Projeto OMAC

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Projeto OMAC
Minissérie
Comic image missing-pt.png
mini série inspirada em OMAC criado por Jack Kirby
País de origem EUA
Editora(s) DC Comics
Periodicidade Junho de 2005 - Novembro de 2005
Argumento Greg Rucka
Desenho Jesus Saiz
Cliff Richards
Bob Wiacek
Colorista(s) Hi-Fi Design
Letrista(s) Valéria Calipo
Arte-finalista (s) Jesus Saiz
Cliff Richards
Bob Wiacek
Personagens principais Sasha Bordeaux
Maxwell Lord
Batman
Irmão I
OMACs
Editora(s) lusófona(s) Panini Comics

Projeto OMAC (The OMAC Project, 2005) é uma minissérie de quadrinhos em 6 edições publicada pela DC Comics em 2005, escrita por Greg Rucka, desenhada por Jesus Saiz e Cliff Richards e finalizada por Bob Wiacek. É uma das 4 minisséries que antecederam o evento Crise InfinitaProjeto OMAC começa exatamente de onde terminou a edição especial de Contagem Regressiva Para Crise Infinita.

O Projeto OMAC tem numerosas conexões (tie-ins) com outros títulos, incluindo Action Comics #829; Adventures of Superman #641−643; Aquaman #35; Batgirl #66; Birds of Prey #80 e 82−83; Firestorm #18; JLA #122; JSA #76; Hawkman #46; Manhunter #13−14; Robin #143−144; Superman 217, 219, 220 e 222; e Wonder Woman #218−221.

No Brasil, a minissérie foi publicada na íntegra pela editora Panini Comics entre os meses de Julho e Dezembro de 2006 em seis edições intituladas Contagem Regressiva Para Crise Infinita. Já quanto as conexões (tie-ins), algumas delas saíram por aqui nos títulos mensais de Superman, Novos Titãs, Superman & Batman e Liga da Justiça. O especial The OMAC Project: Infinite Crisis Special (2006) foi publicado em maio de 2007 também pela Panini como parte da revista DC Apresenta nº 3: Crise Infinita Especial, Vol. 2.

Visão geral[editar | editar código-fonte]

Os OMACs mencionados na minissérie tem nome e aparência semelhante ao personagem OMAC criado por Jack Kirby em 1974. No entanto, os OMACs da minissérie de 2005 diferem do original em alguns pontos, incluindo o acrônimo que forma seu nome original: nas histórias de Kirby, "OMAC" é sigla para "One Man Army Corps" (“exército de um homem só”), enquanto que nesta minissérie, "OMAC" originalmente significava Observational Meta-human Activity Construct ("construto de observação da atividade meta-humana"), mas atualmente significa "Omni Mind And Community" ("Omni-Mente de Ação Comunitária").

Na minissérie, os OMACs são humanos espalhados por todo o mundo que abrigam tecnologias invasivas, mas não sabem disso. Quando ativada, a tecnologia pode ser usada para espionar o ambiente dos hospedeiros humanos, controlar seus corpos ou transformá-los em seres com aparência de meta-humanos que podem ser controlados à distância. Os hospedeiros humanos da tecnologia OMAC atuam involuntariamente como "agentes adormecidos" para o ex-líder da Liga da Justiça Internacional, Maxwell Lord que agora lidera a organização Xeque-Mate como "Rei Negro".

Os OMACs são guiados pelo "Irmão-Olho", um satélite-espião que foi construído por Batman após os eventos de Crise de Identidade, não para controlar os OMACs, mas para observar os membros da Liga da Justiça. O Projeto OMAC termina com o Irmão-Olho entrando em modo autônomo e comandando mais de 200 mil OMACs e, aparentemente, planejando uma guerra contra os meta-humanos, iniciando com a transmissão mundial da morte de Max Lord nas mãos da Mulher Maravilha.

