Rádio Tupi de São Paulo

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Disambig grey.svg Nota: Para a rádio homônima que teve este nome entre 1985 e 2013, veja Super Rádio.
Rádio Tupi de São Paulo
S/A Rádio Tupan
País  Brasil
Cidade de concessão Bandeira da cidade de São Paulo.svg São Paulo, SP
Frequência(s) AM 1040 kHz (1937-1981)
560 kHz (1981-1984)
OC 6095 kHz (49m)
11765 kHz (25m)[nota 1]
Slogan 120.000 watts de potência, abraçando o grande Brasil
A primeira no seu rádio
Fundação 3 de setembro de 1937
Extinção Janeiro de 1984
Fundador Assis Chateaubriand
Pertence a Diários Associados
Proprietário(s) Assis Chateaubriand (1937-1968)
Condomínio Acionário (1968-1984)
Género Jornalismo, popular, esportes
Idioma Língua portuguesa
Prefixo ZYK 693
Nome(s) anterior(es) PRG-2 Radio Tupy
Cobertura São Paulo, estado de São Paulo e estados vizinhos

Rádio Tupi foi uma emissora de rádio brasileira de São Paulo, que inicialmente operava na frequência de onda média (AM) 1040 kHz, e depois mudou para os 560 kHz.

História[editar | editar código-fonte]

A emissora foi inaugurada em 3 de setembro de 1937 por Assis Chateaubriand no Edifício Guilherme Guinle, situado na Rua 7 de Abril, no centro de São Paulo, e contou com a presença de autoridades, gente da alta sociedade paulistana, orquestra e coral, em transmissão simultânea com a PRG-3, Rádio Tupi do Rio de Janeiro. [1] No final dos anos 1940, com a aquisição da Rádio Difusora, a Tupi foi transferida para o bairro do Sumaré, onde seria inaugurada a TV Tupi em setembro de 1950. Um de seus primeiros locutores foi Homero Silva. [2]

Em abril de 1942, estreou o Grande Jornal Falado Tupi e em abril de 1946 o Matutino Tupi, que ficou no ar ate fevereiro de 1977, [3]ambos sob o comando de Corifeu de Azevedo Marques. Ambos inovaram na forma de se fazer radiojornalismo, graças à estrutura da mídia impressa dos Diários Associados. [4]

No ano de 1956, a emissora promoveu um torneio de violeiros que foi vencido pela dupla Tião Carreiro & Pardinho com o cururu Canoeiro, composto por Zé Carreiro, então parceiro de Carreirinho. Este, por sua vez, mudou seu nome artístico para Pardinho. Foi o ponto de partida para o sucesso da dupla sertaneja que mais tarde viriam a ser chamados de Os Reis do Pagode. [5]

A famosa Equipe 1040 de esportes marcou o rádio esportivo na década de 1960 sob o comando de Pedro Luiz e Mario Moraes, e nos anos 1970, quando se especializou em divulgar resultados da Loteria Esportiva (atual Loteca), com a célebre chamada Loteria Esportiva Tupi. Nessa época seus integrantes eram : Haroldo Fernandes, Milton Camargo, Paulo Edson, [6] Joseval Peixoto, Lucas Neto, entre outros. [7]

Em 2 de setembro de 1970, no estádio Ypiranga em Erechim, no Rio Grande do Sul, Pelé marcou o seu gol de n.1040 em um jogo do Santos contra o Grêmio, e esse gol foi uma homenagem à Equipe 1040 da Tupi, ate hoje exposta em uma placa comemorativa no estádio daquela cidade gaúcha. [8]

Ao longo de sua história, muitos comunicadores ocuparam os microfones da Tupi São Paulo, como Hélio Ribeiro, o "Caboclão" Octávio Pimentel (ex-repórter da Equipe 1040), Luiz Aguiar, [9] Gil Gomes, Eli Corrêa, Barros de Alencar, e muitos outros.

No final dos anos 1970, a crise financeira dos Diários Associados que resultou no fim da Rede Tupi afetou também a rádio, com a saída de comunicadores para outras emissoras de São Paulo. Seis dias antes do fechamento da TV Tupi, a Justiça decretou a concordata da S.A. Rádio Tupan (razão social da Rádio Tupi SP).[10]

Em novembro de 1981, a Rádio Tupi trocou de frequência com a Rádio Capital, que passou a operar no canal internacional 1040 kHz e a Tupi foi para os 560 kHz. [11]

Com uma equipe desfalcada, baixa audiência e afundada em dívidas, a emissora teve sua falência decretada pela Justiça e tirada do ar em janeiro de 1984.[12] [13] [14]

Notas e referências

Notas

  1. Concessões de ondas curtas (OC) pertencentes à Rádio Difusora (São Paulo), que foram cassadas em setembro de 1981.

Referências

  1. «Inaugurou-se hontem a PRG-2 Radio Tupy». Folha da Noite. 4 de setembro de 1937 
  2. «Biografia de Homero Silva». Netsaber 
  3. «Sai do ar o Matutino Tupi; sem anunciar o próprio fim». O Estado de S. Paulo. 6 de fevereiro de 1977 
  4. Swetlana, Gisela. «Radiojornalismo no Brasil : fragmentos de história». Revista USP. p. 9, 10 
  5. «Tião Carreiro e Pardinho - Dados Artísticos» 
  6. «Paulo Edson - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 6 de outubro de 2019 
  7. «Morre cronista esportivo que comandou o auge da Rádio Tupi de SP». Futebol Interior 
  8. «Haroldo Fernandes - Que fim levou?». Terceiro Tempo 
  9. «Luiz Aguiar - Que fim levou?». Terceiro Tempo 
  10. «Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOSP) de 12/07/1980, Poder Judiciário, parte 2, pág.15» 
  11. «Diário Oficial da União (DOU) de 12/11/1981, pág 82, Seção 1» 
  12. «Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOSP) de 11/01/1984, Poder Judiciário, caderno 1, pág 24» 
  13. Álvaro Bufarah, Ferreira, Álvaro; Gisele Sayeg Nunes; Albano da Silva, Júlia Lúcia de Oliveira; Villaça, Lenize; Prado, Magaly; Sergl, Marcos Júlio; Rangel, Patrícia (2010). «Panorama do Rádio em São Paulo» (PDF). Intercom 
  14. «Nova emissora ganha frequência da Tupi». O Estado de S. Paulo. 5 de outubro de 1984