Queijo Serra da Estrela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Queijo da Serra)
Ir para: navegação, pesquisa
Queijo Serra da Estrela
País de origem  Portugal
Região Serra da Estrela
Cidade Carregal do Sal, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde, Manteigas, Nelas, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo e Seia bem como algumas freguesias dos concelhos de Aguiar da Beira, Arganil, Covilhã, Guarda, Tábua, Tondela, Trancoso e Viseu.
Origem do leite ovelha
Textura semimole
Peso 0,7 a 1,5 quilograma
Tempo de envelhecimento 60 a 120 dias
Certificado Denominação de Origem Protegida (DOP) 1996

O Queijo Serra da Estrela é um queijo português feito com leite de ovelha, e com denominação de origem controlada[1]. As mais antigas menções a este queijo remontam ao século XII, tornando-o o mais antigo dos queijos portugueses. É um dos mais afamados queijos de ovelha de todo o Mundo. Esteve presente nas mesas reais e foi mesmo evocado por Gil Vicente no século XVI.

A Serra da Estrela serve de pasto às ovelhas das raças "Serra da Estrela" ou "Churra Mondegueira", que são consideradas como as de melhor aptidão leiteira. Para que o queijo atinja a qualidade desejada, deve ser feito sempre da mesma ordenha. Atualmente, o fabrico do queijo e seu ritual são feitos de forma tradicional, como há centenas de anos. Os pastores saem com o rebanho de manhã e regressam ao fim da tarde. Mulheres e filhas fazem o queijo de acordo com as técnicas que as suas antecessoras lhes legaram. O pastor deve escolher cuidadosamente o pasto das suas ovelhas, pois certas ervas dão mau gosto ao leite. Todos os dias, o pastor ordenha as ovelhas ao cair da noite, após o que a sua mulher prepara o leite para fazer o queijo.

Vulgarmente chamado Queijo da Serra, é um queijo curado, com pasta semimole, amanteigada de cor branca ou amarelada. É feito a partir de leite de ovelha, na região da Serra da Estrela. Em 1996, a União Europeia atribuiu-lhe uma Denominação de Origem Protegida (DOP)[2].

Celorico da Beira, conhecida como a "Capital do Queijo da Serra da Estrela", é o cartão de visita do verdadeiro Queijo Serra da Estrela, graças às condições naturais privilegiadas do Rio Mondego.

O queijo da serra foi nomeado uma das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal em 2011[3].

Área geográfica[editar | editar código-fonte]

A área geográfica da produção deste queijo denomina-se por "Região Demarcada de Produção de Queijo Serra da Estrela"[1] e abrange os concelhos de Carregal do Sal, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde, Manteigas, Nelas, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo e Seia bem como algumas freguesias dos concelhos de Aguiar da Beira, Arganil, Covilhã, Guarda, Tábua, Tondela, Trancoso e Viseu.

Produção[editar | editar código-fonte]

As ovelhas pastam livres, ou seja, não são alimentadas com ração. Produzido no inverno, o êxito depende da temperatura das mãos das mulheres que o fabricavam nas frias casas de granito típicas da arquitetura da região. O leite é coalhado quando entra em contacto com sal e a flor do cardo, nativo da região.[4] O soro é retirado com a prensa e salga manual do coalho.[4] O tempo de cura dura cerca de 60 dias a 120 dias em câmaras com temperaturas e humidades controladas.[4] O peso varia entre 0,7 kg e 1,5 kg.

Queijo Serra da Estrela curado.
Commons
O Commons possui imagens e outras mídias sobre Queijo Serra da Estrela

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b «ANCOSE». Consultado em 26-12-2015. 
  2. «Vai um queijo da Serra da Estrela com flor de castanheiro?». Ciência Hoje. 30-10-2014. 
  3. «História e Tradição». Queijo da Serra. 
  4. a b c Fecarotta, Luiza. (27 de janeiro de 2011). Queijo de colher. Folha de S.Paulo, Caderno Ilustrada
Ícone de esboço Este artigo sobre culinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.