Pular corda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a canção do grupo musical infantil brasileiro, veja Trem da Alegria.
Pula corda

Pular corda
Saltadores em festival em Zagrebe, na Croácia, em 2016.

Outros nomes Pular corda, saltar corda, salto à corda, rope skipping, double dutch
Autoridade máxima
Origem USA
Participantes Individual ou equipes
Equipamento Corda, tênis
Crianças brincando na modalidade de cordas duplas.
Militares estadunidenses competindo em momento de lazer.

Pular corda ou saltar corda é uma brincadeira tradicional que envolve grande atividade física e coordenação motora. Tais características fizeram da recreação um desporto. Nesse sentido, a prática esportiva do pula-corda,[1] também referida como salto à corda[2] (em inglês: rope skipping, jump rope, double dutch),[3][4] consiste não apenas em pular corda, mas sim executar uma série de saltos, acrobacias, manejos com a corda, buscando a sincronia dos saltadores com uma música em execução.[2][5] O esporte é praticado tanto individualmente, com cordas pequenas, quanto em grupo, com cordas longas.[2] Essa recreação está conquistando vários adeptos na atualidade, principalmente nas academias, já que pular corda é um dos exercícios físicos mais recomendados quando o assunto é emagrecer e definir o corpo.

O surgimento da prática esportiva é datada da década de 1970 nos Estados Unidos.[2][3] Mais precisamente a esportivização é atribuída ao professor estadunidense Richard Cendali, em 1969.[6]

São quatro provas existentes no esporte: a prova de saltos triplos, em que o saltador realiza diversas séries de saltos de passar a corda três vezes num único salto; a prova de velocidade, em que o saltador tem 30 segundos para se apresentar e quando é contado o número de vezes que ele toca seu pé direito no chão; a prova de resistência, quem que o saltador tem três minutos de apresentação; e a prova de estilo livre, em que a música é acompanhada ritmicamente pelos movimentos do saltador.[3] Há ainda as modalidades de corda simples (manobras individuais e exercícios de velocidade), corda dupla holandesa (manobras individuais ou coletivas e exercícios coreografados), roda chinesa (saltador segura uma das pontas batendo a corda e também realizando as manobras).[7][6]

Organizações dirigentes[editar | editar código-fonte]

Mundialmente, o esporte é regulado por duas organizações. Uma delas é a Federação Internacional de Salto à Corda (FISAC; em francês: Fédération Internationale de Saut à la Corde; em inglês: International Rope Skipping Federation, IRSF),[7] que sucedeu a Organização Internacional de Pula-corda (International Rope Skipplng Organizatíon, IRSO) fundada em 1983.[6] A Confederação Brasileira de Rope Skipping esta filiada a esta organização.A outra entidade mundial é a Federação Mundial de Pula-corda (em inglês: World Jump Rope Federation, WJRF).

  • Europa — European Rope Skipping Organisation (ERSO)
  • Bélgica — Belgische Rope Skipping Federatie (BRSF)
  • Países Baixos — Nederlandse Rope Skipping Organisatie (NRSO)

Competições[editar | editar código-fonte]

  • 2016 — Campeonato mundial em Malmö, Suécia[8]

Desportistas[editar | editar código-fonte]

  • Vivien Vadja — saltadora brasileira pentacampeã mundial, entre 2010 e 2013.[3]

Representações artísticas[editar | editar código-fonte]

Cartaz do filme documentário estadunidense Doubletime.

O esporte já foi tema no cinema. No filme da Disney, Jump In! (Salte!, no Brasil; Salta! em Portugal), é contada a história de um pugilista que entra para uma equipe de pula-corda.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Conheça a campeã mundial de "pula-corda" - Record Play - R7 Esporte Fantástico». tv.r7.com. Consultado em 3 de janeiro de 2017. 
  2. a b c d Guterman, Tulio. «Rope Skipping: analisando a adesão e a desistência na prática desta modalidade no projeto de extensão da Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp». www.efdeportes.com. Consultado em 3 de janeiro de 2017. 
  3. a b c d «Conheça Vivien Vadja, a pentacampeã brasileira de "Pula Corda"». revistaepoca.globo.com 
  4. Esporte Espetacular | Pular corda vira esporte reconhecido no Brasil e recebe o nome de 'double dutch' | Globo Play, consultado em 3 de janeiro de 2017. 
  5. O Esporte Rope Skipping
  6. a b c Sato, Ana Paula Barbosa (2002). «Rope skippine - Uma nova modalidade esportiva». Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas. Consultado em 3 de janeiro de 2017. 
  7. a b c «Manobras e modalidades - Pular Corda - Reportagem - LivrEsportes - Revista Digital de Esportes». www.livresportes.com.br. Consultado em 3 de janeiro de 2017. 
  8. «wcrs-2016-sweden». wcrs-2016-sweden. Consultado em 3 de janeiro de 2017. 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pular corda
Wikcionário
O Wikcionário tem os verbetes pular, saltar, corda, e pula-corda.
Ícone de esboço Este artigo sobre esporte/desporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.