Língua quimbundo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Quimbundo)
Quimbundo
Outros nomes:Ver artigo
Falado em: Angola
Total de falantes: 3 000 000
Família: Nigero-congolesa
 Atlântico-congolesa
  Volta-congolesa
   Benue-congolesa
    Bantoide
     Bantoide meridional
      Banta
       Banta central
        Quimbundo
Códigos de língua
ISO 639-1: --
ISO 639-2: kmb
ISO 639-3: kmb

A língua quimbundo (em quimbundo: kimbundu),[1][2] bundo (em quimbundo: mbundu),[3] loanda, loande, luanda, lunda[4] ou ambundo (mbundu) do norte[5] é uma língua africana falada no noroeste de Angola, incluindo a província de Luanda.[4]

É uma das línguas bantas mais faladas em Angola, onde é uma das línguas nacionais. O português tem muitos empréstimos lexicais desta língua obtidos durante a colonização portuguesa do território angolano e através dos escravos angolanos levados para o Brasil. É falada por cerca de 3 000 000 de pessoas em Angola como primeira ou segunda língua,[6][falta página] considerando, também, 41 000 falantes do dialecto angolar.[7][falta página]

Dialectos e línguas relacionadas[editar | editar código-fonte]

Os seus dialectos são o ginga / jinga (njinga), quimbamba[8] (kimbamba) / bambeiro / bamba (mbamba; pode ser uma língua separada), ambaca[9] / ambaquista (mbaka), dongo (ndongo) / quindongo (kindongo) e angolar / negola (ngola).[10] É uma língua relacionada às línguas songo, sama, bolo, bali.[4]

Contribuições lexicais[editar | editar código-fonte]

Ao português angolano[editar | editar código-fonte]

Banzo (de lubanzu, "saudade", ou (ku)banza, "ponderar, pensar"),[11] calema (de kalemba),[12] calundu (de kilundu),[13] camba (de dikamba, "amigo"),[14] cambuta (de kambuta, "baixo")[15] candongueiro (candonga + eiro; deriva de ka- + ndonge, ou seja, "fraco amor", ou do castelhano candonga),[16] cassule (de ki suluka, "ficar livre"),[carece de fontes?] cassuneira (de ku-nsuna', "ter carranca").[17]

Ao português brasileiro[editar | editar código-fonte]

O termo português "maconha" se originou do termo quimbundo ma'kaña[18]

Moleque (de mu'leke, "menino"),[19] cafuné (de kifunate, "entorse, torcedura"),[20] quilombo (de kilombo, "capital, povoação, união"),[21] quibebe (de kibebe),[22] quenga (de kienga, "tacho"),[23] bunda (de mbunda),[24] cochilar (de kukoxila),[25] marimbondo (de ma [prefixo de plural] + rimbondo, "vespa"),[26] camundongo (de kamundong),[27] tungar (de tungu, "madeira, pancada"),[28] muamba (de mu'hamba, "carga"), mucama (de mu'kaba, "amásia escrava"),[29] banza (de mbanza), banzar (de kubanza),[30] cachimbo e cacimba (ambos, de kixima),[31] fubá (de fu'ba),[32] caçula (de kusula e de kasule), cacumbu (de ka, pequeno + kimbu, machado), cacunda (de kakunda),[33] bundo (de mbundu, negros),[24] matumbo (de ma'tumbu, "montículos"),[34] tutu (comida) (de ki'tutu), tutu (bicho-papão) (de kitu'tu),[35] samba (de semba, "umbigada"),[36] jiló (de njilu), jibungo (de jibungw), jimbo (de njimbu), jimbongo (de jimbongo),[37] jongo (de jihungu),[38] quitute (de kitutu, "indigestão"),[39] maxixe (de maxi'xi),[40] xingar (de kuxinga, "injuriar, descompor"),[41] quitungo (de kitungu), quitanda (de kitanda, "feira, venda")[39] etc.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. Ramos 1998.
  2. «Quimbundo». Priberam 
  3. «Quimbundo». Infopédia 
  4. a b c Lewis 2009.
  5. Lopes 1995, p. 18.
  6. Weisenfeld 1999.
  7. Voegelin 1977.
  8. Rego 1961, p. 281.
  9. Chatelain 1964, p. 507.
  10. Amaral 1996, p. 45.
  11. «Banzo». Infopédia 
  12. Ribas 1994, p. 41.
  13. «Calundu». Infopédia 
  14. Amorim 2007, p. 609.
  15. «Cambuta». Infopédia 
  16. «Candonga». Infopédia 
  17. «Cassuneria». Infopédia 
  18. Ferreira 1986, p. 1060.
  19. Ferreira 1986, p. 1150.
  20. Ferreira 1986, p. 312.
  21. Ferreira 1986, p. 1435.
  22. Ferreira 1986, p. 1434.
  23. Ferreira 1986, p. 1431.
  24. a b Ferreira 1986, p. 293.
  25. Ferreira 1986, p. 423.
  26. Ferreira 1986, p. 1093.
  27. Ferreira 1986, p. 330.
  28. Ferreira 1986, p. 1726.
  29. Ferreira 1986, p. 1.
  30. Ferreira 1986, p. 230.
  31. Ferreira 1986, p. 307.
  32. Cunha 1996, p. 370.
  33. Ferreira 1986, p. 309.
  34. Ferreira 1986, p. 1105.
  35. Ferreira 1986, p. 1729.
  36. Ferreira 1986, p. 1543.
  37. Ferreira 1986, p. 988.
  38. Ferreira 1986, p. 990.
  39. a b Ferreira 1986, p. 1439.
  40. Ferreira 1986, p. 1107.
  41. Ferreira 1986, p. 1799.

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Amaral, Ilídio do (1996). O reino do Congo, os Mbundu (ou Ambundos), o reino dos "Ngola" (ou de Angola) e a presença portuguesa de finais do século XV a meados do século XVI. Lisboa: Ministério da Ciência e da Tecnologia, Instituto de Investigação Científica Tropical 
  • Amorim, Maria Adelina; Marques, ‎Maria Lúcia Garcia Marques; Moita, ‎Susana Brites (2007). Dicionário temático da lusofonia. Lisboa: Texto Editores 
  • Chatelain, Héli; Lima, ‎Fernando de Castro Pires de (1964). Contos populares de Angola: cinquenta contos em quimbundo. Lisboa: Agéncia-Geral do Ultramar 
  • Cunha, A. G. (1996). Dicionário etimológico Nova Fronteira da língua portuguesa 2.ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira 
  • Ferreira, A. B. H. (1986). Novo dicionário da língua portuguesa 2.ª ed. Rio de Janeiro: Nova Fronteira 
  • Lopes, Nei (1995). Novo Dicionário Banto do Brasil. Rio de Janeiro: Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, Centro Cultural José Bonifácio 
  • Rego, António da Silva (1961). Lições de missionologia. Lisboa: Junta de Investigações do Ultramar, Centro de Estudos Políticos e Sociais 
  • Ribas, Óscar (1994). Dicionário de regionalismos angolanos. Matosinhos: Contemporânea 
  • Voegelin, C. F.; Voegelin, F. M. (1977). Classification and index of the world’s languages. Nova Iorque: Elsevier North Holland 
  • Weisenfeld, Lori P. (1999). World almanac and book of facts. Mahwah, Nova Jérsei: World Almanac Books 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre linguística ou um linguista é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.