Lei da queda dos corpos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Queda (física))
Ir para: navegação, pesquisa
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde setembro de 2013). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Searchtool.svg
Esta página ou secção foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo. Pode encontrar ajuda no WikiProjeto Física.

Se existir um WikiProjeto mais adequado, por favor corrija esta predefinição.

A lei dos corpos em queda diz que todos os corpos caem com aceleração constante, uma vez que o efeito da aceleração gravitacional, ou seja, da gravidade em todos os corpos, à mesma altura, é igual. Esta lei só é observada no vácuo, pois como a densidade dos corpos é diferente, no ar o corpo que oferece menos resistência atinge o solo primeiro. Um exemplo frequentemente usado nos livros para exemplificar esta lei consiste em colocar num tubo em vácuo uma pedra e uma pena e observar que ambos caem à mesma velocidade.

Experimento feito na Lua em 1971, pelo astronauta David Scott, em homenagem a Galileu. Na ocasião o astronauta soltou simultaneamente um martelo e uma pena em um ambiente sem ar.

Esta lei foi descoberta por Galileu Galilei, foi revistada por Isaac Newton e com Albert Einstein foi criada a Teoria Mecânica do Cosmo.

Galileu observou que uma esfera rolando por um plano inclinado percorria uma distância 4 vezes maior em 2 segundos do que em 1 segundo. Ele assim provou que a distância percorrida a partir do repouso variava com o quadrado do tempo.

Hoje em dia, muita gente conhece as leis da queda dos corpos e as acha naturais. Há três séculos e meio, os cientistas ficaram chocados quando Galileu declarou que o peso não deveria ter qualquer influência na velocidade de queda.[1]

Dois mil anos antes, o filósofo grego Aristóteles tinha afirmado que uma pedra de 2 quilos cairia duas vezes mais depressa que uma pedra de um quilo. Os outros professores da Universidade de Pisa, onde Galileu lecionava, mantinham que como Aristóteles era sábio e bom, ninguém devia duvidar dos seus ensinamentos.

Galileu insistiu calorosamente em que os homens deveriam acreditar no que viam. Segundo reza a lenda, porém em versão não confirmada, Galileu[1] teria convencido os professores a acompanhar suas experiências, levando-os à torre inclinada de Pisa, local em que deixou cair uma grande pedra junto com outra pequena do balcão mais alto da torre.

Elas chegaram juntas ao solo "o seu impacto soou como o toque de finados da autoridade pela fama, em Física". Desde então nós aprendemos a nos apoiar cada vez mais na experiência e a fazer experiências para descobrir a verdade. A experiência de Galileu marca o nascimento da Física moderna.

Resumo[editar | editar código-fonte]

Velocidade média é a distância percorrida dividida pelo tempo, ou seja, é a variação do espaço total percorrido pela variação do tempo.

Aceleração é o acréscimo de velocidade dividido pelo tempo; é expressa em metros por segundo ao quadrado.

Quando um corpo se acelera a partir do repouso, a distância percorrida varia com o quadrado do tempo.

Para encontrar a distância percorrida por um corpo que se acelera a partir do repouso, determine a velocidade média e multiplique pelo tempo.

No vácuo quase todos os corpos caem com igual aceleração g (9,8 metros por segundo ao quadrado). Um corpo partindo do repouso cai 4,9 metros no primeiro segundo.

Referências

  1. a b «Os Dez Mais Belos Experimentos da Física». UFRGS. Consultado em 16 de setembro de 2014. 
Ícone de esboço Este artigo sobre física é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.