Queijo Serra da Estrela

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Queijo da Serra)
Ir para: navegação, pesquisa
Queijo Serra da Estrela curado

O Queijo Serra da Estrela é um queijo português feito com leite de ovelha, e com denominação de origem controlada[1] . As mais antigas menções a este queijo remontam ao século XII, tornando-o o mais antigo dos queijos portugueses. É um dos mais afamados queijos de ovelha de todo o Mundo. Esteve presente nas mesas reais e foi mesmo evocado por Gil Vicente no século XVI.

A Serra da Estrela serve de pasto às ovelhas das raças "Serra da Estrela" ou "Churra Mondegueira", que são consideradas como as de melhor aptidão leiteira. Para que o queijo atinja a qualidade desejada deve ser feito sempre da mesma ordenha. Atualmente, o fabrico do queijo e seu ritual são feitos de forma tradicional, como há centenas de anos. Os pastores saem com o rebanho de manhã e regressam ao fim da tarde. Mulheres e filhas fazem o queijo de acordo com as técnicas que as suas antecessoras lhes legaram. O pastor deve escolher cuidadosamente o pasto das suas ovelhas, pois certas ervas dão mau gosto ao leite. Todos os dias o pastor ordenha as ovelhas ao cair da noite, após o que a sua mulher prepara o leite para fazer o queijo.

Vulgarmente chamado Queijo da Serra, é um queijo curado, com pasta semimole, amanteigada de cor branca ou amarelada. É feito a partir de leite de ovelha, na região da Serra da Estrela. Em 1996, a União Europeia atribuiu-lhe uma Denominação de Origem Protegida (DOP)[2] .

Celorico da Beira é o cartão-de-visita do verdadeiro Queijo Serra da Estrela adequando as condições naturais privilegiadas do Rio Mondego, assim conhecida com titulo "Capital do Queijo da Serra da Estrela".

O queijo da serra foi nomeado uma das 7 Maravilhas da Gastronomia de Portugal em 2011[3] .

Área geográfica[editar | editar código-fonte]

A área geográfica da produção deste queijo denomina-se por "Região Demarcada de Produção de Queijo Serra da Estrela"[1] e abrange os concelhos de Carregal do Sal, Celorico da Beira, Fornos de Algodres, Gouveia, Mangualde, Manteigas, Nelas, Oliveira do Hospital, Penalva do Castelo e Seia bem como algumas freguesias dos concelhos de Aguiar da Beira, Arganil, Covilhã, Guarda, Tábua, Tondela, Trancoso e Viseu.

Produção[editar | editar código-fonte]

As ovelhas pastam livres, ou seja, não são alimentadas com ração. Produzido no inverno, o êxito depende da temperatura das mãos das mulheres que o fabricavam nas frias casas de granito típicas da arquitetura da região. O leite é coalhado quando entra em contacto com sal e a planta flor do cardo, nativa da região.[4] O soro é retirado com a prensa e salga manual do coalho.[4] O tempo de cura dura cerca de 60 dias a 120 dias em câmaras com temperaturas e humidades controladas.[4] O peso varia entre 0,7 kg e 1,5 kg.

Referências

  1. a b "ANCOSE". Consult. 26-12-2015. 
  2. "Vai um queijo da Serra da Estrela com flor de castanheiro?". Ciência Hoje. 30-10-2014. 
  3. "História e Tradição". Queijo da Serra. 
  4. a b c Fecarotta, Luiza. (27 de janeiro de 2011). Queijo de colher. Folha de S.Paulo, Caderno Ilustrada

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre culinária é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.