Quinhamel

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Quinhamel
Quinhamel main street.jpg
Nome oficial
QuinhamelVisualizar e editar dados no Wikidata
Nome local
Quinhamel
Geografia
País
Província
Província Norte (en)
Subdivisões
Sector
Quinhamel (d)
Sede
Sector de Quinhamel
Capital de
Área
451 km2Visualizar e editar dados no Wikidata
Altitude
0 mVisualizar e editar dados no Wikidata
Coordenadas
GW-Quinhamel.png
Demografia
População
42 659 hab. ()Visualizar e editar dados no Wikidata
Densidade
94,6 hab./km2 ()
Gentílico
quinhamelense
Funcionamento
Diocese
Geminação
identidade
Línguas oficiais

Quinhamel é uma cidade e sector da Guiné-Bissau, a capital e mais populosa povoação da região de Biombo.

Segundo o censo demográfico de 2009 o sector possuía uma população de 42 659 habitantes,[1] sendo que 5 594 habitantes somente na zona urbana da cidade de Quinhamel, distribuídos numa área territorial de 451,0 km².[2][3] Fica a cerca de 37 quilómetros de Bissau.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Área fluvial do Hotel Mar Azul, servindo como cais-marina para barcos particulares.

Geograficamente Quinhamel está limitada pelo rio Mansoa (norte) e pelo rio Petu (sul), estando localizada na ilha de Bissau.[4] Há ainda um número grande de pequenos rios e canais distributários ou do rio Mansoa ou do Petu.[5]

As suas paisagens são compostas por mangal, bolanhas e cajueiros.[6]

O sector de Quinhamel é composto pelas secções Sede (correspondente à cidade de Quinhamel), Bissauzinho, Bijimita, Blom, Gorse, Ilondé (Intichude de Baixo Ilonde), Ondame, Patu, Ponta Biombo e Tór.[7] A secção Sede, a cidade de Quinhamel, subdivide-se em 6 bairros.

Economia[editar | editar código-fonte]

A economia local assenta na produção tradicional de panos pente, aguardente de cana, aguardente de caju ou aguardente de mel, além de pescados e mariscos.[8]

Infraestrutura[editar | editar código-fonte]

Quinhamel é ligada ao território nacional pela Estrada Local nº 2 (L2), que a liga à Safim, ao leste, e a Ponta Biombo, ao sudoeste.[9]

Quinhamel também possui um pequeno porto fluvial especializado em embarque e desembarque de mariscos e pescados.

A cidade possui um campus-polo da Escola Normal Superior Tchico Té (ENSTT), instituição componente da Universidade Amílcar Cabral. A ENSTT oferta basicamente licenciaturas.[10]

Referências

  1. «Guinea Bissau Census Data, 2009 - Série Temporal de População Total Residente - Sector de Quinhamel». Instituto Nacional de Estatística. 15 de janeiro de 2016. Consultado em 25 de junho de 2020 
  2. Estudo: Guiné-Bissau. Lisboa: ANEME, 2018.
  3. «Boletim Estatístico da Guiné-Bissau: Guiné-Bissau em Números 2015» (PDF). Instituto Nacional de Estatística. 2015 
  4. Vanden Bossche, J.-P.; Bernacsek, G.M.. Source book for the inland fishery resources of Africa: Guinea-Bissau. CIFA Technical Paper. No. 18.2. Rome, FAO. 1990. 411p.
  5. Map of Bissau and Bissagos Archipelago, Guinea-Bissau, West Africa. Army Map Service, Corps of Engineers, U.S. Army. 1953
  6. Biombo: cidade de Quinhamel. Radio Jovem Bissau. 2018.
  7. Atlas UEMOA: Nom Sites. UEMOA. [s/d]
  8. Benzinho, Joana; Rosa, Marta (2018). Guia Turístico - À Descoberta da Guiné-Bissau. Coimbra: Afectos com Letras, UE. 16 páginas
  9. Mapa Rodoviário da Guiné-Bissau. Direcção Nacional de Estradas e Pontes. Outubro de 2018.
  10. Onde Estamos: Guiné-Bissau. Instituto Camões. 2020.
Ícone de esboço Este artigo sobre Geografia da Guiné-Bissau é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.