Psoríase pustulosa

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Psoríase pustulosa
Psoríase pustulosa palmoplantar
Classificação e recursos externos
CID-10 L40.1
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Psoríase pustulosa é uma forma rara de psoríase, doença inflamatória que afeta o ciclo de vida das células da pele. A psoríase pustulosa se caracteriza pelo aparecimento de lesões com pus estéreis (sem infecção), que podem ser localizadas ou generalizadas.[1]

Classificação[editar | editar código-fonte]

Pustulosa localizada[editar | editar código-fonte]

É conhecida também como psoríase pustulosa palmoplantar ou psoríase de Baber, apresenta-se como pústulas estéreis, acometendo os dedos e as regiões volares das mãos e dos pés. O processo é extremamente crônico, sendo mais frequente em mulheres adultas.

Existe uma correlação entre psoríase pustulosa e tabagismo, especialmente em mulheres fumantes. [2]

Pustulosa generalizada[editar | editar código-fonte]

Quadro raro, por vezes fatal, caracterizado por erupção pustulosa repentina, em doentes com formas de envolvimento moderado ou com artrite psoriática ou com eritrodermia esfoliativa, e acompanhada de febre, leucocitose, artralgia, mal-estar e outros fenômenos constitucionais. As pústulas podem coalescer formando grandes lagos de pus. Por vezes é desencadeada pelo uso e pela posterior interrupção de corticosteróides sistêmicos, pelo uso de iodetos, salicilatos e progesterona e por hipocaliemia. Crianças apresentam um prognóstico melhor do que os adultos, mas raramente afetam crianças. A mortalidade é de 25%.[3]

Pustulosa Gestacional[editar | editar código-fonte]

Também chamada de Impetigo herpetiforme é caracterizada por lesões simétricas e agrupadas. Geralmente começa no terceiro trimestre da gravidez e desaparece poucos dias após o parto, mas ocasionalmente persiste muitos meses mais. Pode ser tratado com ciclosporina.[4]

Referências

  1. «ABC da Saúde» (em {{subst:((pt))}}) 
  2. livro: Psoríase Descobertas Além da Pele. Sabbag, C. Editora Yendis 2010
  3. Ryan, T.J., and Baker, Harvey. “The Prognosis of Generalized Pustular Psoriasis.” British Journal of Dermatology 85.5 (1971): 407–411. Print.
  4. Hazarika, Debeeka. “Generalized Pustular Psoriasis of Pregnancy Successfully Treated with Cyclosporine.” Indian Journal of Dermatology, Venereology & Leprology 75.6 (2009): 655–658. Print.