Rádio Difusora (São Luís)

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rádio Difusora
Ficheiro:Am680difusora.png
Rádio & TV Difusora do Maranhão Ltda.
País  Brasil
Frequência(s) AM 680 kHz
Sede Bandeira de São Luís.svg São Luís, MA
Avenida Camboa, 120 - Camboa
MAPA
Slogan A Poderosa
Fundação 29 de outubro de 1955 (62 anos)
Fundador Magno Bacelar
Raimundo Bacelar
Pertence a Sistema Difusora de Comunicação
Proprietário(s) Edison Lobão Filho
Antigo(s) proprietário(s)
Formato Emissora comercial
Género Entretenimento, Jornalismo e Esportes
Faixa etária Público de 30 a 75 anos
Idioma (português brasileiro)
Prefixo ZYH 885
Prefixo(s) anterior(es) ZYF 24
Emissoras irmãs
Cobertura Cerca de 125 cidades do Estado do Maranhão
Coord. do transmissor 2° 32' 16.3" S 44° 19' 51.8" O
Potência 10 kW
Webcast Ouça ao vivo
Página oficial ma10.com.br
Nova FM (futuramente)

Rádio Difusora é uma emissora de rádio brasileira instalada na cidade de São Luís, capital do estado do Maranhão. Opera no dial AM, na frequência 680 kHz, e não mantém afiliações. A emissora pertence ao Sistema Difusora de Comunicação, do qual também fazem parte a TV Difusora (afiliada ao SBT), a Difusora FM, e o portal iDifusora.com, ambos de propriedade do político e empresário Edinho Lobão. Seus estúdios ficam localizados no bairro da Camboa, onde está a sede do Sistema Difusora de Comunicação, e sua torre de transmissão está no bairro da Vila Nova.

História[editar | editar código-fonte]

1955 à 1997[editar | editar código-fonte]

A Rádio Difusora entrou no ar em 29 de outubro de 1955, como a segunda emissora de rádio do Maranhão, e quebrando o monopólio da Rádio Timbira como única emissora de rádio do estado desde 1941.[1] Esta foi a primeira empreitada dos irmãos Magno e Raimundo Bacelar no ramo das comunicações, sendo que 8 anos depois eles viriam inaugurar a TV Difusora (primeira emissora de televisão do Maranhão), e 24 anos depois a Difusora FM (primeira emissora de Rádio FM do Maranhão)

Em 30 de outubro de 1971, em comemoração ao aniversário da Rádio Difusora, o na época radialista da emissora, Sérgio Brito, inspirou-se no americano Orson Welles, e resolveu retratar na emissora que estava havendo uma invasão alienígena a Terra, com base na adaptação radiofônica do livro de ficção científica "A Guerra dos Mundos", de Herbert George Wells, da mesma maneira que Welles havia feito em uma rádio dos Estados Unidos em 1938. Os ouvintes ludovicenses, desesperados com o que ouviram pela transmissão que durou cerca de 1h30, começaram a entrar em pânico, o que se refletiu no fechamento do comércio de São Luís, além de colocarem o exército brasileiro de prontidão nas ruas da capital maranhense. Para os ludovicenses, era mais do que uma invasão alienígena, era o verdadeiro fim do mundo. Descoberta a farsa, Sérgio e os outros radialistas que participaram da brincadeira não foram presos, mas a Rádio Difusora ficou com os transmissores lacrados por três dias.[2][3]

Em 1988 a Rádio Difusora, bem como os outros meios de comunicação do Sistema Difusora de Comunicação, foram vendidos por Magno Bacelar para o governador do estado Epitácio Cafeteira, em função do golpe midiático dado por José Sarney, para que Bacelar perdesse as eleições para senador e vendesse seus meios de comunicação aos seus aliados, além de estar enfrentado uma grave crise financeira. Já ano seguinte, Cafeteira vendeu novamente a emissora, desta vez para o ex-deputado e jornalista Edison Lobão, que colocou nas mãos de seu filho, Edinho Lobão, a administração do Sistema Difusora de Comunicação, e consequentemente, da Rádio Difusora.

1997 a 2009[editar | editar código-fonte]

Em junho de 1997 houve uma mudança radical na programação da Rádio Difusora. A rádio, que até então se dedicava as notícias e os esportes, passou a veicular cultos da Igreja Universal do Reino de Deus, com base no arrendamento da emissora aos pastores da igreja. Imediatamente, a Rádio Difusora perdeu toda a sua audiência, com base ao boicote dos ouvintes a nova programação. A falta de qualidade nos programas produzidos, bem como a queda de audiência, jogou fora todo um legado de várias décadas de qualidade e excelência nas transmissões jornalísticas da Difusora.

Em 2003 a Rádio Difusora passou a ser afiliada à Rede Aleluia. No ano de 2009, a Rádio Difusora passou a fazer transmissão simultânea com a 105 FM, que também estava arrendada a Igreja Universal.

Década de 2010[editar | editar código-fonte]

No ano de 2010, quem ouvia a Rádio Difusora podia notar constantes falhas de transmissão e quedas de sinal da rádio. Isso acontecia devido a qualidade dos equipamentos usados na transmissão, que já estavam sucateados. Mesmo com os gastos que a Igreja Universal tinha para manter o arrendamento da Difusora, isso não significou em momento algum uma melhoria para a emissora.

À meia-noite do dia 5 de junho de 2011, após 14 anos de transmissão dos cultos da Igreja Universal, a Rádio Difusora começou a tocar músicas e anunciar a estreia de sua nova programação (que foi posta no ar em outubro), voltando a brigar pela audiência com as suas concorrentes, entre elas a Rádio Mirante, a Rádio Capital, a Rádio São Luís, entre outras.

