Protoss

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde fevereiro de 2012). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Os Protoss são uma raça no jogo de estratégia da Blizzard Entertainment, StarCraft. São tecnologicamente avançados, se utilizam de artefatos cibernéticos em batalha e são mestres na poderosa tecnologia psiônica. São os oponentes primários dos Zergs. Os Protoss são altamente religiosos e seguem um severo código conhecido como Khala. Durante o jogo eles travam uma guerra devastadora contra os Zergs e também sofrem com uma guerra civil causada pela hierarquia imposta pelo Khala.

Uma característica marcante dos Protoss no jogo é a de possuir unidades fortíssimas de imediato porém a um alto custo. https://upload.wikimedia.org/wikipedia/commons/8/8f/Zealot_%28StarCraft%29.png

Fisiologia[editar | editar código-fonte]

Os Protoss têm cerca de dois metros de altura e possuem olhos luminosos, pernas digitígradas (caminham na ponta dos dedos), quatro dedos em suas mãos (dois dedos flanqueados por dois polegares) e dedos dos pés. Possuem peitos e ombros largos e cinturas estreitas com finas interseções. Sua pele é macia e se torna áspera e rachada com a idade. Prolongada do topo da cabeça, os Protoss possuem uma crista óssea. Fora isso, a cabeça de um Protoss pode ser sutilmente diferente, variando de acordo com a tribo que eles sejam descendentes. Seus olhos são tipicamente azuis, amarelos, laranjas ou vermelhos, sendo as duas últimas cores mais comuns (mas não exclusivamente) dos Dark Templar. Como apenas uma Protoss fêmea é vista, e não em detalhes, as diferenças físicas (se existirem) entre machos e fêmeas são desconhecidas, assim como seu sistema reprodutor.

Protoss não têm nenhum nariz, orelhas ou boca visíveis. Apesar de ser incerto como seus sentidos de audição e olfato operam, eles são amplamente conhecidos por possuírem esses sentidos. No romance de StarCraft 'Firstborn', foi revelado que os Protoss podem realmente ouvir e cheirar. Também foi revelado que eles não precisam comer ou beber como humanos fazem, na verdade eles não possuem nenhuma boca. Ao contrário, seus corpos pegam energia do sol e das estrelas de alguma maneira, possivelmente absorvendo radiação estelar. Eles podem se comunicar telepaticamente um com outro, mesmo através de longas distâncias. A expectativa de vida de um Protoss é de várias centenas de anos, como o Protoss Artanis, que possui 262 anos de idade, é considerado jovem; enquanto Raszagal, com quase 1100 anos, é considerada idosa. Os Protoss possuem um pulso psiônico encapsulado em seu corpo físico. Uma vez o corpo destruído, o pulso psiônico se dissipa, brilhando com uma pálida luz azul.

Os Protoss também têm longos cabos neurais saindo da parte de trás de suas cabeças. Esses cabos são o que mantêm os Protoss conectados a 'rede' psíquica universal dos Protoss. Quando os Dark Templar se desligaram do corpo principal dos Protoss, eles primeiro danificaram seus cabos neurais para mostrar sua rebelião contra a casta dos High Templar e o Khala. Pode ser observado no clipe final da campanha dos Protoss na expansão Brood War que os Dark Templar mostram as pontas de seus cabos amarrados em várias formas de arte conceituais. Porém, eles se unem na mesma expansao e todos os High Templar e outros protoss sao salvos por eles.

Sociedade[editar | editar código-fonte]

Filosofia Protoss[editar | editar código-fonte]

A religião dos Protoss tem sua origem nas guerras que contaminaram Aiur após a retirada dos Xel'Naga. Unidos sob as técnicas de Khas, depois de muitas gerações de guerrilha, os Protoss começaram a aderir aos ensinamentos de Khas, o "Khala" - ou Caminho para Ascensão. Quando os guerreiros Protoss morrem em batalha acredita-se que eles alcançaram o "Fim de Khala". Existem muitas similaridades entre o Khala Protoss e religiões e movimentos filosóficos atuais e históricos. O paralelo mais óbvio é com a antiga (Pré-cristã) Roma. As doutrinas do Khala de coragem, responsabilidade e abnegação são remanescentes do Estoicismo de Marco Aurélio e muitos títulos "Protoss" como Executor, Judicator, Arbiter, Praetor e até mesmo Templar e também nomes como Antioch são derivados do Latim. O Khala possui um sistema de castas que carrega uma semelhança impressionante com o Hinduísmo moderno, até mesmo incluindo um grupo de “Intocáveis”, considerados do lado de fora do sistema de castas (os Dark Templar). Platão em seu livro "A República", também falou de três castas para sua perfeita polis que coincidem exatamente com as três castas Protoss: Elas são os líderes (Judicators), guardiões (templars) e os trabalhadores (khalai). A severidade da hierarquia Protoss é remanescente do Catolicismo Medieval e da ideologia Aristotélica scala naturae que influenciou as visões do Catolicismo sobre autoridade. Do mesmo modo a origem do nome da casta Templar remete aos Cavaleiros Templários, uma ordem sagrada que teve participação nas Cruzadas. Uma outra semelhança ao Catolicismo é o nome do Conclave, que é o mesmo nome do colégio de cardeais do Vaticano. Existe uma similaridade histórica com o Islamismo, na qual Khas uniu várias tribos sob uma única religião assim como Maomé fez com os povos nômades árabes. O conceito do Caminho para Ascensão pode também ter sido influenciado pelo Nobre Caminho Óctuplo budista. O termo Zealot (fanático) data da antiga Israel.