Resumo da minissérie[editar | editar código-fonte]

O Besouro Azul II (Ted Kord) está morto, o Gladiador Dourado está no hospital, e a organização Xeque-Mate, liderada por Maxwell Lord, continua suas operações misteriosas contra os meta-humanos do Universo DC. O Gladiador Dourado desperta e, ao saber do desaparecimento de Ted Kord, decide investigar o sumiço do amigo com a ajuda da Mulher Maravilha.[1]

Batman e Mulher Maravilha investigam os OMACs, enquanto o Gladiador, após reencontrar Guy Gardner no espaço, decide que vai investigar o desaparecimento de Ted Kord com outros ex-membros da Liga da Justiça Internacional. Enquanto o Rei Negro Max Lord assume o controle do Xeque-Mate eliminando os outros líderes da organização. Batman descobre através de Sasha Bordeaux (Cavalo do Rei Negro) que o Besouro Azul está morto e que o Irmão-Olho (Irmão MK I) não está mais sob seu controle. Max Lord descobre a traição de Sasha Bordeaux e a captura.[2]

No arco "Sacrifício", um crossover de 4 partes entre as séries Superman e Mulher Maravilha (Superman #219, Action Comics #829, Adventures of Superman #642 e Wonder Woman #219, publicado no Brasil pela Panini Comics em Superman #46), que ocorre entre os números 3 e 4 de Projeto OMAC, Maxwell Lord manipula mentalmente o Superman para se livrar do Batman. Ele acaba falhando após a intervenção de Mulher Maravilha. A Liga da Justiça vai para tentar neutralizar a ameaça, mas a Mulher Maravilha acaba matando Max Lord para impedi-lo de controlar o Superman novamente.[3]

Após a morte de Max Lord, o satélite-espião Irmão-Olho, a inteligência artificial que comanda os OMACs, torna-se autônomo e elimina quase todos os agentes do Xeque-Mate que estão em suas instalações e dá início a ativação de todos os OMACs (um milhão, trezentos e setenta e três mil e quatro, centro de sessenta e dois) para eliminar os meta-humanos, que ele vê como uma ameaça para a humanidade.[4]

Depois de descobrir que foi transformada em algo similar a um OMAC, Sasha Bordeaux agora contando com nanotecnologia reúne os recursos remanescentes do Xeque-Mate, principalmente agentes localizados em outras organizações (Projeto M , Laboratórios S.T.A.R. , D.E.O., Esquadrão Suicida, etc.) para se opor aos planos do Irmão-Olho. Ela transmite algumas das informações obtidas para o Batman. Este utiliza um gerador de PEM (Pulso eletromagnético) projetado pelo Besouro Azul antes de sua morte para neutralizar um grande número de OMACs que foram atraídos para o deserto do Saara por um grande grupo de meta-humanos (Mulher-Maravilha , Hal JordanCaçador de MarteJay GarrickWally WestJohn Stewart, entre muitos outros). Com os OMACs desativados, seus hospedeiros humanos puderam ser libertados. Enquanto isso, Sasha introduziu um vírus na rede. No entanto, o satélite-espião Irmão-Olho ainda está escondido e tem cerca de 200.000 OMACs sob seu controle.[5]

A minissérie Projeto OMAC termina com o Irmão-Olho transmitindo mundialmente o vídeo da morte de Maxwell Lord pelas mãos da Mulher Maravilha.[6] A minissérie teve repercussões em muitos títulos, incluindo Action Comics #829; Adventures of Superman #641-643; Aquaman #35; Batgirl #66, entre outros.

Principais consequências[editar | editar código-fonte]

Edição de Colecionador[editar | editar código-fonte]

A minissérie foi compilada, juntamente com "Countdown to Infinite Crisis" e Wonder Woman #219, em um encadernado que saiu nos EUA em Novembro de 2005. (ISBN 1401208371). No Brasil, ainda não tivemos nenhum encadernado compilando toda a minissérie.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. OMAC Project #1
  2. OMAC Project #2
  3. Superman #219, Action Comics #829, Adventures of Superman #642 e Wonder Woman #219
  4. OMAC Project #4
  5. OMAC Project #5
  6. OMAC Project #6