Província de Goiás

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa



Província de Goiás
Província de Goiás

Província do Reino Unido de Portugal,
Brasil e Algarves
(1821-1822)
Província do Império do Brasil (1822-1889)

Flag of the Princes of Brazil.svg
1821 – 1889 Flag of Goiás.svg
Flag Brasão
Bandeira Brasão
Localização de Goiás
Localização da Província
Continente América do Sul
Capital Vila Boa de Goiás
15° 02' S 49° 15' O
Língua oficial Português
Religião Católica romana [a]
Governo Monarquia constitucional
Presidente de Província
 • 1824 - 1827 Caetano Maria Lopes Gama (primeiro)
 • 1889 Eduardo Augusto Montandon (último)
Legislatura Assembleia Legislativa Provincial [b]
Período histórico Século XIX
 • 28 de fevereiro de 1821 Mudança de Capitania para Província
 • 15 de novembro de 1889 Proclamação da República
Moeda Réis
a. Art. 5º: A Religião Católica Apostólica Romana continuará a ser a religião do Império. Todas as outras religiões serão permitidas com seu culto doméstico, ou particular, em casas para isso destinadas, sem forma alguma exterior de templo.[1]
b. Criada a partir do Ato Adicional de 1834.

A Província de Goiás foi uma província do Reino do Brasil, e posteriormente do Império do Brasil, tendo sido criada em 28 de fevereiro de 1821 a partir da Capitania de Goiás. Atualmente a província corresponde ao Distrito Federal e aos estados de Goiás e do Tocantins, além de parte dos estados de Minas Gerais (Triângulo Mineiro) e de Mato Grosso do Sul.

História[editar | editar código-fonte]

Goiás na Guerra do Paraguai[editar | editar código-fonte]

Ver artigo principal: Guerra do Paraguai
Expedição brasileira para Mato Grosso: Acampamento da divisão expedicionária nas matas virgens de Goiás, na altura do Rio dos Bois.

Goiás teve grande papel durante a Guerra do Paraguai[2]. A província foi bastante importante no auxílio e participação, enviando contingente humano e víveres. Inicialmente, Goiás, enviou um batalhão de caçadores, uma companhia de voluntários e um esquadrão de cavalaria para auxílio[2]. Saíram da província em 24 de agosto de 1865, para Coxim[2]. O esquadrão de cavalaria partiu no dia 18 de julho, sob comando de Joaquim Mendes Guimarães[2]. No ano seguinte, partia da cidade de Goiás o Batalhão dos Voluntários da Pátria, sob o comando do coronel José Joaquim de Carvalho, seguindo para Miranda e Apa. Muito sofreram no pantanal com doenças, fome e privações[2].

A Igreja de Nossa Senhora da Boa Morte foi onde os goianos celebraram o fim da Guerra do Paraguai[2].

As tropas Goianas chegaram no Paraguai em 1867, sob o comando do coronel Carlos Camisão[2]. A tiros de artilharia, os goianos expulsaram o inimigo da região de Nioac. O Batalhão do 20, goiano, foi o primeiro a pisar no solo paraguaio e ali hasteou o pavilhão nacional[2]. Daí em diante tomou o Forte de Bela Vista. A tropa, porém, já estava reduzida a 1700 praças; muitos mortos em combate outros pela epidemia de varíola e deserções[2].

Comandada pelo capitão dos Voluntários da Pátria, Vicente Miguel da Silva, de Bonfim de Goiás, o batalhão goiano participou da Retirada da Laguna[2]. A tropa sofreu grandes baixas com o ataque inimigo a seguir, fazendo-os recuar ao território brasileiro, premidos pela fome e cólera[2].

A província foi muito participativa no envio de víveres ao campo de batalha, auxiliando a Guarda Nacional na guerra contra a fome. Os principais víveres enviados por Goiás foram farinha, arroz, feijão, toucinho, carne seca e outros (como rapadura e sacos de algodão)[2].

Recrutamento[editar | editar código-fonte]

Muitos escravos e civis, de diversas cidades, vilas e arrais de Goiás, foram recrutados para o Batalhão dos Voluntários da Pátria[2].

Muitos goianos, escravos, negros, mulatos, eram enviados para o confronto sem a mínima condição de preparo bélico[2].

Dados de alguns recrutamentos em Goiás para a Guerra do Paraguai
Cidade/Vila/Arraial Quantidade
Santa Cruz de Goiás 29
Morrinhos 28
Curralinho 20
Santa Luzia 28
Vila Boa de Goiás (capital) 20
Dores do Rio Verde 20
Jaraguá 22
Formosa 24
Meia Ponte 28
Vai-Vem 20
Corumbá de Goiás 24
Bonfim 28

Demografia[editar | editar código-fonte]

