Quatro Pontes

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Município de Quatro Pontes
Bandeira indisponível
Brasão indisponível
Bandeira indisponível Brasão indisponível
Hino
Fundação 13 de setembro de 1990 (27 anos)
Gentílico quatropontense
Prefeito(a) João Inácio Laufer (PMDB)
(2017–2020)
Localização
Localização de Quatro Pontes
Localização de Quatro Pontes no Paraná
Quatro Pontes está localizado em: Brasil
Quatro Pontes
Localização de Quatro Pontes no Brasil
24° 34' 30" S 53° 58' 37" O24° 34' 30" S 53° 58' 37" O
Unidade federativa  Paraná
Mesorregião Oeste Paranaense IBGE/2008 [1]
Microrregião Toledo IBGE/2008 [1]
Região metropolitana Região Metropolitana de Toledo
Municípios limítrofes Marechal Cândido Rondon, Toledo e Nova Santa Rosa
Distância até a capital 483 km
Características geográficas
Área 114,393 km² [2]
População 3,803 hab. Censo IBGE/2010[3]
Densidade 0,03 hab./km²
Altitude 427 m
Clima Subtropical Cfa
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,851 (PR: 2º) – muito elevado PNUD/2000 [4]
PIB R$ 74 682,960 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 19 710,47 IBGE/2008[5]
Página oficial

Quatro Pontes é um município brasileiro do estado do Paraná com população estimada em 3.803 habitantes, de acordo com o Censo Demográfico do IBGE de 2010. Sua Área é de 114 km² representando 0.0574% do Estado, 0.0203% da Região e 0.0013% de todo o território brasileiro e seu Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) é de 0.851 segundo o Atlas de Desenvolvimento Humano/PNUD, sendo o segundo maior do estado do Paraná, somente perdendo para Curitiba.

História[editar | editar código-fonte]

A localidade de Quatro Pontes surgiu na década de 50, através da colonização organizada pela empresa Industrial Madeireira Colonizadora Rio Paraná S/A MARIPÁ, que tinha sede no município de Toledo.

Esta companhia tinha adquirido, em 1945, os direitos sobre as terras da companhia inglesa "Madera del Alto Paraná", com o objetivo de: derrubar a mata; assentar colonos Riograndenses e Catarinenses, principalmente de origem Alemã e Italiana; comercializar a madeira extraída e a produção das colônias e estabelecer núcleos urbanos.

A previsão pela companhia colonizadora do estabelecimento de núcleos urbanos, estrategicamente localizados dentro da gleba e com finalidade pré-determinada, concretizou-se e desenvolveu-se nas áreas que hoje se constituem o município de Marechal Cândido Rondon, seus 9 distritos dos Municípios desmembrados, entre eles o município de Quatro Pontes.

A partir de 1951 começaram a radicar-se, os primeiros colonos vindos do Rio Grande do Sul e Santa Catarina, trazidos pela Companhia MARIPÁ. A localidade de Quatro Pontes era então uma vila onde se situavam o armazém de provisões gerais para atender as necessidades da população, a Igreja, a escola e algumas casas; a maioria dos colonos estavam estabelecidos na área rural.

A extração madeireira foi uma das primeiras atividades comercial importante, que permeou a ocupação da região e favoreceu o surgimento de indústrias de beneficiamento de madeira, fomentando o comércio, atraindo os habitantes das áreas adjacentes até este pequeno núcleo de desenvolvimento, que posteriormente se solidificou como pólo de um comércio forte, consubstanciando-se como o futuro Município de Quatro Pontes.

A companhia MARIPÁ realizou uma divisão de terra em propriedades com área média de 25 hectares, dimensões estas que ainda hoje caracterizam uma estrutura fundiária com pequenas e médias propriedades na região de Quatro Pontes.

A localidade de Quatro Pontes pertencia primeiramente ao Município de Toledo e, após a emancipação do Município de Marechal Cândido Rondon, passou a ser distrito administrativo deste, pela Lei Municipal nº 31, de 31 de julho de 1962. Ainda em 1962 foi elevado a distrito judiciário pela Lei Estadual nº 3.668, de 31 de dezembro.

A principal atividade agrícola do Estado do Paraná, na época do surgimento de Quatro Pontes, era a Cafeicultura. Este cultivo atraiu os colonos locais, porém não se adaptou à região: a geada de 1955 frustrou as expectativas da cafeicultura e os colonos, de origem do sul e pouco acostumados a essa cultura, concentraram seus esforços em policulturas e criação de subsistência, bem como na criação de suínos. A suinocultura, constituiu-se em uma opção apropriada, dadas as características culturais dos colonos e ao pequeno tamanho dos lotes em média de 25 ha., destacando-se, ainda hoje, na economia do Município de Quatro Pontes.

