R-73

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
R-73
AA-11 Archer
R-73 NTW - 94.jpg
R-73 de um MiG-29 da Força Aérea Húngara no Show Aéreo de Kecskemét em 2008.
Tipo míssil ar-ar de curto alcance
Local de origem  União Soviética
História operacional
Em serviço 1984-present
Histórico de produção
Fabricante Vympel NPO (original), Tbilisi Aircraft Manufacturing (atual)
Especificações
Peso 105 quilogramas (230 lb)
Comprimento 2,93 metros (9 ft 7 in)
Motor Foguete de combustível sólido
Envergadura 510 milímetros (20 in)
Alcance
Operacional
20 quilômetros (12 mi)
R-73M1: 30 quilômetros (19 mi) [1]

R-74: 40km (24.7 milhas)[2]

Velocidade Mach 2.5
Plataforma de
lançamento

O Vympel R-73 (designação OTAN AA-11 Archer) é um míssil ar-ar desenvolvido pela Vympel NPO, entrando em serviço em 1984. [3]

Desenvolvimento[editar | editar código-fonte]

O R-73 foi desenvolvido para substituir o R-60 (AA-8 'Aphid') para mísseis ar-ar em caças de curto alcance pela União Soviética. O programa começou em 1973, com os primeiros mísseis entrando em serviço em 1984. [4]

O R-73 é um míssil guiado à infravermelho, com um captador de criogenia sensível, possuindo capacidade substancial de visualização, podendo localizar alvos até 40º além da linha central do míssil. [5] O alvo pode ser indicado com uso de um HMS, possibilitando que os pilotos possam designar o alvo ao vê-lo. O alcance mínimo para engajamento é de 300 metros, com o raio aerodinâmico máximo perto de 30 km (19 mi) em altitude. Possui capacidade de ser usado em uma amplitude de aeronaves, como do MiG-29, MiG-31, Su-27, Su-34 e Su-35; e podem ser utilizados nas versões mais atualizadas dos seguintes: MiG-21, MiG-23, Sukhoi Su-24 e Su-25. [6] No caso da Índia, busca por adaptações estão sendo feitas para o HAL Tejas. Possui compatibilidade com helicópteros de matriz russa, incluindo o Mil Mi-24, Mil Mi-28 e Kamov Ka-50/52.

O R-73 é um míssil altamente manobrável. Dogfights realizadas entre a Força Aérea dos Estados Unidos e a Força Aérea Alemã, esta usando Mig-29 provenientes da extinta República Democrática Alemã, com R-73 e localização de alvos pelo HMS, indicaram o alto grau de capacidade de "off-boresight" do míssil, que pode fazer diferença significativa em combate aproximado. Possui sistema mecânico simples, porém efetivo sistema de empuxo vetorial. O R-73 promoveu o desenvolvimento de vários mísseis ar-ar ocidentais, incluindo o ASRAAM, IRIS-T, MICA IR, Python IV e a versão Sidewinder, além do AIM-9X que entrou em operação em 2003.

A partir do ano de 1994, o R-73 foi atualizado para a versão R-73M como padrão, o qual entrou em serviço na Comunidade dos Estados Independentes em 1997. Tal versão possui maior alcance e ângulo de busca de alvos (60º além da linha central), assim como melhor sistema IRCCM (contra medidas de infravermelho). Desenvolvimentos posteriores incluíram o R-74(izdeliye 740), e a variante de exportação RVV-MD. [7]

A variante melhorada do R-74, o K-74M (izdeliye 750) possui sistemas totalmente digitais e reprogramáveis, com foco no uso em aeronaves como o MiG-35, MiG-29K/M/M2, Su-27SM, Su-30MK e Su-35S. A última atualização, conhecida como K-74M2 (izdeliye 760), possui o propósito de uso em aeronaves quinta geração como o Sukhoi PAK FA. Tal variante foi reduzida na seção interna para maior capacidade de armamentos e coincidir com a performance do AIM-9X e ASRAAM. Uma versão chamada K-MD (izdeliye 300) vai substituir o K-74M2 no futuro. [8][9]

Esquema interno do R-73

História operacional[editar | editar código-fonte]

Em 24 de fevereiro de 1996, dois Cessna 337 da organização Brothers to the Rescue foram interceptados por um MiG-29UB da Força Aérea Cubana. Ambas aeronaves foram abatidas por mísseis R-73.[10]

Durante a Guerra Eritreia-Etiópia, entre maio de 1998 e junho de 200, mísseis R-73 foram usados em combate por Su-27 Etíopes e Mig-29 da Eritreia.

Em 18 de março de 2008, um MiG-29 Russo interceptou um Elbit Hermes 450 UAV Georgiano sobre a Abecásia. O Mig-29 utilizou um R-73.

Variantes[editar | editar código-fonte]

  • R-73 - Modelo padrão com ±45° de "off-boresight" (busca além da linha central).
  • R-73M - Modelo melhorado.
  • R-74 (izdeliye 740) - Variante melhorada com ±60° de "off-boresight" (busca além da linha central).
  • RVV-MD - Modelo de exportação do R-74.
  • K-74M (izdeliye 750) - Modelo melhorado com ±75° de "off-boresight" (busca além da linha central).
  • K-74M2 (izdeliye 760) - Última versão desenvolvida para caças quinta geração como o Sukhoi PAK FA.

Operadores[editar | editar código-fonte]

Operadores militares do R-73:
  Operadores
  Ex-operadores

Ex-operadores[editar | editar código-fonte]

Galeria[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. «AA-11 ARCHER R-73» 
  2. «Tactical Missiles Corporation JSC» 
  3. http://fas.org/man/dod-101/sys/missile/row/aa-11.htm
  4. http://fas.org/man/dod-101/sys/missile/row/aa-11.htm
  5. Reed Business Information Limited. «Vympel reveals previously classified air-to-air missiles» 
  6. http://www.uuaz.ru/production/su25ub/su25ub_wpn_e.html
  7. Barrie, Douglas and Pyadushkin, Maxim. "R-77, R-73 Missile Upgrades Emerge". Aviation Week. 13 August 2009
  8. Butowski, Piotr. Russia and CIS Observer. 17 June 2007.
  9. "Vympel plans to develop air-to-air missiles for Russia's PAK FA fighter". Jane's Missiles and Rockets. 19 May 2006
  10. http://www1.umn.edu/humanrts/cases/86-99.html
  11. «Weapon». Consultado em 23 de dezembro de 2014 
  12. «Bangladesh Military Forces - BDMilitary.com». Bangladesh Military Forces - BDMilitary.com. Consultado em 23 de dezembro de 2014 

Bibliografia[editar | editar código-fonte]

Gordon, Yefim (2004). Soviet/Russian Aircraft Weapons Since World War Two. Hinckley, England: Midland Publishing. ISBN 1-85780-188-1.