiticeira, que ficou até o final. O programa ficou no ar até 15 de fevereiro de 2002 quando foi extinto devido à baixa audiência.

Referências

  1. «Emissora muda suas tardes». Folha de S.Paulo. 27 de outubro de 1996. Consultado em 6 de julho de 2015 
  2. «Novo "H" estréia hoje sob o comando de Otaviano Costa». Folha de S.Paulo. 4 de outubro de 1999. Consultado em 6 de julho de 2015 
  3. «Band tira do ar "Silvia" e programa de Sabrina». Folha de S.Paulo. 21 de abril de 2001. Consultado em 18 de julho de 2016 
Ícone de esboço Este artigo sobre Televisão no Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.