Na década de 1970 deu-se uma profunda modernização na agricultura com a integração da cultura mecanizada; a soja passou a ser o cultivo predominante, junto com o milho e o trigo. Este cultivo, entretanto, não é rentável em propriedades de 25 hectares, o que veio a provocar a anexação das pequenas propriedades, diretamente pela compra ou pela locação, de forma a otimizar a exploração agrícola.

A profunda transformação ocorrida na agricultura de Quatro Pontes, mostrou dois sérios problemas: uma estrutura fundiária de pequenas propriedades inadequada para os novos cultivos totalmente mecanizados; o êxodo dos agricultores que não puderam adaptar-se a essa transformação, migrando para as grandes cidades e outras regiões da nova fronteira agrícola: Paraguai, Mato Grosso, Rondônia, etc.

O município de Quatro Pontes foi consolidando-se na sua região e em 24 de março de 1990 aconteceu um plebiscito votando pelo desmembramento de Marechal Cândido Rondon. Em 13 de setembro desse mesmo ano foi criado o Município de Quatro Pontes pela Lei Estadual 9.368, a instalação oficial deu-se no dia 1 de janeiro de 1993.

As eleições municipais foram realizadas sendo eleito Antônio Rudi Leobet, e Vice-prefeito, Paulo Brandt e os nove vereadores, Srs. Silvestre Kuhn, Mauro Bernardi, Alfredo Danilo Kasper, Acélio de Souza, Eugênio Simon, Marco Antônio Wickert, Pedro Franscisco Feyh, Valdir Antônio Marschall e Carmem de Fátima Pletsch, integrantes dos partidos políticos: PMDB, PDT, PFL e PDS. Sendo eleita a 1ª Presidente da Câmara Municipal Carmen de Fátima Pletsch.

Na população predomina a origem alemã com 90%, seguindo-se a italiana com 5%, e 5% de outras. O povo é simples, trabalhador, ligado às origens e apreciador de festas.

Localização[editar | editar código-fonte]

Quatro Pontes está situado no extremo Oeste do Estado do Paraná, em torno do ponto 24º35' de latitude sul e 54º00' de longitude Oeste, a uma amplitude média de 410 metros sobre o nível do mar.

Pertence à Mesorregião Geográfica do Oeste Paranaense, polarizada pelo município de Cascavel, localizando-se mais especificamente na Microrregião do município de Toledo.

Distante apenas 6 km do município de Marechal Cândido Rondon, com a qual mantém uma estreita vinculação; 30 km do município de Toledo e 580 km da Capital, Curitiba. Limita-se ao Norte com os Municípios de Marechal Cândido Rondon e Nova Santa Rosa, ao Leste e Sul com o Município de Toledo e a Oeste com o Município de Marechal Cândido Rondon. O Município possui uma área total de 149 km².

As Rodovias BR 163 e PR 239, que atravessam o Município de leste a oeste, são as principais vias de acesso, interligando os Municípios de Marechal Cândido Rondon ao Oeste, e Toledo a Leste.

Brasão[editar | editar código-fonte]

O brasão de armas de Quatro Pontes foi idealizado por Reynaldo Valascki, dentro das normas da heráldica municipalista brasileira com descrição em termos próprios na seguinte forma: o brasão de armas clássico Flamengo Ibérico encimado pela coroa mural com 8 torres em cor amarelo, é iluminada em vermelho, usado para representar o brasão de armas do município “Quatro Pontes”, tem sua origem na Alemanha e introduzido na península ibérica por ocasião das lutas contra os mouros, passou a figurar nas armarias de Portugal, notadamente na heráldica do domínio, sendo este estilo herdado na heráldica brasileira, como evocativo da raça colonizadora e principal formadora de nossa nacionalidade.

A coroa mural que sobrepõe é o símbolo universal dos brasões de domínio que, sendo de cor amarela de 8 torres, das quais apenas 5 são vistas em perspectiva no desenho, classifica o município representada na terceira grandeza, ou seja, sede do município.

A iluminaria vermelha, pelo significado da cor, é condizente com os predicados próprios dos pioneiros e desbravadores e dos dirigentes da comunidade.

No campo do brasão em abismo vemos desenhados no primeiro quartel da parte superior a esquerda uma linda área desmatada pelos pioneiros e fundadores da localidade que hoje é o município de Quatro Pontes.

Ao centro um escudete com a imagem de nossa senhora da glória, padroeira do município.

No quartel superior a direita vemos desenhados um mapa, um globo e a sue lado um tinteiro com caneta, assim simbolizando a educação e a cultura existente no município de quatro pontes.

