Rael

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
(Redirecionado de Rael da Rima)
Rael
Informação geral
Nome completo Israel Feliciano
Também conhecido(a) como Rael da Rima
Nascimento 1 de outubro de 1983 (38 anos)
Local de nascimento São Paulo, SP
Brasil
Nacionalidade brasileiro
Gênero(s) Rap alternativo, hip-hop, rap, R&B, samba-rap, samba rock, MPB, reggae, samba [1]
Ocupação(ões)
Instrumento(s) Vocal, violão
Período em atividade 1999 – presente
Gravadora(s) Time do Loko, Tratore, Laboratório Fantasma
Afiliação(ões) Pentágono, Emicida, Slim Rimografia, Kamau, MC Rashid, Criolo
Página oficial raeloficial.com

Israel Feliciano (São Paulo, 1 de outubro de 1983), mais conhecido pelo seu nome artístico Rael, é um cantor, compositor e rapper brasileiro.[2] Em meados de 2000, formou seu primeiro grupo de rap, chamado Can KND. O coletivo se dissolveu em pouco tempo, mas foi o passo inicial para que nascesse, um ano depois, o Pentágono, do qual ele fez parte por mais de 15 anos do grupo paulistano gravando quatro discos autorais e em 2012, anunciou oficialmente sua saída para dedicar-se exclusivamente a sua carreira solo. Em 2016 ele retornou ao grupo novamente, e estão trabalhando em um novo álbum de estreia do Pentágono.

Carreira[editar | editar código-fonte]

Rael começou a sua carreira musical aos 16 anos de idade. Pouco tempo depois formou um grupo junto com outros quatro integrantes o grupo Pentágono, que lançou dois discos. Em 2005, fez uma participação no documentário norte-americano Global Lives com a canção "Vejo Depois". Dois anos depois, foi incluído no grupo de artistas que participou da primeira edição do tradicional Som Brasil, da Rede Globo, em homenagem à Vinícius de Moraes. Ele fez releituras de suas canções junto a rappers como MC Rashid, Criolo e Terra Preta. O rapper já fez participações em músicas com artistas como Emicida, Kamau, Slim Rimografia, Don L e MC Rashid.

Além do programa Som Brasil, Rael esteve presente na série Antônia, da mesma emissora. Em 2010, Rael lançou seu primeiro single solo, intitulado "Trabalhador". Pouco tempo depois, veio o primeiro disco, intitulado MP3 - Música Popular do 3° Mundo.[3] Para lançamento deste CD, o rapper acertou uma parceria com a gravadora Tratore. Em 2011 fez participações no disco do Emicida intitulado Doozicabraba e a Revolução Silenciosa. Em 2013, retira o codinome "Da Rima", mantendo apenas Rael, lançando em março deste ano o esperado disco Ainda Bem Que Eu Segui As Batidas Do Meu Coração, com produção da dupla norte-americana Beatnick & K-Salaam, que trabalham com Lauryn Hill e também assinaram "Doozicabraba e a Revolução Silenciosa", de Emicida.[4]

Em 2016, lançou o disco "Coisas do Meu Imaginário" com participações especiais de Daniel Yorubá, Black Alien e Chico César. O emblemático clipe de "Minha Lei", liberado junto com o álbum, teve participação de Mano Brown, MC Rashid, Criolo, Emicida, Projota, Rashid, DJ Marco, DJ Nyack, DJ Dan Dan, DJ Will, DJ Soares, DJ Kiko, Daniel Ganjaman, Rappin' Hood[5] e outros grandes nomes do rap no Brasil.[6]

Em 2017, uma canção de Emicida da qual participou, "A Chapa É Quente!", foi indicada ao Grammy Latino de 2017 de Melhor Canção Urbana.[7]

Seu álbum Cabim-Cidreira foi eleito um dos 25 melhores álbuns brasileiros do segundo semestre de 2019 pela Associação Paulista de Críticos de Arte.[8]

Discografia[editar | editar código-fonte]

Álbuns de estúdio[editar | editar código-fonte]

Com Pentágono[editar | editar código-fonte]

Ano Título
2005 Microfonicamente Dizendo
2008 Natural
2009 Ep
2012 Manhã (álbum)

Carreira solo[editar | editar código-fonte]

Ano Título
2010 MP3 - Música Popular do 3° Mundo
2013 Ainda Bem Que Eu Segui As Batidas Do Meu Coração
2014 Ep (álbum)
2014 Diversoficando
2016 Coisas do Meu Imaginário

Referências

  1. Vivian Whiteman (ed.). «Rael da Rima ganha espaço no rap com mistura de reggae e samba». Folha de S.Paulo. Consultado em 12 de fevereiro de 2017 
  2. Rafael Gregório (ed.). «Cada vez mais MPB, rapper Rael da Rima se apresenta em SP». UOL. Consultado em 12 de fevereiro de 2017 
  3. «Rael da Rima faz show de CD solo nesta terça-feira». R7.com. Consultado em 24 de agosto de 2010 
  4. «Ex "da Rima", Rael lança disco com mistura de estilos». Folha de S.Paulo. Consultado em 12 de fevereiro de 2017 
  5. «Rael da Rima e Rappin' Hood homenageiam o Corinthians; assista». Folha de S.Paulo. Consultado em 24 de agosto de 2010 
  6. Pedro Alexandre Sanches (ed.). «Rael: "A minha autoestima me defende"». Revista Fórum. Consultado em 12 de fevereiro de 2017 
  7. Ceccarini, Viola Manuela (20 de novembro de 2017). «The 18th Latin GRAMMY Awards in Las Vegas». Livein Style. Consultado em 28 de dezembro de 2017 
  8. Antunes, Pedro (7 de dezembro de 2019). «Os 25 melhores discos brasileiros do 2º semestre de 2019, segundo a APCA [LISTA]». Rolling Stone Brasil. Grupo Perfil. Consultado em 2 de janeiro de 2021 

Ligações externas[editar | editar código-fonte]

Wikiquote
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Rael
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Rael
Ícone de esboço Este artigo sobre um cantor é um esboço relacionado ao Projeto Música. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.