Purpurina

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Purpurina
Alerta sobre risco à saúde
1,2,4-trihydroxyanthracene-9,10-dione 200.svg
Nome IUPAC 1,2,4-trihydroxyanthracène-9,10-dione
Outros nomes Purpurine, Veratin
Smoke Brown G
C.I. 1037
C.I. 58205
C.I. 75410
C.I. Natural Red 16
C.I. Natural Red 8
Identificadores
Número CAS 81-54-9
Número EINECS 201-359-8
SMILES
Propriedades
Fórmula molecular C14H8O5
Ponto de fusão

259 °C

Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

Purpurina é um corante natural, mas é também a designação genérica de vários pós corantes, podendo portanto referir-se especificamente a dois tipos principais e de origens distintas:

  • Purpurina Metálica - Nome popular de alguns pós corantes, geralmente metálicos e finos, usados para a impressão dourada, prateada e bronzeada, assim como em maquilhagem e artes visuais. Este tipo de purpurina é também muito usada na época do Carnaval, na confecção de fantasias.
  • Purpurina Natural - O nome é aplicado a uma substância corante natural, de côr vermelho escuro, extraída de raízes de vegetais do género ¨ Rubia¨ ou ¨Ruiva¨ (Rubia tinctorum L). É um composto orgânico derivado da Antraquinona por substituição de três grupos hidrogénio por grupos hidroxilo.

A purpurina natural, extraida da raiz da planta do género Rubia (Rubia tinctorum L) é também chamada de veratin, Smoke Brown G, C.I. 1037, C.I. 58205, C.I. 75410, C.I. Natural Red 16, C.I. Natural Red 8.

História[editar | editar código-fonte]

As raizes da Rubia são utilizadas em tinturaria de vestuário desde cerca de 1500. A purpurina natural foi isolada pelos dois quimicos franceses, Pierre Jean Robiquet e Jean-Jacques Colin, em 1826. Posteriormente a purpurina natural foi identificada como um antraceno por Carl Graebe e Carl Liebermann, em 1868.