Queijo cremoso

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Cream Cheese
Sanduíche de bagel com cream cheese.
Outros nomes Queijo Filadélfia, queijo cremoso
País de origem  Inglaterra
Origem do leite Bovino
Pasteurizado Sim
Textura Macio
Gordura láctea 34g
Conteúdo proteico 6g
Dimensões Variável
Tempo de envelhecimento Nenhum

O cream cheese ou queijo cremoso, é um tipo de queijo fresco elaborado a partir de leite e creme.[1] O cream cheese não é naturalmente amadurecido e é destinado a ser consumido fresco, por isso difere de outros queijos macios como Brie e Neufchâtel. É mais comparável em gosto, textura e métodos de produção ao Boursin e Mascarpone. Sua textura macia se obtém através da coagulação do leite utilizando-se o microrganismo Streptococcus thermophilus e algumas vezes o coalho.

A coalhada obtida é cortada em pequenos cubos e estes são colocados em um pano onde ficam escorrendo o soro por aproximadamente 12 horas; em seguida, é adicionado sal e uma mistura de hidrocoloides e segue para a homogeneização, onde posteriormente é acondicionado nas embalagens apropriadas. Esse tipo de queijo se consome normalmente em pão ou torradas. É consumido no café da manhã e é também, o ingrediente principal de alguns cheesecakes.

O cream cheese tem um teor de gordura maior do que outros queijos, e a gordura repele a água, que tende a se separar do queijo; isso pode ser evitado na produção comercial, adicionando estabilizadores como guar ou gomas de alfarroba para prolongar a sua vida útil. No Canadá, os regulamentos para o cream cheese estipulam que o produto seja feito por coagulação de creme com a ajuda de bactérias, formando uma coalhada que é então formada em uma massa após a remoção do soro. Alguns dos seus ingredientes incluem creme, sal, nitrogênio e vários ingredientes gelificantes, espessantes, estabilizantes e emulsionantes, como goma xantana ou gelatina.

Origem[editar | editar código-fonte]

Europa[editar | editar código-fonte]

Valor nutricional por 100 g (3,53 oz)
Energia 1431 kJ (340 kcal)
Carboidratos
Carboidratos totais 4 g
Gorduras
Gorduras totais 34 g
 • saturada 19 g
 • monoinsaturada 9 g
 • poliinsaturada 1 g
Proteínas
Proteínas totais 6 g
Minerais
Cálcio 98 mg (10%)
Colesterol 110 mg
A porcentagem de gordura pode variar.
Percentuais são relativos ao nível de ingestão diária recomendada para adultos.
Fonte: USDA Nutrient Database

As primeiras referências do cream cheese são datadas da Inglaterra já em 1583 [1][2] e na França em 1651.[3][4] Os registros das receitas são datados a partir de 1754, em Lincolnshire e no sudoeste da Inglaterra.[5]

Estados Unidos[editar | editar código-fonte]

As receitas de cream cheese podem ser encontradas em livros de receitas e jornais dos EUA a partir de meados do século 18. Na década de 1820, as fazendas de lácteos em torno da Filadélfia e Nova York ganharam a reputação de produzir os melhores exemplos desse queijo. Foi produzido em fazendas familiares em todo o país, então as quantidades feitas e distribuídas eram tipicamente pequenas.

Por volta de 1873, William A. Lawrence, um produtor lácteo de Chester, em Nova York, foi o primeiro a produzir massa de cream cheese. Em 1872, ele comprou uma fábrica Neufchâtel e logo depois, adicionando creme ao processo, conseguiu criar um queijo mais rico que ele chamou de queijo creme.[6] O produto caracterizava-se por seu sabor e cremosidade únicos, não escorrendo da faca ao ser espalhado sobre pães, torradas ou biscoitos. Em 1880, o distribuidor de queijo da cidade de Nova York, Alvah L. Reynolds, começou distribuindo o cream cheese de William Lawrence embrulhado em folhas metálicas prateadas com o nome Philadelphia Brand Cream Cheese, utilizado pela primeira vez no dia 1 de setembro. O nome foi escolhido porque naquela época os melhores produtos alimentícios derivados do leite vinham da cidade da Filadélfia, no estado da Pensilvânia, que acabou virando sinônimo de qualidade. Nesta época o produto era fabricado pela The Empire Cheese Company.[7]

Popular na culinária judaica da cidade de Nova York, onde é comumente conhecido como "schmear", constitui a base do bagel com cream cheese, um sanduíche aberto simples, que geralmente inclui lox, alcaparras e outros ingredientes. O bagel com cream cheese tornou-se um café da manhã omnipresente e comida de brunch em todo os EUA.

Usos[editar | editar código-fonte]

Cream cheese com gelatina.

O queijo é frequentemente espalhado em pães, bagels, bolachas, etc., e é usado como molho para batatas fritas e lanches e em saladas. Pode ser misturado com outros ingredientes, como iogurte ou geléia de pimenta, para espalhar.

Pode ser usado para muitos fins na culinária doce e salgada e está na mesma família de ingredientes de outros produtos lácteos, como creme, leite, manteiga e iogurte. Ele pode ser usado na culinária para fazer cheesecake e engrossar molhos e torná-los cremosos. O cream cheese às vezes é usado no lugar ou com manteiga (tipicamente duas partes de queijo creme para uma parte de manteiga) ao para fazer bolos ou biscoitos. É o ingrediente principal no preenchimento do caranguejo rangoon, um aperitivo comumente servido em restaurantes chineses dos EUA. Também pode ser usado em vez de ou com manteiga ou azeite em purê de batatas, e em alguns roachos de sushi ocidentalizados.

O cream cheese americano tende a ter menor teor de gordura do que em outros lugares, mas o queijo da marca Philadelphia às vezes é sugerido como substituto do petit suisse.

Veja também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b Oxford English Dictionary
  2. «Merriam-Webster Online Dictionary». Consultado em 19 de setembro de 2017 
  3. On Food And Cooking, Harold McGee
  4. Le Cuisinier françois, La Varenne
  5. An English and Danish Dictionary, Andreas Berthelson, London, 1754.
  6. A história, encontrada em inúmeras histórias de queijo, que Lawrence "acidentalmente" fez queijo com creme ou roubou a receita de outro produtor de Chester, Charles Green, é falsa. Jeffrey A. Marx, "Os dias vieram de coalhada e creme": as origens e o desenvolvimento do queijo creme na América, no Journal of Food, Culture and Society, vol. 15, edição 2, junho de 2012.
  7. «Página oficial dos produtos Philadelphia». Consultado em 19 de setembro de 2017