Saltar para o conteúdo

Projeto Geoparque Corumbataí

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Projeto Geopark Corumbataí)
Projeto Geoparque Corumbataí
Projeto Geoparque Corumbataí
Localização
Localização Interior de São Paulo
País  Brasil
Municípios Analândia, Charqueada, Cordeirópolis, Corumbataí, Ipeúna, Itirapina, Piracicaba, Rio Claro, Santa Gertrudes
Dados
Área 1,710 km²
Criação 2016
Sítio oficial www.geoparkcorumbatai.com.br
Coordenadas 22° 24' S 47° 28' O
Geopark Corumbataí está localizado em: Brasil
Geopark Corumbataí

O projeto Geoparque Corumbataí (ou Geopark Corumbataí) é busca a implementação de um Geoparque Global da UNESCO na região da Bacia Hidrográfica do Rio Corumbataí, no estado de São Paulo. O patrimônio geológico do Geoparque Corumbataí inclui rochas, cachoeiras, pinturas rupestres, fósseis, artefatos arqueológicos, mirantes, além de um dos maiores aquíferos do mundo, o Sistema Aquífero Guarani. Atualmente o projeto é reconhecido pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM).

Histórico[editar | editar código-fonte]

O marco inicial da criação do Geoparque Corumbataí ocorreu em abril de 2016 quando, após o sinal verde da UNESCO, realizou-se o Fórum "Geoparques" na Unicamp[1]. Desde então, formou-se o Grupo de Trabalho responsável pelo desenvolvimento do projeto que conta com membros da sociedade civil, de universidades, do poder público e de empresas. Este grupo de trabalho é responsável por planejar e executar as atividades de Geoconservação.

Em 2017 deu-se o início da inventariação da geodiversidade e do patrimônio geológico do Geoparque Corumbataí. Concomitantemente, o projeto conta com atividades de proteção de áreas vulneráveis e valorização do patrimônio geológico, o que inclui visitas monitoradas, produção de materiais didáticos, interpretativos e de divulgação.

Em outubro de 2017, durante apresentação no IV Simpósio Brasileiro de Patrimônio Geológico e II Encontro Luso-Brasileiro de Patrimônio Geomorfológico e Geoconservação, o Serviço Geológico do Brasil reconheceu o projeto, tornando o Geoparque Corumbataí o 37º Geopark cadastrado na entidade.

Geografia[editar | editar código-fonte]

O Geoparque Corumbataí situa-se na Bacia Hidrográfica do Rio Corumbataí, uma sub-bacia do Rio Piracicaba cujas águas abastecem mais de meio milhão de pessoas[2]. A Bacia do Corumbataí é composta por nove municípios localizados no interior de São Paulo, a cerca de 200 quilômetros da capital:

  1. Analândia
  2. Charqueada
  3. Cordeirópolis
  4. Corumbataí
  5. Ipeúna
  6. Itirapina
  7. Piracicaba
  8. Rio Claro
  9. Santa Gertrudes

Em termos de relevo, o Geoparque está entre duas unidades de relevo paulistas, a Depressão Periférica e as Cuestas. É justamente esse contraste de relevo que dá origem as belas paisagens da Serra de Itaqueri.

Geologia[editar | editar código-fonte]

O Geoparque Corumbataí abrange uma área de ocorrência da Bacia do Paraná, que conta com, principalmente, rochas sedimentares e algumas magmáticas. No Geoparque Corumbataí afloram todas as unidades estratigráficas paulistas dessa bacia sedimentar, com rochas que vão desde o Período Carbonífero até depósitos recentes. A geodiversidade única da região conta com diversos elementos como rochas, fósseis, cachoeiras, paisagens, cavidades naturais, ferramentas pré-históricas e pinturas rupestres que são considerados patrimônios naturais e culturais. Além disso, a Bacia do Rio Corumbataí é uma região produtora de água, abastecendo o Sistema Aquífero Guarani e também sendo abastecida por ele.

Atrativos[editar | editar código-fonte]

Analândia[editar | editar código-fonte]

  • Cachoeira da Ponte Amarela
  • Cachoeira do Escorrega
  • Cachoeira do Salto Major Levy
  • Gruta Abrigo do Índio
  • Gruta Nossa Senhora de Lourdes
  • Morro do Camelo
  • Morro do Cuscuzeiro
  • Orquidário Tico e Teco

Charqueada[editar | editar código-fonte]

  • Casa de Pedra
  • Parque Municipal Lago dos Biris
  • Fabrica di Pamonha

Cordeirópolis[editar | editar código-fonte]

  • Bairro Cascalho
  • Morro Azul

Corumbataí[editar | editar código-fonte]

  • Cachoeira do Cuscuzeiro
  • Pesqueiro Corumbataí
  • Pesqueiro Jacutinga
  • Pesqueiro Marcucci
  • Pesqueiro Municipal
  • Gruta do Adão
  • Toca da Onça*
  • Jequitibá Centenário*
  • Praça da Matriz
  • Cachaça Artesanal Marcucci
  • Vinhos e Licores Canhoni
  • Orquidário Jordão
  • Casarão Centenário*
  • Ruínas da Antiga Olaria*

(* Não disponível para visitação)


Ipeúna[editar | editar código-fonte]

  • Parque Ecológico Henriqueta Barbeta (Salto do Nhô Tó)
  • Serra do Fazendão
  • Trilha do Cabrito
  • Trilha do Vagalume

Itirapina[editar | editar código-fonte]

  • Represa do Broa
  • Cachoeira da Lapinha
  • Cachoeira São José
  • Distrito de Itaqueri da Serra
  • Mirantes das Águas (Cachoeiras do Saltão, Monjolo e Ferradura)

Piracicaba[editar | editar código-fonte]

  • Elevador Turístico Alto do Mirante
  • Engenho Central

Rio Claro[editar | editar código-fonte]

  • Floresta Estadual Edmundo Navarro de Andrade (FEENA)
  • Museu de Minerais e Rochas
  • Museu de Paleontologia e Estratigrafia
  • Museu do Eucalipto
  • Parque Municipal Lago Azul

Santa Gertrudes[editar | editar código-fonte]

  • Fazenda Santa Gertrudes
  • Parque Municipal Rui Raphael da Rocha”

Referências

  1. «Unicamp discute a constituição de um geoparque na região de Rio Claro | CBN Campinas FM 99,1». www.portalcbncampinas.com.br. Consultado em 19 de março de 2018 
  2. «Ameaça ao Rio Corumbataí - Jornal Cidade». Jornal Cidade. 18 de maio de 2015. Consultado em 20 de março de 2018. Arquivado do original em 20 de março de 2018