Python bivittatus

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa


Como ler uma infocaixa de taxonomiaPython bivittatus
Python molurus тигровый питон.jpg

Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Reptilia
Ordem: Squamata
Família: Pythonidae
Género: Python
Espécie: P. bivittatus
Nome binomial
Python bivittatus
Kuhl, 1820
Píton birmanesa albina

As píton birmanesas vivem no sudeste e sudoeste asiático.[1] São uma das cinco maiores cobras do mundo e podem atingir até 8 metros de comprimento. Alimentam-se de cervos, porcos selvagens, roedores, répteis e aves. As pítons birmanesas matam as suas presas por constrição, ou seja elas se enrolam nas presas e começam a apertá-las até morrerem por asfixia. Há pouco incidentes de ataque a seres humanos mas se se sentirem ameaçadas ou se estiverem com muita fome, podem atacar uma pessoa uma vez que a cobra atacar a pessoa não tem muita chance de sobrevivência pois essas cobras são fortíssimas, seriam necessárias pelo menos 8 homens adultos para tirar uma pessoa do aperto da cobra. Essas cobras gostam muito de nadar em rios.

Características[editar | editar código-fonte]

Uma píton birmanesa mede cerca de 3,5 m de comprimento mas alguns indivíduos chegam até os 5 m.[2][3][4] Pesam entre 80 kg e 100 kg. Essas cobras possuem uma coloração marrom mas alguns indivíduos possuem uma coloração amarelada esbranquiçada, esses indivíduos são raríssimos e geralmente só costumam nascer em cativeiro. As píton birmanesas são a terceira maior cobra do mundo perdendo apenas para a píton reticulada e para a grande sucuri. Ao contrário das sucuris, as pítons birmanesas são mais leves e possuem um corpo mais fino. Uma única fêmea de píton birmanesa chega a colocar cerca de 80 ovos na natureza.


 -->

Referências

  1. D. G. Barker, T. M. Barker (2010). «The Distribution of the Burmese Python, Python bivittatus, in China» (PDF). Bulletin of the Chicago Herpetological Society. 45 (5): 86–88 
  2. M. A. Smith: Reptilia and Amphibia, Vol. III, Serpentes. In: The Fauna of British India, Ceylon and Burma, including the whole of the Indo-Chinese Sub-Region. Taylor and Francis, Ltd., London 1943, p 102-109
  3. S. M. Campden-Main: A field guide to the snakes of South Vietnam. City of Washington 1970, p 8-9.
  4. D. G. Barker, S. L. Barten, J. P. Ehrsam, L. Daddono: The Corrected Lengths of Two Well-known Giant Pythons and the Establishment of a New Maximum Length Record for Burmese Pythons, Python bivittatus. Bulletin of the Chicago Herpetological Society 47(1): 1-6, 2012, pdf.