  • Khala (Caminho para Ascensão)
  • Dae'Uhl (Grande Liderança)

Figuras religiosas na sociedade Protoss[editar | editar código-fonte]

Khas[editar | editar código-fonte]

Originalmente conhecido como Savassan até que seu nome foi perdido, Khas foi uma figura proeminente na sociedade Protoss. Ele era um carismático lider espiritual que trouxe um fim à Aeon of Strife (Tempo de Conflito) usando antigos artefatos dos Xel'Naga, os Cristais Khaydarin, para unir as tribos guerreiras, chamando-as para uma matriz telepática comunitária. A crença de que era necessário a sobrevivência dos Protoss ficou conhecida como Khala, e foi seguida por quase todas as facções Protoss. O Caminho de Khala é a única e dominante religião na sociedade Protoss, e a posição social (por exemplo, Templar ou Judicator) e honra estão ligadas ao Khala.

Adun[editar | editar código-fonte]

Uma figura bem conhecida na cultura Protoss, ele é reverenciado tanto pelos Khalai quanto pelos Dark Templar. Um poderoso guerreiro em sua época, ele foi encarregado do extermínio das Rogue Tribes pelo Conclave. Incapaz de fazê-los assassinar sua própria espécie, Adun e sua tropa tentaram esconder os heréticos. Apesar dele ter falhado, ele iria ficar conhecido como o salvador pelos Dark Templar, e iria ganhar status similar em Aiur após o mito dos heréticos se espalhar, revelando que ele "salvou" Aiur dos heréticos e de seus modos "anárquicos". A frase "En Taro Adun" (traduzido grosseiramente como "Em honra de Adun") é usada pelos protoss como saudações ou despedidas formais, e também serve como grito de batalha, no entanto os Dark Templar usam regularmente "Adun Toridas" ao invés de "En Taro Adun". "Adun Toridas" pode ser traduzido grosseiramente como "Adun nos libertou".

Pré-História[editar | editar código-fonte]

Aiur é um dos muitos mundos projetados pelos Xel'Naga, uma raça de geneticistas extragaláticos, obcecados em criar a raça perfeita que seria marcada por uma distinta pureza da forma. Os Xel'Naga, após inúmeras falhas para criar tal raça, rumaram em direção a Aiur.

Eles observaram uma espécie particular de caçadores e guerreiros e discerniram que eles na verdade tinham a pureza da forma, assim como eram incrivelmente adaptáveis e tinham velocidade e força inigualáveis. No entanto, eles acharam a habilidade mais intrigante da espécie como sendo uma ligação psiônica compartilhada por toda raça. Essa ligação, uma forma de telepatia instintiva, permitia que eles se comunicassem entre si, assim até mesmo grandes grupos podiam trabalhar juntos eficientemente.

Os Xel'Naga, através dos seus Cristais Khaydarin, alteraram essa espécie para algo superior, mas estavam contentes em continuar escondidos por muitas gerações. Os Xel'Naga sentiram que eles tinham alcançado seu objetivo, e deram a nova raça o nome de Protoss, que pode ser traduzido imprecisamente como "o Primogênito". Aiur foi eventualmente coberta pelos Protoss civilizados, e então os Xel'Naga desceram a Aiur para poder estudar mais de perto a evolução de sua criação. Um templo marca onde eles aterraram pela primeira vez em Aiur. Os Xel'Naga foram a princípio reverenciados como deuses, os Protoss olharam para seus criadores com respeito e desejo por conhecimento. No entanto, como o entendimento e a consciência dos jovens Protoss crescia, eles começaram a colocar grande orgulho nas conquistas individuais em detrimento do benefício da comunidade. As várias tribos procuraram se distanciar uma das outras, buscando seu papel não apenas com sua sociedade imediata, mas com o universo como um todo.