Município de Goiás em 1830.
População livre na Província de Goiás em 1872[3]
Cor/Raça Quantidade Porcentagem
Brancos 41.929 28,0%
Caboclos 4.250 2,9%
Negros e Pardos 103.564 69,1%
Total 149.743 100%
População de Goiás em 1856 e 1872[4]
Categoria Ano Quantidade Porcentagem Ano Quantidade Porcentagem
Escravo 1856 12.334 10,1% 1872 10.652 6,6%
Livre 1856 109.658 89,9% 1872 149.743 93,4%
Total 1856 121.992 100,00% 1872 160.395 100,00%
Estatística de Escravizados em Goiás – 1823, 1864, 1872, 1874, 1884 e 1887[5]
1823 1864 1872 1874 1884 1887
24.000 15 000 10.652 8 800 7 710 4 955
Número de estrangeiros livres em Goiás no ano de 1872[6]
Categoria Número
Mulheres 77
Homens 150
Total 227
Estimativa da população de Goiás em 1860[7]
Província Capital População Escravos Exército
polícia
Guarda Nacional
Goiás[8] Vila Boa 200.000 15.000 300 13.000

Governadores[editar | editar código-fonte]

Nome Imagem Início do mandato Fim do mandato
1 Álvaro José Xavier
José Rodrigues Jardim
Raimundo Nonato Jacinto
João José do Couto Guimarães
Joaquim Alves de Oliveira
Luís Gonzaga de Camargo Fleury
Inácio Soares de Bulhões
8 de abril de 1822 14 de setembro de 1824
2 Caetano Maria Lopes Gama,
visconde de Maranguape
Caetano maria lopes gama.jpg 14 de setembro de 1824 24 de outubro de 1827
3 Miguel Lino de Morais 24 de outubro de 1827 14 de agosto de 1831
4 Luís Bartolomeu Marques 14 de agosto de 1831 31 de dezembro de 1831
5 José Rodrigues Jardim 31 de dezembro de 1831 20 de março de 1837
6 Luís Gonzaga de Camargo Fleury 20 de março de 1837 4 de setembro de 1839
7 José de Assis Mascarenhas 4 de setembro de 1839 1º de março de 1841
8 José Rodrigues Jardim 1º de março de 1841 13 de novembro de 1841
9 José de Assis Mascarenhas 13 de novembro de 1841 19 de março de 1842
10 Francisco Ferreira dos Santos Azevedo 19 de março de 1842 10 de junho de 1842
11 José de Assis Mascarenhas 10 de junho de 1842 9 de novembro de 1842
12 Francisco Ferreira dos Santos Azevedo 9 de novembro de 1842 17 de outubro de 1843
13 José de Assis Mascarenhas 17 de outubro de 1843 29 de março de 1844
14 Francisco Ferreira dos Santos Azevedo 29 de março de 1844 30 de junho de 1844
15 José de Assis Mascarenhas 30 de junho de 1844 19 de setembro de 1845
16 Joaquim Inácio Ramalho 19 de setembro de 1845 19 de fevereiro de 1848
17 Antônio de Pádua Fleury 19 de fevereiro de 1848 11 de junho de 1849
18 Eduardo Olímpio Machado 11 de junho de 1849 11 de julho de 1850
19 Antônio Joaquim da Silva Gomes 11 de julho de 1850 20 de dezembro de 1852
20 Francisco Mariani 20 de dezembro de 1852 25 de abril de 1854
21 Antônio Augusto Pereira da Cunha 25 de abril de 1854 8 de maio de 1854
22 Antônio Cândido da Cruz Machado 8 de maio de 1854 28 de setembro de 1855
23 Antônio Augusto Pereira da Cunha 28 de setembro de 1855 1º de agosto de 1857
24 João Bonifácio Gomes de Siqueira 1º de agosto de 1857 8 de outubro de 1857
25 Francisco Januário da Gama Cerqueira 8 de outubro de 1857 1º de maio de 1860
26 Antônio Manuel de Aragão e Melo 1º de maio de 1860 21 de abril de 1861
27 José Martins Pereira de Alencastre 21 de abril de 1861 26 de junho de 1862
28 Caetano Alves de Sousa Filgueiras 26 de junho de 1862 5 de novembro de 1862
29 João Bonifácio Gomes de Siqueira 5 de novembro de 1862 8 de janeiro de 1863
30 José Vieira Couto de Magalhães Couto de Magalhães.jpg 8 de janeiro de 1863 5 de abril de 1864
31 João Bonifácio Gomes de Siqueira 5 de abril de 1864 27 de abril de 1865
32 Augusto Ferreira França 27 de abril de 1865 29 de abril de 1867
33 João Bonifácio Gomes de Siqueira 29 de abril de 1867 11 de outubro de 1868
34 Ernesto Augusto Pereira 11 de outubro de 1868 6 de outubro de 1870
35 João Bonifácio Gomes de Siqueira 6 de outubro de 1870 25 de abril de 1871
36 Antero Cícero de Assis 25 de abril de 1871 6 de outubro de 1871
37 João Bonifácio Gomes de Siqueira 6 de outubro de 1871 8 de outubro de 1871
38 Antero Cícero de Assis 8 de outubro de 1871 25 de junho de 1878
39 Teodoro Rodrigues de Morais 25 de junho de 1878 22 de agosto de 1878
40 Luís Augusto Crespo 22 de agosto de 1878 14 de janeiro de 1879
41 Teodoro Rodrigues de Morais 14 de janeiro de 1879 18 de março de 1879
42 Aristides de Sousa Spínola Aristides Spinola.jpg 18 de março de 1879 28 de dezembro de 1880
43 Teodoro Rodrigues de Morais 28 de dezembro de 1880 1º de fevereiro de 1881
44 Joaquim de Almeida Leite Morais 1º de fevereiro de 1881 9 de dezembro de 1881
45 Teodoro Rodrigues de Morais 9 de dezembro de 1881 20 de junho de 1882
46 Cornélio Pereira de Magalhães 20 de junho de 1882 20 de setembro de 1882
47 Teodoro Rodrigues de Morais 20 de setembro de 1882 22 de fevereiro de 1883
48 Antônio Gomes Pereira Júnior 22 de fevereiro de 1883 25 de outubro de 1883
49 Antônio José Caiado 25 de outubro de 1883 6 de fevereiro de 1884
50 Camilo Augusto Maria de Brito 6 de fevereiro de 1884 3 de setembro de 1884
51 Antônio José Caiado 3 de setembro de 1884 1º de novembro de 1884
52 José Acioli de Brito 1º de novembro de 1884 17 de outubro de 1885
53 Júlio Barbosa de Vasconcelos 17 de outubro de 1885 7 de janeiro de 1886
54 Guilherme Francisco Cruz 7 de janeiro de 1886 27 de fevereiro de 1886
55 Júlio Barbosa de Vasconcelos 27 de fevereiro de 1886 14 de agosto de 1886
56 Luís Silvério Alves Cruz 14 de agosto de 1886 9 de agosto de 1887
57 Antônio Pereira de Abreu Júnior 9 de agosto de 1887 9 de agosto de 1887
58 José Joaquim de Sousa 9 de agosto de 1887 11 de agosto de 1887
59 Felicíssimo do Espírito Santo 11 de agosto de 1887 20 de outubro de 1887
60 Fulgêncio Firmino Simões 20 de outubro de 1887 3 de janeiro de 1888
61 Felicíssimo do Espírito Santo 3 de janeiro de 1888 6 de janeiro de 1888
62 Fulgêncio Firmino Simões 6 de janeiro de 1888 20 de fevereiro de 1888
63 Felicíssimo do Espírito Santo 20 de fevereiro de 1888 6 de março de 1889
64 Elísio Firmo Martins 6 de março de 1889 4 de agosto de 1889
65 Eduardo Augusto Montandon 4 de agosto de 1889 6 de dezembro de 1889

