Puma Veículos e Motores

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Puminha)
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa

Para outros sentidos do termo, consulte Puma (desambiguação).


Puma Veículos e Motores
Slogan mehr als ein auto
Indústria Automobilística
Sede Brasil e Alemanha e Africa do Sul
Produtos Automóveis
Certificação DKW AUDI AG
Website oficial pumaautomoveis.com.br

A Puma é uma fabricante brasileira de automóveis esportivos e caminhões de pequeno porte, que atuou entre 1967 e o início dos anos 1990. Utilizava em seus automóveis mecânicas DKW (3 cilindros), Volkswagen (4 cilindros) e General Motors (4 e 6 cilindros).

Retornou em 2013 com o nome de Puma Automóveis trazendo o Puma 52 (fabricado especialmente para pistas) e o Puma GT 2.4 Lumimari.[carece de fontes?]

Origem[editar | editar código-fonte]

O Puma teve origem para as pistas. O projetista Rino Malzoni desenvolveu um protótipo em metal, que, em 1964 foi vitorioso em 5 eventos, sua estréia foi em Interlagos no Grande Prêmio das Américas. O nome Malzoni foi posteriormente adotado para designar o esportivo.[1][2] O conceito que estabeleceu e utilizou até 1994: projetar e fabricar carroceria em fibra de vidro, montar esta carroceria sobre plataforma de veículo de passeio, com motor e suspensão modificados para melhor desempenho e agregar um acabamento compatível com um carro de proposta esportiva.

Este conceito, além de manter o automóvel em produção durante trinta anos, viabilizou a criação de um fabricante brasileiro de automóveis e caminhões. Os Primeiros Puma GT ficaram conhecidos como Puma DKW. Os automóveis da marca Puma modelos GT a partir de 1968 e GTE até 1976 são conhecidos como “Puma Tubarão”. O principal "concorrente" do Puma na época era o Volkswagen SP2. Automóveis Puma foram exportados de 1970 a 1985 e produzidos na África do Sul sob licença. Os modelos da marca que utilizam mecânica 4 cilindros ficaram conhecidos como: Puminhas.

Histórico[editar | editar código-fonte]

  • Em 1964 O modelo GT Malzoni deu origem a uma seqüência de modelos que procuravam seguir as tendências de design e tecnologia mecânica de cada época, e ainda permitiam que a produção se adaptasse à disponibilidade de fornecedores e peças.
  • Em 1966 surgiu o Puma GT (DKW), era basicamente o GT Malzoni com retoques estéticos.
  • Em 1968, a plataforma Karmann Ghia 1500 substitui a plataforma DKW, cuja fabricação foi interrompida após a aquisição da DKW pela Volkswagen.
  • Em 1970 o Puma GT passa a ser denominado Puma GTE.
  • Em 1971 é lançado modelo conversível, denominado Puma GTE Spider.
  • Em 1973 é lançada uma nova carroceria, apesar de muito similar era mais aprimorada nos detalhes. O conversível passou a se chamar Puma GTS.
  • Em 1974 é lançado o Puma GTB, que utiliza plataforma Chevrolet Opala.
  • Em 1976 houve nova mudança de plataforma dos modelos GTE e GTS, passando a ser utilizada a do veículo Volkswagen Brasília.
  • Em 1980 são anunciadas tres novidades: é lançado o modelo P-018, o modelo GTE passa a ser denominado GTI e o modelo GTS é rebatizado como GTC.
  • Em 1986 em consequência de dificuldades financeiras, a Puma vende suas marcas e patentes para a Araucária Veículos, que fabricaria um pequeno número de veículos.
  • Em 1988 a produção dos modelos Puma passa para a Alfa Metais, que produziu os modelos AM1, AM2, AM3, AM4 e AMV.
  • Em 1995 foi vendido o último automóvel com a marca Puma, um AM4 Spyder.
  • Em 1999 foi vendido o último caminhão com a marca Puma, modelo 7900.

Veículos produzidos[editar | editar código-fonte]

Volumes de produção[editar | editar código-fonte]

Produção por ano[editar | editar código-fonte]

Brasil
Ano Produção (unidades) Observações
1964/1965 15 GT Malzoni
1966 34 GT Malzoni e GT DKW
1967 125 GT DKW
1968 151 GT VW
1969 272 GT VW
1970 202 GTE VW
1971 323 GTE VW e GTS (Conversível)
1972 484  
1973 771 GTE/GTS e GTB
1974 1.137  
1975 1.583  
1976 1.911  
1977 2.898  
1978 3.390  
1979 3.595  
1980 3.042 GTI, GTC, GTE
1981 929  
1982 471  
1983 146  
1984 100  
1985 10 Fechamento da fábrica de São Paulo
1986/1987 15 Araucária Veículos
1987-1993 200 Alfa Metais
África do Sul
1973/1974 357 Durban
1989-1991 26 Verwoerdburg

Produção por país[editar | editar código-fonte]

Brasil 21.891
África do Sul 383
TOTAL 22.116

Produção por modelo[editar | editar código-fonte]

Brasil
Modelo Unidades fabricadas
GT Malzoni 49+1=50
DKW Puma GT 125
GT 1500 423
GTE 8.800
Spyder 223
GTS 7.077
GTI 610
GTC 1.740
GTB S1 701
GTB S2 888

Atualmente[editar | editar código-fonte]

A disponibilidade de peças de reposição, aliada à durabilidade da carroceria de fibra de vidro, contribuem para facilitar a manutenção de um PUMA, permitindo que admiradores e colecionadores mantenham seus PUMA em condições de apresentação e utilização.

Ainda é possível se encontrar carrocerias: Puma AM3 e AM4 a venda, trata-se de produtos da época do encerramento da produção da fábrica, que não foram montados.

Na África do Sul, estão sendo produzidas carrocerias e comercializadas como Kit para serem montadas sobre a plataforma de Fuscas.

O renascimento da Puma[editar | editar código-fonte]

A Puma voltou à ativa em 2013 com a parceria de dois entusiastas empresários: Fernando Mesquita e Reginaldo Galafazzi, que criaram a Sociedade de Automóveis Mesgaferre. Em novembro de 2014, quando a marca Puma completou 50 anos, a Puma Automóveis (novo nome oficial da empresa) anunciou a criação de um modelo protótipo da marca para corridas. O automóvel tem como inspiração o antigo modelo GT, Lotus Elise e modelos boxers da Porsche.[3]

O novo modelo seria fabricado com linhas do Elise e com carroceria de fibra de vidro, além de motor central-traseiro e estrutura tubular. A ideia principal é produzir um lote de 25 a 30 carros para criar uma categoria automobilística própria, apadrinhada por Jan Balder, diretor de competições da Puma e ex-piloto, companheiro de Emerson Fittipaldi na lendária Mil Milhas de 1966, pilotando um GT Malzoni.[4] O protótipo foi apresentado no final de 2016 na última etapa do Campeonato Paulista de Automobilismo, no Autódromo de Interlagos, em São Paulo.[5]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Puma Veículos e Motores

Referências

  • Revista Quatro Rodas - Novembro de 1971 - Edição 136. Puma P8
  • Revista Quatro Rodas - Fevereiro de 1987 - Edição 319
  • Revista Quatro Rodas - Agosto de 1988 - Edição 337

Ligações externas[editar | editar código-fonte]