Psittacula eupatria

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Como ler uma infocaixa de taxonomiaGrande Alexandre

Psittacula eupatria

[[Imagem:Alexandrine parakeet.jpg Psittacula eupatria|250px|]]
Estado de conservação
Quase ameaçada
Quase ameaçada (IUCN 3.1)
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Psittaciformes
Família: Psittaculidae
Género: Psittacula
Espécie: P. eupatria
Nome binomial
Psittacula eupatria
(Linnaeus),1766
Distribuição geográfica
Distribuição geográfica da espécie.
Distribuição geográfica da espécie.

Psittacula eupatria é uma espécie de ave da família Psittaculidae e do gênero Psittacula. Conhecido popularmente como Grande Alexandre ou Papagaio Alexandrino.[1] Essa espécie é nativa do Sul da Ásia. Tem uma esperança média de vida entre os 12 e 15 anos na natureza e entre os 30 e 40 anos em cativeiro.[2][3][4]

História e definição[editar | editar código-fonte]

Mapa do Império de Alexandre, o Grande: território por onde Alexandre o Magno avançou com suas tropas, conquistou povos e espalhou a espécie Psittacula eupatria
Estátua de Alexandre, o Grande montado em seu cavalo Bucephalos
Um magnífico exemplar em seu habitat natural.

O Grande Alexandre ou Papagaio Alexandrino Psittacula Eupatria, é um papagaio de tamanho médio do gênero Psittacula da família Psittacidae. Tem o nome de Alexandre, o Grande que transportou numerosas aves de Punjab na Índia para vários países e regiões europeias e mediterrânicas, onde foram valorizados pela realeza, nobreza e senhores da guerra. O Grande Alexandre estabeleceu populações selvagens na Espanha, Inglaterra, Bélgica, Holanda, Alemanha, Turquia, Arábia Saudita, Bahrein, Qatar, Emirados Árabes Unidos, Irã, Hong Kong e Japão, onde vive ao lado de populações selvagens de seu parente próximo, o periquito de colar ou Ring Neck Psittacula krameri.[5] [6] [7]

Taxonomia e etimologia[editar | editar código-fonte]

Um desenho retratando o Grande Alexandre

O Grande Alexandre foi descrito pela primeira vez pelo zoólogo francês Mathurin Jacques Brisson como Psittaca Ginginiana ou "La Perruche de Gingi" (O Periquito de Gingi) em 1760; depois da cidade de Gingee, no sudeste da Índia, que era então um posto avançado francês. As aves podem, no entanto, apenas terem sido mantidas em cativeiro lá. Carl Linnaeus redescreveu o papagaio Alexandrino em 1766 como Psittacus eupatria. O nome do gênero Psittacula é um diminutivo da palavra latina psittacus que significa "papagaio", e o nome específico eupatria é derivado do grego antigo palavras eu- significando "bem" e patriá significando "descida".[8][9][10]

Filogenia[editar | editar código-fonte]

O Grande Alexandre na natureza

A análise genética das sequências mitocondriais do citocromo b de papagaios Psittacula mostrou que o Grande Alexandre por ser da espécie Psittacula, divergiu da linhagem que deu origem ao Periquito-de-colar ou Ring Neck Psittacula krameri, ao Periquito-das-Seychelles Psittacula Wardi, ao Periquito-cabeça-de-ameixa Psittacula cyanocephalla, ao Periquito-Moustache Psittacula alexandri, ao Periquito-da-china Psittacula derbiana, ao Periquito-do-himalaia Psittacula hymalaiana, ao Periquito-de-malabar Psittacula colboides, Periquito-de-cabeça-cinza Psittacula finschii, ao Periquito-de-cabeça-rosa Psittacula roseata, ao Periquito-de-colarinho-verde Psittacula calthropae, ao Periquito-de-nicobar Psittacula caniceps, ao Periquito-de-Maurício Psittacula eques e aos lamentávelmente extintos Periquito-de-Rodrigues Psittacula exsul e Periquito-cinzento-de-Maurício Psittacula bensoni há cerca de 5 milhões de anos.[11][12][13]

Descrição[editar | editar código-fonte]

Macho da espécie: nota-se o colar preto rosa que o diferencia da fêmea.

