Raça mediterrânea

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Ir para: navegação, pesquisa
Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a inconsistências e/ou dados de confiabilidade duvidosa (desde outubro de 2011). Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a consistência e o rigor deste artigo.
NoFonti.svg
Esta página ou secção cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2015). Por favor, adicione mais referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Material sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

A raça mediterrânea é uma das sub-raças em que a raça caucasiana era categorizada por grande parte dos antropólogos de finais do século XIX até meados do século XX.[1]

As principais características da raça mediterrânea eram descritas como: cabelos castanho a castanho escuro , olhos castanhos, pele clara, ou oliva, cabelos ondulados, estatura baixa a média e com musculatura braçal e peitoral aparente a partir da adolescência, entre outras características. Os povos: Italianos centro-meridionais, Portugueses, Espanhóis, Gregos, Franceses do sul, Romenos e Bascos.[2]

A raça mediterrânea foi dividida em vários subtipos por diferentes autores, como os "atlanto-mediterrâneos", predominantes na costa atlântica da Península Ibérica e que se caracterizam pelo grande porte e estatura alta, que não é presente nos mediterrâneos comuns, provavelmente devido a miscigenação com a raça nórdica.

Referências

  1. Karim Murji, John Solomos. Racialization: Studies In Theory And Practice. [S.l.]: Oxford University Press, 2005. p. 215. ISBN 0199257035
  2. Deniker, J., The Races of Man, Ilustração
Ícone de esboço Este artigo sobre antropologia ou um antropólogo é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.