Quinto Larônio

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Quinto Larônio
Cônsul da República Romana
Consulado 33 a.C.

Quinto Larônio (em latim: Quintus Laronius) foi um político da gente Larônia da República Romana nomeado cônsul sufecto em 33 a.C. com Lúcio Vinício. Era de origem italiana, mas não latina.[1] Foi um grande aliado de Otaviano durante o Segundo Triunvirato.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Larônio foi um dos almirantes da frota de Otaviano durante a guerra contra Sexto Pompeu em 36 a.C.. Depois que a frota de Otaviano foi derrotada, recebeu ordens de levar três legiões de Marco Agripa, enviadas por Otaviano, para aliviar a perigosa situação na qual estava Lúcio Cornifício em Messina, depois de seu desembarque na Sicília.[2] Larônio então conseguiu se juntar às forças de Cornfício, no monte Etna, que conseguiu fugir de seu acampamento sistiado, escoltando-o à segurança.[3] Depois disto, Larônio foi aclamado imperator por suas tropas, mas não conseguiu celebrar um triunfo.[4]

Como crescia rapidamente a quantidade de aliados de Otaviano, este aproveitou o ano de 33 a.C. para homenagear homens de pouca reputação da aristocracia romana ou pessoas com influência nas demais cidades da Itália. Por isto, apesar de ser um homem novo,[5] mas acabou nomeado cônsul sufecto, em 33 a.C., no lugar de Caio Fonteio Capitão em 1 de outubro.[6]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
Lúcio Emílio Lépido Paulo (suf.)

com Marco Herênio Piceno (suf.)

Otaviano II
33 a.C.

com Lúcio Volcácio Tulo
com Lúcio Autrônio Peto
com Lúcio Flávio
com Caio Fonteio Capitão
com Marco Acílio Glabrião
com Lúcio Vinício
com Quinto Larônio

Sucedido por:
Cneu Domício Enobarbo

com Caio Sósio


Referências

  1. Wells, Colin Michael, The Roman Empire (1995), pg. 22
  2. Apiano, De bellis civilibus V 112, 115
  3. Sheppard, Si, Actium 31 BC: Downfall of Antony and Cleopatra (2009), pg. 15
  4. Broughton, II p. 359
  5. Ronald Syme, The Roman Revolution, p. 328
  6. TBroughton, II p. 413

Bibliografia[editar | editar código-fonte]