O Grande Alexandre é um dos maiores papagaios do mundo, medindo de 56 a 62 cm (22 a 24 polegadas) do topo da cabeça até a ponta da cauda e pesando 200 a 300 g (7,1 a 10,6 oz). A cauda mede 28 a 35 cm (11 a 14 in). É predominantemente verde, com um brilho azul-acinzentado nas bochechas e nuca, abdômen verde-amarelo, mancha vermelha nos ombros e bico vermelho com pontas amarelas. A parte superior da cauda passa de verde no topo a azul mais abaixo, e é amarela na ponta. A parte inferior da cauda é amarela. Os adultos são sexualmente dimórficos. Os machos adultos têm uma faixa preta sob as bochechas seguindo um anel preto até a nuca e uma faixa rosa na nuca. As fêmeas adultas não têm uma faixa preta nas bochechas inferiores e uma faixa rosa na nuca. Os jovens são semelhantes em aparência às fêmeas adultas, mas possuem caudas mais curtas.[14][15][16]

Fêmea da espécie: não possui o colar preto rosa.

Subespécies[editar | editar código-fonte]

Cinco subespécies de Grande Alexandre são atualmente reconhecidas. Informações sobre as diferenças de distribuição e plumagem das diferentes subespécies são dadas abaixo.

Subespécie 1. Grande Alexandre Psittacula eupatria eupatria, distribuída na Índia Ocidental, no Sul da Índia e em Sri Lanka. Nota: Nomeia a espécie.

Psittacula eupatria eupatria

Subespécie 2. Grande papagaio indiano Psittacula eupatria nipalensis, distribuída no Afeganistão Oriental, Paquistão, Norte da Índia, Índia Central, Leste da Índia, Nepal e Butão. Nota: É maior que as subespécies nomeadas e mais verde-acinzentado. A parte de trás da cabeça e bochechas são lavadas com azul. Os machos adultos têm uma faixa preta mais larga na bochecha inferior.

Subespécie 3. Grande papagaio birmanês Psittacula eupatria avensis, distribuída no Nordeste da Índia, Bangladesh e Mianmar. Nota: Tem um bico menor do que as subespécies nominais. Os machos se parecem com P. e. nipalensis, no entanto, o pescoço e as partes inferiores são mais amareladas e há uma estreita faixa azul no pescoço.

Subespécie 4. Grande papagaio de Andaman Psittacula eupatria magnirostris, distribuída nas Ilhas Andaman e Ilhas Coco. Nota: É um pouco maior do que a subespécie nomeada e tem um bico maior e mais brilhante. Os machos têm uma faixa azul estreita acima da faixa da nuca.

Subespécie 5. Papagaio tailandês com colar rosa Psittacula eupatria siamensis, distribuída no Vietnã, Camboja, Laos e Tailândia. Nota: É menor do que a subespécie nomeada e tem um a mancha rosa da asa mais pálida. Ele também tem o rosto e pescoço amarelado. Os machos se parecem com P. e. avensis, no entanto, a parte de trás da cabeça e nuca são lavadas com azul.[17][18][19]

Ecologia e Comportamento[editar | editar código-fonte]

Exemplar na natureza.

O Grande Alexandre vive em florestas, bosques, terras agrícolas e florestas de mangue a altitudes de até 900 m (3.000 pés). Ele come uma variedade de sementes selvagens e cultivadas, botões, frutas e nozes. Os bandos podem causar grandes danos ao amadurecimento de frutas e grãos, como milho e trigo. Geralmente vive em pequenos rebanhos, mas forma grupos maiores em áreas onde a comida é abundante ou nos poleiros comuns.

O Grande Alexandre em seu habitat natural

O Grande Alexandre tem uma variedade de chamadas, incluindo um trollieu tocando, alto kree-aar ou keeak, klak-klak-klak-klak profundo e gr-aak ressonante. Suas chamadas são geralmente mais profundas, mais duras e mais ressonantes do que as do Periquito-de-colar (Ring Neck). Sua voz se torna mais dura quando alarmada, e grita alto quando está assediando predadores. Os bandos ocasionalmente vocalizam animadamente juntos. É conhecido por imitar a fala humana em cativeiro.[20][21][22]

Reprodução[editar | editar código-fonte]

Um casal de Grandes Alexandres: momento em que o macho alimenta a fêmea. Ato comum em toda a época da reprodução.

