Protriptilina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Estrutura química de Protriptilina
Protriptilina
Star of life caution.svg Aviso médico
Nome IUPAC (sistemática)
3-(5H-dibenzo[a,d][7]annulen-5-yl)-N-methylpropan-1-amine
Identificadores
CAS 438-60-8

1225-55-4 (cloridrato)
ATC N06AA11
PubChem 4976
DrugBank DB00344
ChemSpider 4805
Informação química
Fórmula molecular C19H21N 
Massa molar 263.377 g/mol
SMILES c3cc2c(\C=C/c1c(cccc1)C2CCCNC)cc3
Farmacocinética
Biodisponibilidade ?
Metabolismo ?
Meia-vida ?
Excreção ?
Considerações terapêuticas
Administração ?
DL50 ?

Protriptilina, vendida sob a marca comercial Vivactil entre outras, é um antidepressivo tricíclico (abreviados na literatura como TCA, do inglês tricyclic antidepressant), especificamente uma amina secundária, indicada para o tratamento de depressão e Transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) Unicamente entre a maioria dos TCAs, protriptilina tende a ser estimulante ao invés de sedativo, e às vezes é usada para narcolepsia para alcançar um efeito promotor de vigília.[1]

TCAs incluindo protriptilina também são usados para reduzir a incidência de cefaleias recorrentes tais como enxaqueca, e para outros tipos de dor crônica. Este medicamento também pode ser usado para tratamento da apneia do sono junto com um inibidor de anidrase carbônica.

Usos médicos[editar | editar código-fonte]

Protriptilina é usada principalmente para tratar depressão e para tratar a combinação de sintomas de ansiedade e depressão.[2] Como a maioria dos antidepressivos desta classe química e farmacológica, a protriptilina também foi usada em um número limitado de pacientes para tratar transtorno de pânico, transtorno obsessivo-compulsivo, transtorno de déficit de atenção/hiperatividade, enureses, distúrbios alimentares como bulimia nervosa, dependência de cocaína e a fase depressiva do transtorno bipolar (transtorno maníaco-depressivo). Também foi usado para apoiar os programas de cessação do tabagismo.[3]

Protriptilina está disponível em comprimidos de 5 mg e 10 mg.[1] As doses variam de 15 a 40 mg por dia e podem ser tomado em uma dose diária ou dividido em até quatro doses diárias.[1] Algumas pessoas com depressão grave podem exigir até 60 mg por dia.[1]

Em adolescentes e pessoas com mais de 60 anos, a terapia deve ser iniciada com uma dose de 5 mg três vezes por dia e aumentada sob supervisão de um médico conforme necessário.[1] Pacientes com mais de 60 anos que estão tomando doses diárias de 20 mg ou mais devem ser monitorados de perto para efeitos colaterais, como freqüência cardíaca rápida e retenção urinária.[1]

Como todos os TCAs, protriptilina deve ser usada com cautela e com uma estreita supervisão médica. Isto é especialmente importante para pessoas com glaucoma, especificamente glaucoma de ângulo fechado (a forma mais grave) ou retenção urinária, para homens com hiperplasia benigna da próstata (glândula prostática alargada), e para os idosos. Antes de iniciar o tratamento, as pessoas devem discutir os riscos relativos e os benefícios do tratamento com seus médicos para ajudar a determinar se protriptilina é o antidepressivo certo para eles.[4]

Contra-indicações[editar | editar código-fonte]

Protriptilina pode aumentar a freqüência cardíaca e o estresse no coração.[5] Pode ser perigoso para pessoas com doenças cardiovasculares, especialmente aquelas que sofreram recentemente um ataque cardíaco, tomar essa droga ou outros antidepressivos na mesma classe farmacológica.[5]

Referências

  1. a b c d e f American Society of Health-System Pharmacists. AHFS Drug Information 2002. Bethesda: American Society of Health-System Pharmacists, 2002.
  2. DURAMED PHARMACEUTICALS, INC., . (Ed.). (2007). Protriptyline drug facts. Pomona, New York : Barr Pharmaceuticals, Inc.
  3. ULTRAM, . (Ed.). (2007). Protriptyline. Ortho-McNeil Pharmaceutical Inc.
  4. Kirchheiner, J; Nickchen, K; Bauer, M; Wong, M-L; Licinio, J; Roots, I; Brockmöller, J (maio de 2004). «Pharmacogenetics of antidepressants and antipsychotics: the contribution of allelic variations to the phenotype of drug response». Mol. Psychiatry. 9 (5): 442–73. PMID 15037866. doi:10.1038/sj.mp.4001494 
  5. a b Advameg, Inc. (2010). Protriptyline at MindDisorders.com