As tribos começaram a temer a traição de seus mestres, e procurando se afastar do resto de sua raça, tentaram romper a ligação psíquica que elas compartilhavam. Isso dissolveu o que restava da irmandade e união que os Protoss haviam compartilhado. Sentindo que o mais precioso atributo dos Protoss fora perdido, os Xel'Naga começaram a se retirar de Aiur. No entanto, os Protoss desconfiados responderam com um ataque que destruiu numerosas naves dos Xel'Naga. A frota Xel'Naga escapou do ataque rápido e deixou o sistema. As tribos Protoss então se voltaram umas contra as outras, dando início ao Aeon of Strife, a guerra civil mais devastadora que se tem notícia na história da galáxia.

Aeon of Strife[editar | editar código-fonte]

Durante o Aeon of Strife o avanço dos Protoss ficou mais lento. As tribos travaram uma guerra massiva entre si que durou centenas de anos. Pouco é conhecido sobre esta época, mas sabe-se que os Protoss perderam a ligação psíquica que unia a raça. A mais famosa tribo desta época foi a Akilae Tribe que é reconhecida hoje por ter possuído os melhores guerreiros Protoss.

Aquele que Traz a Ordem[editar | editar código-fonte]

O místico Khas (uma palavra que significa "Aquele que traz a ordem") eventualmente trouxe um fim ao Aeon of Strife. Ele havia estudado as técnicas "proibidas" dos Xel'Naga e descoberto os Cristais Khaydarin. Com esses cristais ele foi capaz de amplificar a ligação psíquica que foi submergida nas mentes dos Protoss, e recriou a ligação.

Com esse poder, ele viajou através de Aiur, ensinando os Protoss que ele encontrou como se unir a ligação psíquica; isso se tornou a filosofia chamada de Khala. Eventualmente ele reuniu a maioria dos Protoss, formando três castas de acordo com a reorganização demandada pelo Khala.

O primeiro grupo de guerreiros e estudantes que se uniu a ele foi a Ara Tribe, que integrou a Casta Judicator. As outras Tribos que rapidamente se uniram também se tornaram membros dessa casta. O grupo seguinte de tribos se tornou a Casta Templar (os guerreiros), e a maioria dos Protoss se tornou a Casta Khalai (trabalhadores e artesãos), acabando com a guerra civil.

O Conclave, o conselho governamental dos Protoss, foi fundando também nesta época, unindo Aiur sob um único governo. A filosofia conhecida como Khala trouxe uma Segunda Era para os Protoss. A sociedade tribal desenvolveu-se em três castas: Judicator (liderada pelo Conclave), Templar e Khalai.

Rogues[editar | editar código-fonte]

Desconhecidos pela maioria dos Protoss nessa época, alguns Protoss se recusaram a unir-se ao Khala, eles contudo não participaram do Aeon of Strife. O Conclave Protoss ordenou que Adun e seus Templar exterminassem esses Protoss. Porém, Adun os ensinou a como eles podiam se esconder do Conclave e criar tempestades psiônicas. Ele tinha esperança de que essas tribos fossem perceber a tolice em resistir e iriam se unir ao Khala. Contudo a lição ensinada deu errado, como eles perceberam depois, sem a disciplina do Khala as tempestades não podiam ser propriamente controladas. As tempestades espiralaram sobre Aiur, revelando a presença das Rogue Tribes para os outros Protoss. As tribos fracamente reunidas começaram a lutar mais uma vez. Antigas rivalidades e preconceitos haviam renascido porque os Protoss que recusaram o caminho do Khala foram taxados como traidores e caçados.

Eventualmente o Conclave conseguiu um jeito de impor a ordem sobre os Protoss mais uma vez. As Rogue Tribes foram secretamente postas a bordo de uma Fragata Xel'Naga e exiladas de Aiur. O seu destino foi mantido em segredo da maioria dos outros Protoss. Posteriormente eles ficariam conhecidos, em lendas, como os Dark Templar. Esse Protoss, forçados a retirar energia do cosmos para dar poder a suas habilidades psiônicas, cerimonialmente danificaram os cabos neurais que os ligavam a comunidade telepática Protoss.

Dark Templar[editar | editar código-fonte]

A jornada das Rogue Tribes através das estrelas durou centenas de anos. Durante esse tempo a criação do Dark Archon foi banida, e o habito de cortar os cabos neurais se tornou comum. Para poder usar seus poderes, eles foram forçados a retirar energia do vácuo. Eles também desenvolveram sua frota de Corsários, naves desenhadas para defende-los enquanto viajam através das estrelas. Com o tempo eles aprenderam a controlar seus poderes, mais forte do que os do Khala mas sem suas limitações.