Acima dos dois quartéis vemos 02 retângulos e em cada um deles vemos desenhadas duas estrelas que simbolizam e ilustram o nome do município.

Dividindo campo do brasão vemos desenhadas duas linhas sinuosas em cor azul no seu meio, simbolizando o Rio Guaçu e os demais rios que irrigam as ricas e férteis terras do território do município de Quatro Pontes. A cor azul do campo do brasão é o símbolo da nobreza, justiça, perseverança, zelo, lealdade, recreação e formosura.

No terceiro quartel, a esquerda da parte inferior vemos o desenho de uma linda área de terras, estando as mesmas sendo cultivadas por um colono junto a um trator, e aos fundos do desenho, vemos em sua topografia lindas montanhas de elevações amenas, assim este quartel simboliza a rica “agricultura” existente em todo o território municipal, onde podemos observar quase em sua totalidade as terras são mecanizadas com total aproveitamento.

No quarto quartel a direita vemos desenhadas duas espécies de animais; um boi e um suíno, e em abismo um vista das lindas campinas verdes e entre as montanhas o sol (astro rei) em sua alvorada matinal com seus raios luminosos enriquecendo todos os quadrantes do território municipal. Este quartel simboliza a rica “pecuária” existente no município e a cor verde simbolizam a esperança .

Entre os dois quartéis em um triangulo irregular vemos duas mãos em cumprimentos, assim simbolizando a “união dos povos, união dos poderes constituídos no município, no estado e no brasil”, da mesma forma a “união faz a força”

Os suportes ornamentais do brasão de armas temos à direita um pé de milho e feijão e a esquerda, ramos de soja e trigo e abaixo ramas de mandioca, todos estes frutificados ao natural, assim representando estes produtos o esteio e a riqueza agrícola do município de “Quatro Pontes”.

Entre o brasão de armas e o listel ao centro vemos desenhada uma engrenagem que representa a indústria, pois no município de Quatro Pontes esta instalada uma das maiores industrias de fécula da América do Sul, a “Companhia Lorenz”.

No listel abaixo do brasão de armas municipal, em cor vermelha vemos ao centro a inscrição do topônimo “Quatro Pontes”, a sua esquerda o dia, mês e ano 13.09.1990, data esta da criação do município e a sua direita os algarismos 01.01.1993, dia mês e ano da grande e histórica emancipação do município de Quatro Pontes.

Bandeira[editar | editar código-fonte]

A bandeira do município de Quatro Pontes foi idealizada pela srª. Clarice ana de souza, membro da comunidade local, através de concurso público, promovido pela prefeitura, conforme lei municipal nº 036/93 de 10 de setembro de 1993.

A bandeira do município de quatro pontes será em forma retangular, na proporção de 14 (quatorze) módulos de largura, por 20 (vinte) módulos de cumprimento, na forma do artigo 5º, da lei nº 5.700, de 1 de janeiro de 1971, apresentando as seguintes características:

1. A bandeira segue estilo “terciado em gousset”, em cores azul, branco e vermelho; 2. No triângulo isósceles, de cor azul, está simbolizado o céu infinito qu cobre os quadrantes do município e a serenidade do seu povo; 3. Na faixa transversal, de cor branca, está simbolizado o trabalho, a paz, a união e a religiosidade; 4. A faixa transversal é entrecortada por um círculo onde está aplicada:

1. O trator, representa a agricultura; 2. Duas estrelas, sendo que a maior representa o estado do paraná, e a menor o município, que através de muitas lutas conquistou seu espaço; 3. A chaminé, que representa as indústrias já existentes e as que estão por instalar-se; 4. Os ramos simbolizam as principais culturas do município; 5. O livro, representa a educação, a cultura e as crenças religiosas; 6. O verde, simboliza as matas e campinas existentes no município; 7. O amarelo simboliza as riquezas; 8. O vermelho, simboliza a coragem, luta, trabalho de nossos desbravadores e pioneiros, o amor pátrio; 9. No triângulo, isósceles, de cor vermelha, estará simbolizado a coragem, a luta, o trabalho de nossos desbravadores e pioneiros.

Hino do município[editar | editar código-fonte]

Composto pelo Maestro Sebastião Lima e Antônio Sant’Ana Ruth, o hino municipal evoca em seus versos a colonização da região por seus pioneiros exaltando as características do município.

Relevo[editar | editar código-fonte]

Quatro Pontes possui um relevo suave, apresentando um espigão central aplainado de 410 metros de altitude e, lateralmente a este, em direção aos cursos de água, se manifestam leves declividades.

