Pular corda

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a canção do grupo musical infantil brasileiro, veja Trem da Alegria.
Pula-corda

Pular corda
Saltadores em festival em Zagrebe, na Croácia, em 2016.

Outros nomes Pular corda, saltar corda, salto à corda, rope skipping, double dutch
Autoridade máxima
Origem  Estados Unidos
Participantes Individual e equipes
Equipamento Corda, tênis
Crianças brincando na modalidade de cordas duplas.
Militares estadunidenses competindo em momento de lazer.

Pular corda ou saltar corda é uma brincadeira tradicional que envolve grande atividade física e coordenação motora. Tais características fizeram da recreação um desporto. Nesse sentido, a prática esportiva do pula-corda,[1] também referida como salto à corda[2] (em inglês: rope skipping, jump rope, double dutch),[3][4] consiste não apenas em pular corda, mas sim executar uma série de saltos, acrobacias, manejos com a corda, buscando a sincronia dos saltadores com uma música em execução.[2][5] O esporte é praticado tanto individualmente, com cordas pequenas, quanto em grupo, com cordas longas.[2] Essa recreação está conquistando vários adeptos na atualidade, principalmente nas academias, já que pular corda é um dos exercícios físicos mais recomendados quando o assunto é emagrecer e definir o corpo.

O surgimento da prática esportiva é datada da década de 1970 nos Estados Unidos.[2][3] Mais precisamente a esportivização é atribuída ao professor estadunidense Richard Cendali, em 1969.[6]

São quatro provas existentes no esporte: a prova de saltos triplos, em que o saltador realiza diversas séries de saltos de passar a corda três vezes num único salto; a prova de velocidade, em que o saltador tem 30 segundos para se apresentar e quando é contado o número de vezes que ele toca seu pé direito no chão; a prova de resistência, quem que o saltador tem três minutos de apresentação; e a prova de estilo livre, em que a música é acompanhada ritmicamente pelos movimentos do saltador.[3] Há ainda as modalidades de corda simples (manobras individuais e exercícios de velocidade), corda dupla holandesa (manobras individuais ou coletivas e exercícios coreografados), roda chinesa (saltador segura uma das pontas batendo a corda e também realizando as manobras).[7][6]

Organizações dirigentes[editar | editar código-fonte]

Mundialmente, o esporte é regulado por duas organizações. Uma delas é a Federação Internacional de Salto à Corda (FISAC; em francês: Fédération Internationale de Saut à la Corde; em inglês: International Rope Skipping Federation, IRSF),[7] que sucedeu a Organização Internacional de Pula-corda (International Rope Skipplng Organizatíon, IRSO) fundada em 1983.[6] A Confederação Brasileira de Rope Skipping esta filiada a esta organização.A outra entidade mundial é a Federação Mundial de Pula-corda (em inglês: World Jump Rope Federation, WJRF).

  • Europa — European Rope Skipping Organisation (ERSO)
  • Bélgica — Belgische Rope Skipping Federatie (BRSF)
  • Países Baixos — Nederlandse Rope Skipping Organisatie (NRSO)

Competições[editar | editar código-fonte]

  • 2016 — Campeonato mundial em Malmö, Suécia[8]

Desportistas[editar | editar código-fonte]

  • Vivien Vadja — saltadora brasileira pentacampeã mundial, entre 2010 e 2013.[3]

Representações artísticas[editar | editar código-fonte]

Cartaz do filme documentário estadunidense Doubletime.

O esporte já foi tema no cinema. No filme da Disney, Jump In! (Salte!, no Brasil; Salta! em Portugal), é contada a história de um pugilista que entra para uma equipe de pula-corda.[7]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. «Conheça a campeã mundial de "pula-corda" - Record Play - R7 Esporte Fantástico». tv.r7.com. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  2. a b c d Guterman, Tulio. «Rope Skipping: analisando a adesão e a desistência na prática desta modalidade no projeto de extensão da Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas - Unicamp». www.efdeportes.com. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  3. a b c d «Conheça Vivien Vadja, a pentacampeã brasileira de "Pula Corda"». revistaepoca.globo.com 
  4. Esporte Espetacular | Pular corda vira esporte reconhecido no Brasil e recebe o nome de 'double dutch' | Globo Play, consultado em 3 de janeiro de 2017 
  5. O Esporte Rope Skipping
  6. a b c Sato, Ana Paula Barbosa (2002). «Rope skippine - Uma nova modalidade esportiva». Faculdade de Educação Física da Universidade Estadual de Campinas. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  7. a b c «Manobras e modalidades - Pular Corda - Reportagem - LivrEsportes - Revista Digital de Esportes». www.livresportes.com.br. Consultado em 3 de janeiro de 2017 
  8. «wcrs-2016-sweden». wcrs-2016-sweden. Consultado em 3 de janeiro de 2017 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Pular corda
Wikcionário
O Wikcionário possui os verbetes pular, saltar, corda, e pula-corda.
Ícone de esboço Este artigo sobre esporte/desporto é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.