RIM-2 Terrier

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Terrier a bordo do USS Boston

O Convair RIM-2 Terrier foi um míssil superfície-ar (SAM) de médio alcance com dois estágio. Estava dentre os primeiros mísseis superfície-ar a equipar a Marinha dos Estados Unidos em seus navios. Ele passou por melhorias significativas durante o seu serviço, começando com um alcance de 19 km e velocidade Mach 1.8, terminando com um alcance de 74 km e velocidades tão altas quanto Mach 3. Ele foi substituído em serviço pelo RIM-67 Standard ER (SM-1ER).

O Terrier também foi usado como foguete de sondagem.

História[editar | editar código-fonte]

O Terrier foi um desenvolvimento da Operação Bumblebee, um esforço da Marinha dos EUA para desenvolver mísseis superfície-ar para prover uma camada de defesa intermediária contra ataques aéreos. Ele foi testado do USS Mississippi em 28 de janeiro de 1953 e foi implantado operacionalmente na Classe Boston de cruzadores, nos navios Boston e Canberra, com o Canberra sendo o primeiro a atingir status operacional em 15 de junho de 1956. Sua designação na Marinha dos EUA foi SAM-N-7 até que foi re-designado RIM-2.

originalmente, o Terrier tinha um empuxo de lançamento de 23 kN e pesava 1 392 kg. Suas dimensões originais eram diâmetro de 34 cm, comprimento de 8,08 m e tinha uma envergadura nos estabilizadores de 1,59 m. O custo por míssil em 1957 era estimado em US$ 60.000 (valores da época, sem ajuste da inflação para valores atuais).[1]

Antes de entrar em serviço difundido, foram feitas melhorias. O RIM-2C, nomeado como Terrier BT-3 (Beam-riding, Tail control, series 3) foi introduzido em 1958. O RIM-2D Terrier BT-3A(N) entrou em serviço em 1962 com uma ogiva nuclear W30 com poder de 1 kt (quiloton),[2] mas todos os outros variantes usavam uma ogiva de fragmentação controlado com massa de 99 kg.

O míssil Masurca usado pela Marinha da França foi desenvolvido com algumas tecnologias do Terrier.

O Terrier foi substituído pelo míssil RIM-67 Standart de maior alcance, ele oferecia o alcance do RIM-8 Talos (que era um míssil muito maior) em um míssil do tamanho do Terrier.

Serviço em combate[editar | editar código-fonte]

Em 19 de abril de 1972, um míssil terrier disparado pelo USS Sterett abateu um MiG-17F da Força Aérea Norte Vietnamita na Batalha de Dong Hoi.[3]

Versões do Terrier[editar | editar código-fonte]

  • RIM-21
  • RIM-2B
  • RIM-2C
  • RIM-2D
  • RIM-2E
  • RIM-2F

Operadores[editar | editar código-fonte]

 Marinha Italiana
 Marinha Real Neerlandesa
 Marinha dos Estados Unidos

Galeria[editar | editar código-fonte]

Ver também[editar | editar código-fonte]

Referências[editar | editar código-fonte]

  1. "Shell Cost Soars" Popular Mechanics, July 1957, p. 115.
  2. Polmar, Norman (1983). «Tactical Nuclear Weapons». United States Naval Institute. Proceedings. 109 (7): 125 
  3. Tempest, Mark. «US Navy vs. Cruise Missiles? - the Battle off Dong Hoi». EagleSpeak. Consultado em 29 de fevereiro de 2016 

Links externos[editar | editar código-fonte]

O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre RIM-2 Terrier
Ícone de esboço Este artigo sobre mísseis é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.