Programa Livre

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Programa livre)
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre o programa de televisão. Se procura o termo que designa os programas de computador, veja software livre.
Programa Livre
Programalivre-200x150.jpg
Vinheta do programa
Informação geral
Formato Programa de variedades
Duração 60 minutos
Estado Fora do ar
País de origem  Brasil
Idioma original Português
Produção
Diretor(es) Josias Braga
Produtor(es) Márcia Mello
Apresentador(es) Serginho Groisman (1991-1999)
Otávio Mesquita (1999)
Ney Gonçalves Dias (1999)
Márcia Goldschmidt (1999)
Lu Barsotti (1999)
Christina Rocha (1999)
Babi Xavier (2000-2001)
Exibição
Emissora de televisão original SBT
Formato de exibição SD
Transmissão original 19 de agosto de 1991 - 22 de dezembro de 2001
N.º de temporadas 1
N.º de episódios Vários

Programa Livre foi um programa de televisão brasileiro transmitido pelo Sistema Brasileiro de Televisão, que estreou em 19 de agosto de 1991 como um dos 10 presentes do SBT para o público no ano em que a emissora completava 10 anos de existência.

Era apresentado por Serginho Groisman. Era transmitido de um auditório com uma plateia composta por jovens, quase sempre estudantes. No seu palco, eram realizadas entrevistas, shows, quadros humorísticos e gincanas de braço de ferro, imitações e piadas feitas com voluntários da plateia. Saiu do ar em 22 de dezembro de 2001 devido à baixa audiência. O programa apresentado atualmente por Groisman, Altas Horas, pela Rede Globo, segue o mesmo formato.

Gravações[editar | editar código-fonte]

De 1991 a 1996, o programa foi gravado no antigo estúdio na Rua Dona Santa Veloso, 575 (onde funciona atualmente a Igreja Bíblica da Paz), na Vila Guilherme, em São Paulo. De 1997 a 2001, o programa foi gravado no Centro de Televisão da Anhanguera, em Osasco.

Os apresentadores[editar | editar código-fonte]

O programa foi comandado durante vários anos por Serginho Groisman. A partir de 13 de setembro de 1999, com a saída de Serginho para a Rede Globo o programa, que estava sendo apresentado à tarde, de segunda a sexta, passou a ser comando cada dia por um apresentador: Ney Gonçalves Dias, Márcia Goldschmidt, Lu Barsotti, Christina Rocha e Otávio Mesquita[1].

A partir de 3 de janeiro de 2000, o programa passou a ser comandado pela apresentadora e atriz Babi Xavier, ex-VJ da MTV e novata no SBT, passando a ser exibido à meia-noite e meia[2]. Ainda com Babi, o programa chegou a ser transferido para os sábados à tarde, no Sábado Bom, a partir de 1 de setembro de 2001, onde permaneceu até dezembro do mesmo ano, quando saiu definitivamente do ar[3].

Diretor[editar | editar código-fonte]

Josias Braga (1991-2001).

Quadros famosos e gincanas[editar | editar código-fonte]

Além de ser um grande pico de audiência no SBT, o Programa Livre teve muitos quadros famosos. O programa foi um dos pioneiros em encontros de casais em programas ao vivo com o quadro chamado "Beijo, Abraço ou Aperto de Mão". Nesse quadro, escolhia-se de um a dois casais para ficar conversando durante o programa todo. Os casais conversariam durante o programa, se conheceriam e, no último bloco, deveriam escolher entre uma das 3 opções apresentadas. Muitos relacionamentos, entre amizades e namoros, tiveram início neste quadro. O ápice foi no penúltimo ano, quando um casal escolheu as 3 opções na ordem de trás para frente. Teve muito sucesso e foi exibido do quarto até o sexto e último ano do programa.

Um quadro que também deu muitos frutos foi o de imitações. As pessoas imitavam atores, atrizes e outras celebridades.

Entrevistas e jogos[editar | editar código-fonte]

Costumava se entrevistar, durante os programas, celebridades, como Marcelo Frommer, As Ronaldinhas, É o Tchan, Renato Aragão e bandas de Rock e música popular brasileira.

Algumas vezes, durante a semana, dois entrevistados faziam jogos com questionários, em que se acumulavam pontos por respostas certas. Enquanto aconteciam os jogos, o público não podia ajudar os entrevistados.

Bandas nacionais e internacionais[editar | editar código-fonte]

O programa teve atrações musicais de relevo, como Legião Urbana, Engenheiros do Hawaii, Mamonas Assassinas, Charlie Brown Jr, Raimundos, Ultraje a Rigor, Sepultura, Ira!, Capital Inicial, Paulo Ricardo & RPM, Rita Lee, Skank, Titãs, Barão Vermelho, Oficina G3, Jota Quest, Falamansa, Jon Bon Jovi, Smashing Pumpkins, Kreator, Sarah Brightman, Laura Pausini, Alanis Morissette, Scorpions, Eminem, Kiss, Thalía, Shakira, Roxette, Mara Maravilha, Caetano Veloso, Gilberto Gil, Daniela Mercury, Jorge Ben Jor, Falcão, Lulu Santos, Sidney Magal, Fábio Júnior e muitos outros.

O público tinha direito de fazer perguntas sobre algum assunto para as bandas e aos cantores, que, em algumas oportunidades, distribuíam autógrafos aos fãs. As bandas anunciavam os próximos shows, apresentavam os números de telefone de contato para shows e agradeciam à produção, aos produtores da banda e à gravadora que lançava os seus CDs.

Intervalo e abertura[editar | editar código-fonte]

No intervalo, aparecia uma vinheta de uma cerca acinzentada e pichada, com prédios ao fundo e um garoto com uma camisa punk pichando uma mensagem. Sobre o garoto e a cerca, aparecia um outdoor com o nome do programa escrito em vermelho e duas tarjas pretas onde se escrevia o nome do apresentador.

Tentativa de retorno[editar | editar código-fonte]

Em janeiro de 2012, foi noticiado que Alexandre Frota, diretor de novos projetos do SBT, iria trazer de volta o "Programa Livre". André Vasco fez testes e era um dos cotados para ser o apresentador. A estreia da atração estava prevista para o mês de março, ocupando a faixa do fim de tarde do SBT.[4] Também foi cogitado que iria ocupar a grade do Programa Raul Gil aos sábados, junto com a volta do programa Passa ou Repassa. Mas a volta não aconteceu, e André Vasco acabou sendo contratado pela Rede Bandeirantes.

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «"Programa Livre" adota estilo "Rateen"». Folha de São Paulo. 31 de outubro de 1999. Consultado em 27 de julho de 2016. 
  2. «Babi estréia no SBT e mantém o estilo MTV». Diário do Grande ABC. 4 de janeiro de 2000. Consultado em 27 de julho de 2016. 
  3. «Outro canal: "Programa Livre", do SBT, vai ser exibido aos sábados». Folha Ilustrada. 29 de agosto de 2001. Consultado em 27 de julho de 2016. 
  4. http://f5.folha.uol.com.br/colunistas/albertopereirajr/1031457-sbt-traz-programa-livre-de-volta.shtml

Ver também[editar | editar código-fonte]