Rádio Vila Verde

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Rádio Vila Verde
Rádio Vilaverde Lda.
País  China
Sede Macau
Fundação 1950
Fundador Pedro José Lobo
Pertence a Rádio Vilaverde Limitada
Idioma Cantonense
Sítio oficial http://www.am738.com/

A Rádio Vila Verde (Rádio Vilaverde Lda.), também grafada em Rádio Vilaverde (em chinês: 綠邨電台), é uma rádio emissora macaense sediada na Região Administrativa Especial de Macau (RAEM) da República Popular da China e as suas emissões em cantonense e a vinte e quatro horas por dia, podem ser captadas em Macau, Hong Kong, Zhuhai, Shenzhen e em várias cidades da província chinesa de Cantão.[1]

Localizada atualmente no Hipódromo da Taipa, as suas principais emissões em direto são os resultados das corridas locais de cavalos e de galgos, usando a AM 738. Além dos resultados, a Rádio Vila Verde também transmite alguns programas de entretenimento e música, bem como programas relacionados com o futebol (incluindo os resultados dos jogos) e com as corridas de cavalos e galgos.[1][2][3]

História[editar | editar código-fonte]

O ano da entrada da radio emissora no ar é incerto, pois várias fontes apontam em 1948,[2][4] 1950[1] e em 1952.[5] Sabe-se que o macaense Pedro José Lobo criou e fundou a Rádio Vila Verde, cujos estúdios se localizavam numa propriedade privada dele. Financeiramente, esta estação de rádio dependia exclusivamente do seu único proprietário, o doutor Pedro Lobo, que ali investia mensalmente algumas dezenas de contos.[6]

A Rádio Vilaverde, emitida em cantonense, inglês e português, era muito ouvida em Macau nas décadas de 50 e 60, sendo mais popular do que a oficial Rádio Clube de Macau. Inicialmente, as suas transmissões são feitas na frequência de 1037 kHz, sob a designação CR9XL, e iniciavam às 9h00 da manhã, com uma marcha e obras musicais de autoria de Pedro José Lobo. Durante o dia, dava música chinesa, programas e anúncios publicitários em cantonense, com um intervalo apenas de meia hora às 14hs para música inglesa. Das 21hs até à meia-noite, transmitia-se programas nas línguas portuguesa e inglesa. Dava mais música inglesa do que portuguesa.[2]

Durante o seu apogeu, a Rádio Vila Verde tinha dois canais: um a emitir na frequência de 1005 kHz, sob a designação CR9XL, programas em chinês das 7hs às 21hs e programas em português e inglês das 21h00 às 22h00; e outro a emitir na frequência de 1200 kHz, sob a designação CR9XM, programas em português e inglês das 13hs às 14h30min e das 20hs à meia-noite. As suas emissões eram até captadas em Hong Kong (na época, administrada pelo Reino Unido, mas perderam importância e ouvintes quando foi fundada a Commercial Radio Hong Kong (CRHK), em 1959.[2]

Em 1965, após a morte de Pedro José Lobo, que era a alma e força motora deste projeto, a Rádio Vilaverde passou a transmitir somente em cantonense. Anos mais tarde, ela tornou-se numa estação de rádio puramente comercial, transmitindo diariamente das 6hs da manhã à meia-noite, num total de dezoito horas de emissão, na frequência de 738 kHz, que ela ainda hoje continua a usar. Esta estação de rádio também pertenceu a João Jaques F. Álvares, um radioamador que detinha o código CR9AH.[3] Na década de 80, a Rádio Macau conseguiu impor-se, substituindo a já decadente Rádio Vila Verde.[2]

Devido à baixa audiência e a outros problemas, as emissões da Rádio Vila Verde foram suspensas em 1994. Depois de ser adquirida pela Sociedade de Turismo e Diversões de Macau, controlada por Stanley Ho, a Rádio Vilaverde retomou as suas emissões em cantonense no dia 22 de março de 2000[1][4] ou em 2002.[5]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências

  1. a b c d «Breve apresentação da Rádio Vilaverde» (em chinês). Rádio Vila Verde. Consultado em 27 de abril de 2017 
  2. a b c d e Botas, João (26 de novembro de 2010). «Rádio Vila Verde e outras rádios...». Macau Antigo 
  3. a b Botas, João (3 de abril de 2009). «Rádio e Televisão em Macau». Macau Antigo 
  4. a b «Março de 2000». Jornal Tribuna de Macau. Consultado em 27 de abril de 2017 
  5. a b «A Rádio em Macau». Museu das Comunicações. Consultado em 27 de abril de 2017 
  6. Rangel, Jorge Alberto da Conceição Hagedorn (15 de setembro de 2008). «Rádio, artes e tertúlias culturais na década de 50». Jornal Tribuna de Macau 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

  • «Anuário Industrial e Comercial de Macau». Macau: Direção dos Serviços de Turismo e Comunicação Social. Jornal de Macau. CQN-Macau (em chinês). 1952–1960 
  • Zhiliang, Wu; Yunzhong, Yang, eds. (2005). Enciclopédia de Macau: Edição revista e aumentada (em chinês). Macau: Fundação Macau. ISBN 99937-1-032-6. Resumo divulgativoGoogle Livros 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre Rádio é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.