Em janeiro de 2012 a Rádio Difusora extinguiu e modificou vários programas de sua grade, inclusive arrendando novamente sua grade de programação a alguns programas independentes, inclusive sua faixa nobre (horário das 22h00 à 00h00) que foi arrendada para a Igreja Pentecostal Deus é Amor. Porém o perfil jornalístico da rádio continuou o mesmo.

Em setembro de 2013, uma pesquisa feita por por um portal paulistano indicava que a Rádio Difusora estava entre as rádios mais ouvidas do Maranhão pela web, com base em 51 emissoras de rádio com player na internet, inclusive rádios FM. A pesquisa também indica que a rádio vem crescendo em audiência pela web, o que também melhora os índices de acesso do iDifusora.com, o portal do Sistema Difusora de Comunicação da internet.[4]

Em março de 2014, a equipe esportiva da Difusora sofreu dois desfalques, quando os narradores Sólon Vieira e Galvão Santana deixam a emissora. Sólon passa a comandar a jornada esportiva da 92 FM, estreante em coberturas esportivas, enquanto Galvão segue para a Rádio Capital, onde passa a se revezar nas locuções com o titular Carlos Brandão. Com isso, apenas Laércio Júnior permanece como narrador da emissora, além de apresentador do Rolando a Bola, alternando-se com Garcia Júnior e Anacleto Araújo.

Em setembro de 2014, a Rádio Difusora, bem como a TV Difusora, foi multada pela Justiça Eleitoral em mais de R$ 200.000,00 por emitir matérias tendenciosas contra o candidato Flávio Dino (PCdoB), que disputava o governo do estado do Maranhão contra Edinho Lobão (PMDB), proprietário da emissora.[5]

Entre 13 e 27 de outubro, a emissora foi tirada do ar para troca da torre de 115 metros no bairro da Vila Nova. O anúncio foi feito através de uma nota transmitida nos veículos de comunicação do Sistema Difusora de Comunicação, e publicada no iDifusora.com e também nas redes sociais:

Em 16 de janeiro de 2015, Laércio Júnior deixa os microfones da Rádio Difusora e é contratado pela TV Guará, onde irá narrar os jogos do Campeonato Maranhense de Futebol pela emissora.[7] Em seu lugar, o radialista Adiel Mendes passa a comandar as jornadas esportivas da emissora e o programa Rolando a Bola.

Após a migração para o FM, a Difusora AM passará a se chamar Nova FM e a frequência será a 93,1.

Programas e comunicadores[editar | editar código-fonte]

  • Balanço Esportivo (Garcia Júnior)
  • Blitz Difusora (Silvan Alves)
  • Bom Dia Compadre (Raimundo Filho)
  • Canta Maranhão (Helena Leite, Joel Jacyntho e Juarez Sousa)
  • Enquanto a Bola não Rola (Josué Furtado)
  • Hora Extra (Walkir Marinho)
  • Manhã Difusora (Silvan Alves)
  • Nossa Terra, Nossa Gente
  • Questão de Justiça
  • Reminiscência Esportiva (Walber "Canarinho" Ramos Martins)
  • Rolando a Bola (Anacleto Araújo e Sólon Vieira)
  • Sábado Esportivo
  • Toque de Primeira
Com a Difusora FM
  • Ponto & Vírgula (Leandro Miranda, Marcelo Minard e Frederico Luiz)
  • Repórter Difusora (Daucyana Castro, Robson Júnior e Ricardo Baty)

Equipe esportiva[editar | editar código-fonte]

  • Sólon Vieira, Josué Furtado e Carlos Afonso, narração.
  • Emílio Bidiu, Nonato Perna e Josué Furtado, comentaristas.
  • Robson Martins Ferreira, comentarista de arbitragem.
  • Carlos Afonso, Maksuel Bruno, Rodrigo Barbosa e Edmilson Costa, repórteres.
  • Garcia Júnior, plantão, apresentação e direção.

A Rádio Difusora gera jornadas esportivas de jogos dos times Sampaio Corrêa, Moto Club e outros, nos campeonatos Maranhense, Brasileiro (Série D e Série B), entre outros. Quando os times jogam em uma competição fora do estado, a Rádio Difusora faz parcerias de transmissão com outras emissoras ou manda uma equipe de transmissão. A Difusora também retransmite algumas jornadas esportivas da Super Rádio Tupi, especialmente jogos do Brasileiro e da Copa do Mundo.

Referências

  1. Adriano Costa Rodrigues (2006). «Jornalismo nas Ondas do Rádio - Estudo de caso: Análise crítica do programa "O Ministério Público e a Cidadania"» (PDF). Biblioteca Online de Ciências da Comunicação. Consultado em 1 de novembro de 2013 
  2. Alec Duarte (26 de outubro de 2011). «Programa de rádio que causou pânico no Maranhão faz 40 anos». G1. Consultado em 31 de outubro de 2013 
  3. Manoel Santos Neto (25 de janeiro de 2006). «A Aurora da TV e do Rádio no Maranhão». Guesa Errante. Consultado em 31 de outubro de 2013 
  4. «Difusora AM lidera acessos entre as rádios na internet». iDifusora.com. 17 de setembro de 2013. Consultado em 1 de novembro de 2013 
  5. Garrone, Raimundo (16 de setembro de 2014). «Justiça Eleitoral suspende propagandas de Edinho Lobão e aplica multa por uso irregular de TV». Blog do Raimundo Garrone - Jornal Pequeno. Consultado em 10 de janeiro de 2014 
  6. [1]
  7. Filho, João (16 de janeiro de 2015). «Laércio Jr: Diferente por natureza». Blog do João Filho. Consultado em 22 de janeiro de 2015 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Rádio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.