Rede Mineira de Viação

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de RMV)
Ir para: navegação, pesquisa
Rede Mineira de Viação
Área de operação Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo
Tempo de operação 1931–1965
Antecessora Estrada de Ferro Oeste de Minas
Rede Sul Mineira
Sucessora Rede Ferroviária Federal (Viação Férrea Centro-Oeste)
Bitola 1,00m; 0,762m
Interconexão Ferroviária Estrada de Ferro Central do Brasil
Estrada de Ferro Goiás
Companhia Mogiana de Estradas de Ferro
Estrada de Ferro Vitória a Minas
Portos Atendidos Angra dos Reis
Sede Belo Horizonte, MG

Rede Mineira de Viação (1931-1965) foi uma ferrovia do Brasil.

Já em 1906 Lauro Muller, então Ministro de Viação e Obras Públicas do governo Rodrigues Alves, assinou, no dia 30 de outubro, o decreto nº. 6.201 que dava bases para a constituição de uma rede de viação férrea sul-oeste de Minas, que propunha o arrendamento das ferrovias do sul do estado mais a Estrada de Ferro Oeste de Minas. O decreto não surtiu efeito da maneira como foi proposto, porém, em 1910, era criada a Rede de Viação Sul Mineira, que consolidava, como uma única companhia, as três estradas do sul, sendo elas a Estrada de Ferro Minas e Rio (The Minas and Rio Railway Company), a Estrada de Ferro Muzambinho e a Viação Férrea Sapucaí, tornando-as uma malha única (a Minas e Rio já pertencia à União Federal na ocasião) arrendada à iniciativa privada em 1910 e ao Estado de Minas Gerais em 1922.

Ferrovias formadoras[editar | editar código-fonte]

Criação da RMV[editar | editar código-fonte]

A Estrada de Ferro Oeste de Minas era administrada pela União desde 1902 e foi arrendada ao Estado de Minas Gerais no dia 24 de janeiro de 1931, quando:

foi, pelo Governo Federal, lavrado o contrato com o Governo de Minas Gerais, para o arrendamento da Estrada de Ferro Oeste de Minas. Por esse contrato, ficou resolvido que a Oeste seria, como está sendo, explorada técnica e financeiramente em comum com a Estrada de Ferro Paracatu e a Rede de Viação Sul Mineira, sob a denominação de Rede Mineira de Viação”.

Durante os primeiros anos, a Rede Mineira ficou dividida em duas estradas de ferro. A Oeste de Minas continuou sendo Estrada de Ferro Oeste de Minas – RMV Oeste, e a Rede Sul Mineira passou a ser denominada Estrada de Ferro Sul de Minas – RMV Sul. Mas de acordo com fotografias de época podemos afirmar que o sistema foi unificado por volta do fim da década de 1930 ou início da década de 1940.

Nessa época, as ferrovias da América do Norte e as principais do Brasil, onde o maior exemplo era a Central do Brasil, estavam trocando as locomotivas a vapor pelas diesel-elétricas. Um esforço de modernização da frota que demonstra a importância desse meio de transporte nessas localidades e, mais do que isso, o investimento executado nessas ferrovias maiores de domínio federal como a Central do Brasil e a Santos-Jundiaí. Enquanto isso, as estradas arrendadas aos estados sofriam uma degradação enorme em comparação às que continuavam sob o domínio federal. Dois exemplos são a Estrada de Ferro Goiás e a RMV, cada uma arrendada ao seu respectivo estado. Enquanto a Central ia se desfazendo das locomotivas a vapor substituindo-as pelas diesel-elétricas, as duas citadas iam se mantendo com as suas “marias-fumaça”.

Incorporadas[editar | editar código-fonte]

Estas três ferrovias pertencentes ao Estado de Minas Gerais foram incorporadas em 1938 à Rede Mineira de Viação.

Devolução à União[editar | editar código-fonte]

Em 1950 Juscelino Kubitschek é eleito governador de Minas Gerais, iniciando seu mandato no ano seguinte. Segundo Maria Elisabete Gontijo dos Santos,

A questão do transporte, na perspectiva juscelinista, estava praticamente limitada à construção de rodovias. A base do transporte do Estado, até então, era realizada pela Rede Mineira de Viação (RMV), que, apesar dos 3.900km de extensão e dos 3,5 milhões de passageiros transportados em 1952, era altamente deficitária. O governo estadual não tinha interesse em mantê-la, apesar de algumas iniciativas para a modernização da ferrovia. JK, antes mesmo de tomar posse no governo, fechara, em acordo com Getúlio Vargas, a devolução da RMV à União, o que foi concretizado em agosto de 1953”.

Depois de passados cinco anos da devolução à União, da RMV, é criada a Rede Ferroviária Federal S. A., já no governo federal do mesmo Juscelino Kubitschek.

Linhas e Ramais[editar | editar código-fonte]

Linha Origem Destino Extensão (km) Observações
Linha Troco Angra dos Reis (RJ) Goiandira (GO) ?

Ver também[editar | editar código-fonte]

Ícone de esboço Este artigo sobre transporte ferroviário é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.