Protestos na Rússia contra a corrupção em 2017-2018

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Wiki letter w.svg
Por favor, melhore este artigo ou secção, expandindo-o(a). Considere a possibilidade de traduzir o texto das interwikis, se houver.
Protestos na Rússia em 2017-2018
2017 Russian protests.jpg
Protestos e marchas em toda a Rússia (sentido horário, da parte superior esquerda):
  • Protestos em Chelyabinsk – O pato-czar é uma referência para a casa de pato na dacha de Dmitry Medvedev
  • Protestos em Yekaterinburg
  • Pessoas agitando as bandeiras nacionais em Nizhny Novgorod
  • Protestos em São Petersburgo no Dia da Rússia (12 de junho)
  • Tênis, também o símbolo dos protestos anticorrupção, representa o tênis do primeiro-ministro Medvedev, que o ordenou na Internet através de um e-mail falso
  • A maior marcha que ocorreu em Moscou
Período 26 de março de 2017 – primavera de 2018
Local Cidades em toda a  Rússia
Situação  • Foram realizados dois comícios nacionais (em 26 de março e 12 de junho), cobrindo mais de cem cidades
Causas  • Suposta corrupção nos mais altos níveis de poder
  • Oposição a Vladimir Putin
  • Suposta atividade de corrupção do primeiro-ministro Dmitry Medvedev
  • Demolição planejada de apartamentos em Moscou
  • Oposição à imigração
  • Infraestrutura colapsante
  • Novo sistema de pedágio rodoviário
Objetivos  • Renúncia de Dmitry Medvedev
  • Investigação contra Medvedev
  • Cancelamento do novo sistema de pedágio rodoviário
  • Vistos para migrantes da Ásia Central e Caucasianos
  • Parar a demolição dos apartamentos de Moscou
  • Participação de Alexei Navalny nas eleições de 2018
Características Demonstração, procissão, reunião, atividade da Internet.
Participantes do conflito
Flag of the Russian Empire (black-yellow-white).svg Oposição Russa
  • Liberais
    • Progress Party logo.svg Partido Progressista
    • PARNAS logo.svg PARNAS
    • Solidarnost[3]
  • Логотип ФБК.png FBK
  • Rússia Aberta
  • Motoristas de caminhão
  • Movimentos estudantis
  • Proprietários de casas de Moscou
Rússia Governo Russo
  • National Guard of Russia patch.svg Guarda Nacional
  • Emblem of the Ministry of Internal Affairs.svg MVD
  • NLM
  • Voluntários[4]
Líderes
Alexei Navalny
PARNAS logo.svg Mikhail Kasyanov
PARNAS logo.svg Vladimir Ryzhkov
PARNAS logo.svg Vyacheslav Maltsev
PARNAS logo.svg Ilya Yashin
Mikhail Khodorkovsky
Standard of the President of the Russian Federation.svg Vladimir Putin
Rússia Dmitry Medvedev
Forças
Moscou: 15.000-25.000+[5]
São Petersburgo: 6.000-10.000+[6]
Em toda a Rússia: 150.000 de acordo com a Fundação Anticorrupção[7]
Desconhecido
Prisões e feridos
1.030 presos[8] e um policial ferido[9]

Os Protestos na Rússia em 2017-2018 foram manifestações que ocorreram em 26 de março de 2017, contra a suposta corrupção no governo federal russo, e que aconteceram simultaneamente em muitas cidades do país. Os protestos foram desencadeados pela falta de resposta adequada das autoridades russas ao publicado filme de investigação "He Is Not Dimon to You", que obteve mais de 23 milhões de visualizações no YouTube. No domingo à noite, a polícia antimotim em armaduras corporais e capacetes tinha prendido mais de 1.000 manifestantes no centro de Moscou, enquanto a multidão, numerada em dezenas de milhares, animava, assobiava e cantava - "Vergonha!", "Medvedev está em renúncia!" e "Putin ladrão!"[10] A pesquisa do Levada Center mostrou que 38% dos russos pesquisados ​​apoiaram os protestos e que 67% consideraram que Vladimir Putin é "inteiramente" ou "em grande medida" responsável pela corrupção de alto nível.[11][12][13] Novas ondas de protestos em massa ocorreram em 12 de junho de 2017, em 7 de outubro de 2017 e em 5 de maio de 2018.

Referências

  1. Мосгорсуд сократил срок ареста Навального с 30 до 25 суток [Moscow City Court reduced Navalny's term of arrest from 30 to 25 days] (em russo). Meduza. 16 de junho de 2017. Consultado em 2 de julho de 2017 
  2. Матвиенко предложила ввести запрет на участие детей в протестных акциях [Matviyenko proposed to introduce a ban on the involvement of children in protests]. RBC.ru (em russo). 23 de maio de 2017. Consultado em 2 de julho de 2017 
  3. Zherebiatev, Mikhail (26 de março de 2017). В Воронеже прошел самый крупный с 2011 года протестный митинг [The largest protest rally since 2011 in Voronezh]. Svoboda.org (em russo). Consultado em 2 de julho de 2017 
  4. В ходе акции протеста в Москве полиции помогают "дружинники", 26 de março de 2017
  5. «Число задержанных на митинге в Москве превысило 1000 человек». Tvrain.ru. Consultado em 27 de março de 2017 
  6. Кирилл Разлогов:. «Участники митинга против коррупции в Петербурге бросили дымовую шашку: Политика: Россия». Lenta.ru. Consultado em 27 de março de 2017 
  7. «Кремль на развилке: каковы последствия протестных акций по всей России : Политика». Rbc.ru. 22 de dezembro de 2016. Consultado em 27 de março de 2017 
  8. «Число задержанных на митинге в Москве превысило 1000 человек [The number of detainees at the rally in Moscow exceeded 1000 people]» 
  9. «В Москве пострадавшего во время протестов полицейского госпитализировали с черепно-мозговой травмой — Meduza». Meduza.io. Consultado em 27 de março de 2017 
  10. «Russian police arrest anti-corruption leader Navalny, hundreds more in nationwide rallies». The Washington Post. 26 de março de 2017 
  11. http://www.levada.ru/2017/03/28/institutsionalnaya-korruptsiya-i-lichnyj-opyt/
  12. https://www.rferl.org/a/russia-putin-corruption-survey-responsible/28396533.html
  13. "Alexei Navalny: Is Russia's Anti-Corruption Crusader Vladimir Putin's Kryptonite?". Newsweek. 17 de abril de 2017.
Ícone de esboço Este artigo sobre a Rússia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.