Os Grandes Alexandres se reproduzem de novembro a abril em sua variedade nativa. Eles costumam se aninhar em cavidades de árvores, mas às vezes usam buracos de árvores escavados por eles mesmos ou rachaduras em prédios. As fêmeas colocam de 2 a 4 ovos ovais, de forma ovalada e romba, medindo 27 a 34 mm (1,1 a 1,3 pol). O período médio de incubação é de 24 dias. Nessa época a fêmea fica completamente dependente do macho agindo como uma inválida esperando ser alimentada e não sai do ninho em hipótese alguma, enquanto que o macho, por sua vez, passa o dia saindo em busca de alimento, e ao retornar, regurgita grande parte do que conseguiu direto no bico da fêmea. Os filhotes têm cerca de 7 de cm e dependem de seus pais até 3 a 4 meses de idade. [23][24][25]

Grande Alexandre em plena reprodução: no ninho as fêmeas ficam superprotetoras.

Avicultura[editar | editar código-fonte]

Interação com seres humanos: em cativeiro são facilmente domesticáveis.

Grande Alexandres são aves de estimação relativamente populares, devido à sua longa vida em cativeiro, comportamento lúdico e capacidade de imitar a fala humana. Acredita-se que Alexandre, o Grande, tenha mantido um como animal de estimação.

Filhote de Grande Alexandre criado em cativeiro.

Eles são uma das aves de gaiola mais procuradas no mercado indiano. De acordo com dados do CITES, pelo menos 57.772 papagaios Alexandrinos foram importados para países fora de sua faixa nativa entre 1981 e 2014. [26][27][28]

Grande Alexandre criado em cativeiro.
Filhotes em crescimento.

Alimentação[editar | editar código-fonte]

Grande Alexandre em cativeiro sendo alimentado

Na natureza, comem frutas, verduras, legumes, sementes, grãos e até partes de flores. Em cativeiro, costuma-se oferecer ração comercial específica, sementes, grãos e frutas.

Grande Alexandre se alimentando.

Conservação[editar | editar código-fonte]

O vôo do Grande Alexandre.

O Grande Alexandre está listado como quase ameaçado pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) por causa de seu declínio populacional em sua faixa nativa devido à perda de habitat, perseguição e captura excessiva para atender às demandas do comércio ilegal de vida selvagem. É esporádica no sul da Índia, incomum em Bangladesh, e declínio em Bengala do Norte e em certas partes do Sri Lanka. Ela sofreu os maiores declínios populacionais nas províncias de Sindh e Punjab, no Paquistão, no Laos, no noroeste e no sudoeste do Camboja, e na Tailândia. A venda de Grande Alexandres é proibida no Paquistão, mas eles podem ser encontrados sendo vendidos abertamente nos mercados de Lahore e Rawalpindi. Sua venda também é proibida na Índia e, no entanto, eles são vendidos em plena luz do dia nos mercados urbanos de aves, sugerindo que o governo indiano está alocando recursos insuficientes para sua proteção.

Alexandrine Parakeet (7848777896).jpg

Cultura[editar | editar código-fonte]

Desenho retratando o Grande Alexandre

Tailândia, Mongólia e Irã emitiram selos postais que retratam o papagaio Alexandrino.

Referências

  1. «Periquito Alexandrino». Consultado em 8 de outubro de 2014. Cópia arquivada em 8 de outubro de 2014 
  2. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  3. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  4. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9
  5. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  6. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  7. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9
  8. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9
  9. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  10. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  11. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  12. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  13. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9
  14. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9
  15. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  16. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  17. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  18. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  19. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9
  20. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9
  21. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  22. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  23. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9
  24. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  25. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  26. https://www.mascotarios.org/pt/cotorra-alejandrina/
  27. http://datazone.birdlife.org/species/factsheet/22685434
  28. https://avibase.bsc-eoc.org/species.jsp?avibaseid=1021FA920B6915F9

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Psittacula eupatria
Wikispecies
O Wikispecies tem informações sobre: Psittacula eupatria
Ícone de esboço Este artigo sobre Aves, integrado no Projeto Aves é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.