Quinteto Académico

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Question book-4.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo, o que compromete a verificabilidade (desde janeiro de 2012). Por favor, insira mais referências no texto. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Quinteto Académico
Informação geral

Biografia[editar | editar código-fonte]

Era um grupo de cinco músicos com muito boa vontade mas tecnicamente com carências. A formação original era constituída por Daniel Gouveia (piano), Mário Assis Ferreira (viola eléctrica), Artur Pinto (bateria), José Manuel Fonseca (clarinete) e José Augusto Duarte (contrabaixo). [1]

Participam na banda sonora do filme "Domingo à Tarde" (1965) de António de Macedo. A banda sonora do filme "Sete Balas para Selma", do mesmo realizador, era composta por canções com letra do poeta Alexandre O'Neill musicadas pelo Quinteto Académico (grupo popularizado por temas românticos) e cantadas por Florbela Queiroz. [1]

O Quinteto Académico participou no primeiro Festival de Vilar de Mouros, que decorreu nos dias 3 e 4 de Agosto de 1968 no Campo do Casal. [1]

Por volta de 1968, dá-se uma grande reviravolta na banda ficando apenas José Manuel Fonseca e entrando para o grupo Pedro Osório (teclas), o belga Adrian Ransy (bateria), o luso-francês Jean Sarbib (baixo) e Carlos Carvalho (guitarra). Mário Assis Ferreira passou a ser o agente artístico do Quinteto Académico. [1]

Pedro Osório e Jean Sarbib saem e dá-se a entrada de 4 novos elementos: o teclista inglês Mike Carr; o norte americano Earl Jordan como vocalista; o trompetista sul africano Alain Brown e Carlos Carvalho (guitarra). A formação ficou então com 7 elementos e o grupo passou a designar-se Quinteto Académico + 2.[1]

Dany Silva (ex-Charruas) também fez parte do grupo QA+2.[1]

As compilações "Portugal Deluxe", editadas em 1997 e 1998, incluem vários temas do grupo: "I've got my mojo working", "Abdulah" , "Papa's got a brand new bag" e "Judy In Disguise".[1]

Discografia[editar | editar código-fonte]

(incompleta)

Quinteto Académico

  • Watcha - AVDD - 1965 [Watcha / Let Kiss / Abdulah / Michael
  • Reach Out I´ll Be There - 1966 - AVDD 7LEM 3178 [Winchester Cathedral/Nobody Else/Reach Out I'll Be There/ I've Got My Mojo Working] - 3178
  • Train - AVDD [Puppet On A String / Train / Finchley / 724710] - 3189

Quinteto Académico +2

  • Don't Mind / Judy In Disguise - MQ 228 - 1968
  • Why / Klaundyke Wood - AVDD MQ 229
  • Love Love Lovermen - AVDD

Curiosidades[editar | editar código-fonte]

  • Mário Assis Ferreira é o administrador do Casino Estoril. [1]
  • Adrien foi músico de orquestras de jazz na Bélgica
  • Alexandre Barreto, viola baixo, tocou no Quinteto Académico de 1963 a 1966 foi substituído por Jean Sarbib.
  • Jean (Saheb) Sarbib é baixista de jazz tendo-se radicado nos EUA.
  • Mike Seargent tocou em grupos como o Quarteto 1111 e os Gemini. [1]
  • Adrian e José Manuel Fonseca tocaram no Conjunto Académico João Paulo, mas saíram pouco tempo depois devido a incompatibilidades musicais.
  • Daniel Gouveia é hoje considerado um dos maiores conhecedores de Fado, tendo composto o Fado Daniel (Tradicional), além de juntar a composição às palavras no Fado da Internet, popularizado por Carlos Zel e mais recentemente, A Zanga do Sr. Fado, de José da Câmara.

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]