Quisto sinovial

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Quisto sinovial
Quisto no dorso da mão esquerda próximo do pulso
Sinónimos Cisto sinovial
Especialidade Cirurgia plástica
Sintomas Pequeno nódulo arredondado associado a uma articulação[1]
Complicações Síndrome do túnel cárpico, compressão da artéria radial[2]
Início habitual 10 a 50 anos de idade[1]
Método de diagnóstico Geralmente baseado nos sintomas[2]
Condições semelhantes Lipoma, quisto epidermoide, gota, hemangioma[2]
Tratamento Vigilância, ortóteses para a articulação afetada, punção aspirativa por agulha fina, cirurgia[1]
Prognóstico Sem gravidade[1]
Frequência ~3 em 10 000 por ano (pulso e mão)[3]
Classificação e recursos externos
CID-11 953243647
DiseasesDB 31229
eMedicine 1243454
MeSH D045888
A Wikipédia não é um consultório médico. Leia o aviso médico 

Um quisto sinovial é um tumor benigno associado a uma articulação ou bainha sinovial do tendão adjacente.[1] A localização mais comum é em redor do pulso.[1][2] Em muitos casos vão-se desenvolvendo gradualmente ao longo de meses.[2] Geralmente não se manifestam outros sintomas.[1] Em alguns casos pode ocorrer dor ou formigueiro no local.[1] Entre as possíveis complicações estão a síndrome do túnel cárpico ou a compressão da artéria radial.[2]

Desconhecem-se as causas.[1] Acredita-se que o mecanismo subjacente envolva evaginação da membrana sinovial.[2] Entre os fatores de risco está a prática de ginástica.[1] O diagnóstico geralmente baseia-se na observação do tumor, podendo ser apoiada por uma observação em contra-luz.[2] Em alguns casos pode ser complementada por exames imagiológicos para descartar outras possíveis causas.[1][2] Entre outras condições que manifestam sintomas semelhantes estão o lipoma, quisto epidermoide, gota e hemangioma.[2]

Entre as opções de tratamento estão a vigilância, uso de ortóteses na articulação afetada, punção aspirativa por agulha fina ou cirurgia.[1] Em cerca de metade dos casos o quisto desaparece espontaneamente sem qualquer tratamento.[2] Em cada ano, cerca de 3 em cada 10 000 pessoas desenvolvem novos quistos sinovais na mão ou no pulso.[3] A ocorrência de quistos sinovais é mais comum em mulheres jovens e de meia idade.[1] Tentar curar a lesão com o impacto de objetos é desencorajado.[2]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m «Ganglion Cyst of the Wrist and Hand-OrthoInfo». orthoinfo.aaos.org. Março de 2013. Consultado em 10 de junho de 2017. Cópia arquivada em 6 de julho de 2017 
  2. a b c d e f g h i j k l Ferri, Fred F. (2014). Ferri's Clinical Advisor 2015 E-Book: 5 Books in 1 (em inglês). [S.l.]: Elsevier Health Sciences. p. 472. ISBN 9780323084307. Cópia arquivada em 10 de setembro de 2017 
  3. a b Cooney, William P. (2011). The Wrist: Diagnosis and Operative Treatment (em inglês). [S.l.]: Lippincott Williams & Wilkins. p. 1089. ISBN 9781451148268. Cópia arquivada em 10 de setembro de 2017 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Quisto sinovial