Programa de Pesquisa em Biodiversidade

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde março de 2015). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.

O Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio) foi desenvolvido em 2004 pelo Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI)[1][2][3], nas regiões da Amazônia e do Semiárido, porém com o intuito de abranger outros biomas no Brasil. Hoje, o programa apresenta núcleos na Amazônia pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (INPA), no Semiárido, sob tutela da Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS)[4][5][6], na Mata Atlântica, sob responsabilidade da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e Jardim Botânico do Rio de Janeiro (JBRJ)[7], no Cerrado pela Universidade de Brasília (UnB)[8] e nos Campos Sulinos de gestão da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)[9].

O PPBio desenvolve ações sobre coleções biológicas, levantamentos padronizados da biodiversidade, criação de sítios de pesquisa ecológica, laboratórios de genética e de bioprospecção e desenvolvimento de técnicas de avaliação de impactos ambientais. O programa utiliza como padronização de dados coletados o sistema RAPELD de monitoramento que permite amostrar as comunidades biológicas em grandes áreas amostrais e ao mesmo tempo minimizar a variação nos fatores abióticos que afetam tais comunidades[10]. O Programa é parceiro do Centro de Estudos Integrados da Biodiversidade Amazônica (CENBAM), e juntos lançaram um livro de relevante interesse para o meio científico, cujo nome dessa obra é “Biodiversidade e Monitoramento Ambiental Integrado”, onde é relatado a experiência de mais de uma década na implementação do sistema de monitoramento RAPELD na Amazônia brasileira[11][12].

Portanto, o projeto tem como ideia central a articulação da capacidade regional e nacional para que o conhecimento da biodiversidade brasileira seja ampliado e propagado de forma delineada e coordenada.

Referências

  1. http://www.cnpq.br/pt/web/guest/ppbio;jsessionid=7052C555E1B6CD29ECBB948F776803C3
  2. http://www.ueap.ap.gov.br/index.php/unidades_da_biblioteca_/item/22-v-seminario-cientifico-ppbio.html
  3. http://notapajos.globo.com/lernoticias.asp?id=42414
  4. http://www.ppbio.uefs.br/
  5. http://www.freewebs.com/rapinidep/ppbio/ppbio.pdf
  6. http://www.meionorte.com/cidades/pi/caracol/conhecendo-a-biodiversidade-do-semiarido-brasileiro-do-programa-de-pesquisa-em-biodiversidade-do-semiarido-ppbio-290025
  7. http://www.mma.gov.br/estruturas/221/_arquivos/apresentacao_mct_221.pdf
  8. http://conservacao.bio.br/index.php/equipe/item/55-ppbio-rede-comcerrado
  9. http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/planeta-ciencia/noticia/2015/02/cientistas-encontram-57-especies-diferentes-em-1-m-no-pampa-4708525.html
  10. Magnusson, W; Braga-Neto, R; Pezzini, F; Baccaro, F; Bergallo, H; Penha, J; Rodrigues, D; Verdade, L. D; Lima, A; Albernaz, A. L; Hero, J; Lawson, B; Castilho, C; Drucker, D. Franklin, E; Mendonça, F; Costa, F; Galdino, G; Castley, G; Zuanon, J; Vale, J; Santos, J. L. C; Luizão, R; Cintra, R; Barbosa, R. I; Lisboa, A; Koblitz, R. V; Cunha, C. N; Pontes, A. R. M. 2013. Biodiversidade e monitoramento ambiental integrado =Biodiversity and integrated environmental monitoring / [tradução dos autores].—Santo André, SP: Áttema Editorial, 2013.
  11. http://www.oeco.org.br/noticias/27285-pbio-lanca-livro-sobre-sistema-de-levantamento-biologico
  12. http://acritica.uol.com.br/tema/sistema_rapeld.html
Ícone de esboço Este artigo sobre Ecologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.