Quinto Márcio Filipo (cônsul em 281 a.C.)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Quinto Márcio Filipo redireciona para cá. Não confundir com seu neto, Quinto Márcio Filipo, cônsul em 186 e 169 a.C..
Quinto Márcio Filipo
Cônsul da República Romana
Consulado 281 a.C.

Quinto Márcio Filipo (em latim: Quintus Marcius Philippus) foi um político da gente Márcia da República Romana, eleito cônsul em 281 a.C. com Lúcio Emílio Bárbula. Seu pai provavelmente era Quinto Márcio Trêmulo, cônsul em 306 e 288 a.C. e Quinto Márcio Filipo, cônsul em 186 e 169 a.C., era seu neto. Adotou o cognome "Filipo" (em latim: Philippus), que passou para seus descendentes.

Consulado (281 a.C.)[editar | editar código-fonte]

Foi eleito cônsul juntamente com Lúcio Emílio Bárbula em 281 a.C. e liderou a guerra contra os etruscos, vitória pela qual celebrou um triunfo em 1 de abril do mesmo ano.

Anos finais[editar | editar código-fonte]

Em 269 a.C., foi eleito censor com Lúcio Emílio. Em 263 a.C., Cneu Fúlvio Máximo Centumalo foi nomeado ditador clavi figendi causa e escolheu Quinto Márcio como seu mestre da cavalaria. Sua única função era realizar o ritual no qual pregava o clavus annalis nas calendas do Templo de Júpiter Capitolino e, aparentemente, os dois renunciaram logo em seguida.

Ver também[editar | editar código-fonte]

Cônsul da República Romana
SPQR.svg
Precedido por:
'Caio Fabrício Luscino

com Quinto Emílio Papo

Lúcio Emílio Bárbula
281 a.C.

com Quinto Márcio Filipo

Sucedido por:
'Públio Valério Levino

com Tibério Coruncânio


Referências

Bibliografia[editar | editar código-fonte]