Rádio 100

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para Rádio 100 (Alpiarça, Portugal), veja RES FM.
Rádio 100
{{{alt}}}
Rádio Pajeú FM Ltda.
País Brasil
Cidade de concessão Fortaleza, Ceará
Frequência(s) FM 100.9 MHz
Sede Fortaleza, Ceará
Slogan Tá tudo bem? Tá tudo 100!
Fundação 11 de novembro de 1985 (33 anos)
Fundador Uirandé Borges
Adriano Mota Augusto Borges
José Romildo Ribeiro
Pertence a D&E Entretenimento (50%)
A3 Entretenimento (50%)
Antigo(s) proprietário(s) Zé Gerardo Arruda
Franzé Loiola
Sócio(s) Isaías Duarte[1]
Carlinhos Aristides[1]
Antônio Carolino Soares[2]
Faixa etária Acima dos 20 anos[3]
Afiliações anteriores Rede SomZoom Sat (1997-2000)
Prefixo ZYC 418
Nome(s) anterior(es) Pajeú FM (1985-1992)
Cobertura Região Metropolitana de Fortaleza
Dados técnicos Potência: 15,8 kW
Classe: A1
RDS: Não
Página oficial www.radio100.com.br

Rádio 100 é uma emissora de rádio brasileira sediada em Fortaleza, capital do estado do Ceará. Opera no dial FM, na frequência 100.9 MHz. Fundada em 11 de novembro de 1985 por Uirandé Borges, Adriano Mota Augusto Borges e José Romildo Ribeiro, a emissora era chamada de Pajeú FM e contava com uma programação voltada para o público adulto de classe alta. Atualmente com grade popular, é controlada em parceria com a D&E e A3 Entretenimento.[3]

História[editar | editar código-fonte]

A frequência foi inaugurada como Pajeú FM em 11 de novembro de 1985, através da união do coronel Uirandé Borges com Adriano Mota Augusto Borges e José Romildo Ribeiro. Em seu primeiro ano no ar, a rádio investiu no estilo adulto-contemporâneo, voltado para as classes mais altas. Para este projeto, foi contratado o coordenador artístico Eduardo Valença, da Cidade FM.[4] Um dos nomes de destaque desta fase foi a apresentadora Maísa Vasconcelos.[3][4]

Já em 1986, a rádio reformulou sua programação e passou a contar com uma mistura de programação jovem e popular, combinando estilos que estavam funcionando separadamente, respectivamente, na FM do Povo e Verdes Mares FM. Este modelo durou até 1992, quando a emissora foi renomeada para Rádio 100. Neste momento, a rádio investia nos estilos pop, rock e funk.[3] Ao se consolidar entre as classes C e D, passou a investir no pagode e na música sertaneja.[4]

Ainda na década de 1990, a rádio foi vendida ao empresário e político Zé Gerardo Arruda.[4] Posteriormente, foi adquirida pelo radialista Franzé Loiola por oitocentos mil reais.[4] Em 2007, teve 50% de suas ações vendidas para a D&E Entretenimento[5], posteriormente teve a outra parte vendida para a A3 Entretenimento.[6] A participação de pessoas ligadas à A3 Entretenimento foi investigada pela Polícia Federal na Operação For All, deflagrada em outubro de 2016. Isaias Duarte e Carlinhos Aristides foram investigados por sonegação fiscal.[1]

Referências

  1. a b c Messias Borges (6 de março de 2017). «Empresas e bandas de forró omitiram R$ 167 milhões no IR». Diário do Nordeste. Consultado em 9 de julho de 2017. 
  2. «Relação dos sócios das emissoras de rádio e televisão» (PDF) (em português brasileiro): 1-554. Consultado em 24 de dezembro de 2016. 
  3. a b c d PINHEIRO, A.; LIMA, N.; MARQUES, P. (2010). «Panorama do Rádio em Fortaleza» (PDF). Fortaleza. Intercom – Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares da Comunicação (em português brasileiro): 1-15. Consultado em 30 de julho de 2016. 
  4. a b c d e Canalito & Leme 2007, p. 106.
  5. «Grupo D&E Entretenimento associa-se à rádio cearense 100.9 FM». Portal IMPRENSA. 27 de setembro de 2009. Consultado em 28 de abril de 2017. 
  6. Yucca Aguiar (18 de setembro de 2012). «Fusão: A3 Entretenimento de Fonttes Promoções anunciam parceria». Portal SG. Consultado em 18 de outubro de 2016. 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • Canalito, Jorge; Leme, Paulinho (2007). Rádio FM: Em Fortaleza é outra história. Fortaleza: Premius Editora. ISBN 9788590732907 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]