Municípios[editar | editar código-fonte]

Esse são os prováveis municípios da província.

Município
Cidade de Goiás ou Vila Boa de Goiás
Pirenópolis
Formosa
Niquelândia
Iporá
Silvânia
Luziânia
Rio Verde
Corumbá de Goiás
Catalão
Santa Cruz de Goiás
Pilar de Goiás
Itaberaí
São Domingos
Posse
Cavalcante
Piracanjuba
Planaltina
Ipameri
Orizona
Caiapônia
Morrinhos
São Francisco de Goiás
Sítio d'Abadia

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Constituição Imperial de 1824, p. 1,3 e 21
  2. a b c d e f g h i j k l m n Bento Fleury. «Goyaz no sesquicentenário da Guerra do Paraguai». DM. Consultado em 3 de abril de 2016 
  3. Karla Alves Coelho Tertuliano De Barros. «EDUCAÇÃO E "INGÊNUOS" EM GOIÁS 1871-1888» (PDF). Universidade Federal de Goiás Câmpus Catalão Programa de Pós-Graduação em Educação. Consultado em 3 de abril de 2016 
  4. Karla Alves Coelho Tertuliano De Barros. «EDUCAÇÃO E "INGÊNUOS" EM GOIÁS 1871-1888» (PDF). Universidade Federal de Goiás Câmpus Catalão Programa de Pós-Graduação em Educação. Consultado em 3 de abril de 2016 
  5. Karla Alves Coelho Tertuliano De Barros. «EDUCAÇÃO E "INGÊNUOS" EM GOIÁS 1871-1888» (PDF). Universidade Federal de Goiás Câmpus Catalão Programa de Pós-Graduação em Educação. Consultado em 3 de abril de 2016 
  6. Karla Alves Coelho Tertuliano De Barros. «EDUCAÇÃO E "INGÊNUOS" EM GOIÁS 1871-1888» (PDF). Universidade Federal de Goiás Câmpus Catalão Programa de Pós-Graduação em Educação. Consultado em 3 de abril de 2016 
  7. William Scully (1868). Brazil. Londres: Trübner & company, pp. 146-147
  8. Scully, 1868: 215

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia de Goiás é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Ícone de esboço Este artigo sobre História do Brasil é um esboço relacionado ao Projeto História do Brasil. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.