Qingtuan

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Exemplos de qingtuans.

Qingtuan é um bolinho de massa verde típico da culinária chinesa. Este bolinho é mais consumido durante o Festival Qingming, realizado no início de abril na China. O bolinho é classificado como sobremesa ou petisco, no entanto, seu sabor não é claramente identificável se salgado ou doce.[1]

A maior parte dos qingtuans consumidos na China são preparados e consumidos como comida de rua.[2] Há versões do qingtuan industrializadas, embaladas e vendidas em lojas, porém este tipo costuma apresentar perda de qualidade e frescor. Em 2014, uma inspeção de 57 embalagens de qingtuans vendidos em lojas na região de Shangai identificou a presença de 7 tipos de aditivos ilegais ou a presença de níveis inaceitáveis de bactérias.[3]

Origem[editar | editar código-fonte]

Qingtuan cortado, expondo o recheio de feijão.

O nome deste bolinho é originário do mandarim, qingtuan (em chinês: 青糰), que significa 'liga da juventude'.[1]

De acordo com a lenda chinesa, o qingtuan originou-se quando, durante o Festival Qingming. Um general de nome Chen Taiping estava sendo perseguido por um regimento da Dinastia Qing. Um fazendeiro da região ajudou-o a esconder-se. Na tentativa de descobrir onde Chen estava, o regimento Qing passou a fazer buscas e inspeções e revistar todas as pessoas que entravam e saíam da vila, na tentativa de impedir que levassem alimento a Chen.[4]

O fazendeiro voltava para sua casa pensando como levaria comida até Chen, quando acidentalmente tropeçou em uma moita de artemísia, e ao levantar-se percebeu que suas mãos e joelhos estavam manchados de cor verde, o que lhe deu uma ideia. Ele colheu alguns ramos de artemísia e levou-os para casa, lavou-os e os cozinhou até extrair completamente um líquido verde. Então, misturou o líquido a arroz glutinoso e os enrolou fazendo alguns bolinhos; depois, encobriu-os com grama para passar pela inspeção do regimento Qing, conseguindo assim enganá-los. Chen comeu os bolinhos e achou que eles eram muito saborosos e fáceis de mastigar, não grudando nos dentes. Durante a noite, Chen conseguiu fugir em segurança e retornar ao seu exército. Quando chegou, contou sua experiência ao seu superior e como havia conseguido sobreviver comendo estes bolinhos. O superior achou isso muito útil, e deu ordens para que todo o exército aprendesse a preparar os bolinhos, para sua própria proteção. Assim, a tradição de comer qingtuans se tornou rapidamente difundida.[4]

Ingredientes e forma de preparo[editar | editar código-fonte]

O Qingtuan é feito de arroz glutinoso misturado com artemísia chinesa ou cevada. O bolinho é recheado com um creme de doce de feijão vermelho ou preto. Para dar a coloração verde, é utilizado suco de vegetais.[1]

Referências

  1. a b c Marote, Christine (2 de abril de 2016). «Qingtuan – para celebrar o festival Qingming». Site China na Minha Vida. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  2. Liu, Zat (31 de março de 2011). «Shanghai food tour: Quest for the best qingtuan» (em inglês). Site CNN Travel. Consultado em 13 de novembro de 2016 
  3. «Watchdog: Defective qingtuan sold in city». Shanghai Daily. 3 de abril de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2016. Cópia arquivada em 7 de abril de 2014 
  4. a b «Qing Tuan». Site Yuan Yuan 311. 15 de abril de 2014. Consultado em 13 de novembro de 2016