Quatro Pontes possui um relevo predominantemente plano, com mais de 70 % de sua área em condições de permitir o cultivo mecanizado.

Geologia[editar | editar código-fonte]

Quatro Pontes está compreendido no grande derrame de lavas de basalto, que constituem o Grupo São Bento, produzido na Era Mesozóica.

Solos[editar | editar código-fonte]

Quatro Pontes predominam os tipos de solo Terra Roxa Estruturada e Latossolo Roxo, originados ambos pela decomposição do basalto. São solos profundos, de boa fertilidade, que apresentam grande aptidão para a agricultura.

Clima[editar | editar código-fonte]

Clima subtropical Úmido Mesotérmico, com verões quentes com tendência de concentração das chuvas (temperatura média superior a 22 °C), invernos com geadas pouco freqüentes (Temperatura média inferior a 18 °C), sem estação seca definida.

Hidrografia[editar | editar código-fonte]

Os rios da região desembocam diretamente no Rio Paraná (Lago de Itaipu), pertencendo à bacia hidrográfica "Paraná III", entre as bacias do Rio Piquiri, ao norte, e a bacia do Rio Iguaçu, ao sul.

O rio mais importante do Município é o Arroio Guaçu, que faz parte do limite norte e leste, com os Município de Nova Santa Rosa e Toledo.

Outros cursos d'água são o Arroio Quatro Pontes e Lajeado Itá que delimitam a área suburbana do Município: Arroio Fundo, Arroio Marreco e Lajeado Três Voltas.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A região de Quatro Pontes apresentava uma exuberante floresta de matas da qual, hoje, restam apenas vestígios, limitados a poucos hectares, em algumas fazendas da região. A exploração madeireira, primeiramente, e a exploração agropecuária posterior, provocaram essa alteração na paisagem, reduzindo as matas nativas a menos de 2% da área do território. Nos fundos de vale raramente se observam matas ciliares.

Uso e ocupação do solo urbano[editar | editar código-fonte]

Em relação ao uso Industrial, existem dentro da área urbana duas instalações de moinhos e algumas pequenas indústrias, próximas à Avenida Presidente Epitácio. Está definido também um parque industrial, localizado contíguo à zona urbana, na saída para Toledo, onde já estão instaladas indústrias como a Cia Lorenz que tem uma produtividade diária de 600 toneladas ao dia, como a maltodextrina, féculas modificadas para Indústrias de diversos Países como os da Ásia, África, Europa, EUA e Canadá. O município possui também cerâmicas e fecularia, localizadas em área próxima à PR 239 e BR 467.

Esporte, cultura e lazer[editar | editar código-fonte]

Em relação aos espaços para atividades de lazer, o município oferece algumas opções, contando com a Praça Cristo Rei, no centro, o Ginásio de Esportes Paulinho Hoffmann, o Ginásio de Esportes do Complexo Escolar, a sede Social e Campestre do Clube Social Cultural Quatro Pontes, o Centro de Eventos, onde são levados a efeito os eventos do Município, além das Associações de moradores de todas as linhas do município.

Potencialidades e prioridades de Quatro Pontes[editar | editar código-fonte]

Setor Leiteiro[editar | editar código-fonte]

Potencialidade: - Quatro Pontes possui uma das maiores e melhores bacias leiteiras, produzindo atualmente 11 milhões de litros ano e que com um pouco de esforço e investimento poderá aumentar para 15 milhões de litros ano. Este potencial poderia ser usado para indústria de queijos, iogurtes, bebidas lácteas, etc., com incremento do setor e sua industrialização, teremos 600 famílias envolvidas direta e indiretamente.

Piscicultura[editar | editar código-fonte]

Potencialidade: até o final do ano de 1997, o município tinha cerca de 50 hectares de açudagem em produção. Produção: 50 Ha x 8 Ton x 1,6 ao ano = 640 ton/ano.

Gado de Corte[editar | editar código-fonte]

Potencialidade: - Tendo em vista o grande potencial de gado leiteiro, temos a necessidade de abater grande número de animais, seja machos ou fêmeas para descarte. Possuímos um mini-frigorífico o qual poderá ser ampliado e modernizado, bastando para isso recursos e apoio dos órgãos públicos. Sua capacidade será de 250 cabeças/semana, a ser implantado, podendo gerar de 30 a 40 empregos diretos.

Referências

  1. a b «Divisão Territorial do Brasil». Divisão Territorial do Brasil e Limites Territoriais. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 1 de julho de 2008. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  2. IBGE (10 de outubro de 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 de dezembro de 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil». Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). 2000. Consultado em 11 de outubro de 2008 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Paraná é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.