Durante essas jornadas as Rogue Tribes encontraram Char, provavelmente no começo de sua jornada. Antes mesmo dos Zerg alcaçarem Char, as Rogue Tribes de algum modo perderam o cristal Khalis no planeta. As Rogue Tribes posteriormente descobriram o planeta sombrio, Shakuras, durante suas viagens e permaneceram, devido a presença de um Templo Xel'Naga. No planeta, eles encontraram ou criaram um Warp Gate, um portal que eles podiam usar para viajar para Aiur. No entanto, eles não usaram o portal para se conectar a Aiur por um longo tempo.

Lutando para se adaptar ao ambiente hostil e quase sem luz de Shakuras, as Rogue Tribes alteraram suas habilidades e eventualmente sua biologia para se adaptar. Com 1046 anos de idade na época de StarCraft: Brood War, a Matriarca Raszagal era a única Dark Templar com idade suficiente para se lembrar claramente do exílio de Aiur e se tornou a líder dos Dark Templar.

O Primeiro Contato[editar | editar código-fonte]

Os Protoss conquistaram centenas de mundos nos extremos da galáxia, espalhando civilização para muitas raças menos avançadas que eles encontravam. Os Protoss seguiam o código Dae'uhl (Grande Liderança) nos planetas antes reivindicados pelos Xel'Naga. Eles começaram a supervisionar e proteger as formas menores de vida, mas eles raramenre interferiam.

Quandos os Terrans chegaram no Setor Kropulu, colonizando mais de uma dúzia de mundos dentro do espaço Protoss, os Protoss observaram em silêncio. Eles colocaram os humanos sob sua Liderança.

Os Protoss sofreram um desastroso contato com os Zerg. Tassadar, Executor da famosa Força Expedicionária Protoss, encontrou uma sonda espacial Zerg por acaso. A estranha criatura foi levada e examinada por cientistas. No entanto, os Protoss não compreenderam o que eles haviam descoberto. Posteriormente Tassadar ordenou que a criatura fosse examinada com um Cristal Khaydarin. Ele ficou aterrorizado com o que descobriu - não só ela reagiu naturalmente ao cristal (revelando sua origem Xel'Naga) como ele também pode ler pensamentos vagos - Encontrar a humanidade... Assimilar... Aprender... Evoluir. Isso foi reportado ao Protoss Conclave em Aiur, que ordenou que ele removesse a ameaça xenomórfica imediatamente. Eles perceberam que os Zerg secretamente estavam infestando planetas Terrans, então eles começaram a esterelizar esses planetas como meio de controlar a infestação.

Tassadar se aproximou de Chau Sara, um planeta-colônia Terran, em 8 de dezembro de 2499. Os Zerg haviam coberto o planeta com uma espécie de tapete orgânico, matando ou infestando todos seus habitantes. Ele relutantemente levou suas naves para a órbita e atacou, matando virtualmente toda a vida na superfície. Os Protoss destruíram seus primeiros alvos sem aviso ou misericórdia. Após o ataque a Chau Sara tem início a história de StarCraft.

Heróis e outros Protoss notáveis[editar | editar código-fonte]

  • High Templar Tassadar: Executor da Expedição Koprulu
  • Prelate Zeratul: Praetor dos Dark Templar
  • Praetor Artanis: Praetor da Força de Defesa Protoss
  • Praetor Fenix: Praetor da Força de Defesa Protoss
  • Judicator Aldaris: Conselheiro da Força Expedicionária Kropulu
  • Matriarch Raszagal: Matriarca dos Dark Templar
  • Taldarin
  • Ulrezaj

Tecnologia Protoss[editar | editar código-fonte]

  • Construções: Pylon (fonte de energia), Nexus (centro de recursos), Gateway(portal para unidades terrestres), Forge ( para pesquisas de armas), Shield Battery (recarregar escudos das unidades Protoss), Cybernetics Core (armas para unidades aéreas), Photon Cannon (estrutura de defesa), Citadel Of Adun (suporte para unidades), Stargate (portal para unidades aéreas), Robotics Facility (unidades mecânicas), Templar Archives (permite pesquisas para os Templars), Tribunal (pesquisas para o Arbiter), Fleet Beacon (pesquisa aérea avançada), Observatory (permite construir unidades espiãs).
  • Unidades: Probe (minerador robótico), Zealot (guerreiro terrestre), Dragoon (unidade anti-aérea bio-mecânica), High Templar (guerreiros com poderes psíquicos), Dark Templar (guerreiros invisível muito poderosos), Shuttle (transporte), Reaver (robô lançador de bombas), Observer (robô espião camuflado), Scout (caça de combate), Corsair (caça interceptador), Arbiter (nave de apoio e comando), Carrier (astronave de transporte de unidades de caça-bombardeio), Archon (unidade psíquica de combate)e Darck Archon (unidade psíquica de apoio especiaizado).

Ligações externas[editar | editar código-fonte]