Que Farei Eu com Esta Espada?

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Que Farei Eu com Esta Espada?
Portugal Portugal
1975 •  p&b •  66 min 
Direção João César Monteiro
Produção Oficina de Cinema
RTP
Distribuição Animatógrafo
Lançamento 1975
Idioma Não disponível
Página no IMDb (em inglês)

Que Farei Eu com Esta Espada? (1975) é um filme português de João César Monteiro, um documentário de longa-metragem que se insere no movimento do cinema militante praticado em Portugal na segunda metade da década.

Estreia em Lisboa no cinema Universal a 19 de Junho de 1976.

Sinopse[editar | editar código-fonte]

A Revolução dos Cravos está ameaçada pela ingerência de certas potências estrangeiras que nela vêem um perigo. No rio Tejo «pairam» navios aliados da NATO, de entre os quais se destaca o porta-aviões norte-americano Saratoga.

O filme deveria chamar-se Saratoga Blues, mas, corrigindo a pontaria, Monteiro muda-lhe o nome e aponta um canhão para o Tejo. A espada é o símbolo certo perante a grandeza da ameaça : ferramenta cintilante de aguerrido guerreiro lusitano (aqui Margarida Gil), como a lendária funda de David que derrubará o Gigante, serve bem os propósitos bélicos de João César Monteiro.

De outro modo não poderia ser : o navio traz consigo a peste, Nosferatu está pronto a desembarcar com o seu exército de ratos. O terreno é propício à invasão : «sem aumento de produção, os preços dos alimentos sobem e a população empobrece. A única actividade estimulada é a prostituição». Neste triste contexto, «feitos “positivos” da realidade portuguesa – ligados à actividade dos trabalhadores (construção naval : Lisnave), vida agrária : Alentejo) – são postos em paralelo com tipos de existência marginal (Cais do Sodré : prostituição, vadiagem, influências do capitalismo interior ou dum certo tipismo de mentalidade e moral conservadoras» (Cit.: José de Matos-Cruz em Cais do Olhar, ed. da Cinemateca Portuguesa, 1999.

Sente-se Monteiro vencedor nessa desigual batalha. O filme sai e ele ganha a guerra.

Ficha técnica[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ligações externas[editar | editar código-fonte]