Rafael Godeiro

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Município de Rafael Godeiro
"Várzea da Caatinga"
Rafael Godeiro visto da Serra do Lima, em Patu. Em destaque a Serra Redonda.

Rafael Godeiro visto da Serra do Lima, em Patu. Em destaque a Serra Redonda.
Bandeira de Rafael Godeiro
Brasão de Rafael Godeiro
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 19 de dezembro
Fundação 1964
Gentílico rafaelense
Padroeiro(a) Santo Antônio dos Pobres
Prefeito(a) Ludmila Carlos Amorim de Araujo Rosado (PSB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Rafael Godeiro
Localização de Rafael Godeiro no Rio Grande do Norte
Rafael Godeiro está localizado em: Brasil
Rafael Godeiro
Localização de Rafael Godeiro no Brasil
06° 04' 33" S 37° 43' 01" O06° 04' 33" S 37° 43' 01" O
Unidade federativa Rio Grande do Norte
Região intermediária

Mossoró IBGE/2017[1]

Região imediata

Pau dos Ferros IBGE/2017[1]

Municípios limítrofes Patu, Olho-d'Água do Borges, Almino Afonso, Lucrécia e Umarizal.
Distância até a capital 342 km
Características geográficas
Área 100,073 km² [2]
População 3 070 hab. IBGE/2010[3]
Densidade 30,68 hab./km²
Altitude 31,32 m
Clima Não disponível
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,654 (RN: 14°) – médio PNUD/2010[4]
PIB R$ 14 969,862 mil IBGE/2008[5]
PIB per capita R$ 4 640,38 IBGE/2008[5]

Rafael Godeiro é um município brasileiro no interior do estado do Rio Grande do NorteRegião Nordeste do país, distante 342 km da capital do estado, Natal. A população do município no censo de 2010 era de 3224 habitantes, distribuídos em uma área de aproximadamente 78 km², resultando em uma densidade demográfica de 32,22 hab./km².

Formação administrativa[editar | editar código-fonte]

  • Elevado à categoria de município com a denominação de Várzea da Caatinga pela lei estadual nº 3001, de19-12-1963, desmembrado de Almino Afonso. Sede no atual distrito de Várzea da Caatinga ex-localidade. Constituído do distrito sede. Instalado em 15 de abril de 1964.
  • Em divisão territorial datada de 31-XII-1963, o município é constituído do distrito sede.
  • Pela lei estadual nº 3625, de 3 de junho de 1968, o município de Várzea da Caatinga passou a denominar-se Rafael Godeiro.
  • Em divisão territorial datada de 1 de janeiro de 1979, o município é constituído do distrito sede.
  • Assim permanecendo em divisão territorial datada de 2007.
  • Alteração toponímica municipal “Várzea da Caatinga” para “Rafael Godeiro”. Alterado pela lei estadual nº 3625, de 3 de junho de 1968.

História[editar | editar código-fonte]

Foi no início do século XX, numa propriedade rural localizada na Várzea de Santo Antônio que teve início uma pequena povoação às margens do riacho Caatinga, Região Oeste do Estado, e recebeu o nome de Várzea da Caatinga. Em 1925 a localidade já apresentava sinais de crescimento, e em 1935 a comunidade ganhava sua primeira escola.

Em 19 de dezembro de 1963, através da Lei nº 3.001, o povoado conseguiu sua emancipação política, desmembrou-se de Almino Afonso e tornou-se município com o nome de Rafael Godeiro, numa homenagem póstuma ao líder político da região, homem de destaque em todo o Estado.

A origem do nome várzea da caatinga[editar | editar código-fonte]

O topônimo “Várzea da Caatinga” tem origem popular e foi inspirado nos próprios aspectos físicos locais, isto é, análogos a forma de relevo na qual a comunidade está situada e nas espécies de plantas nativas presentes no local. Várzea pelo fato do povoado ter surgido sobre um terreno de depressão, por onde margeia um riacho. Ao mesmo tempo,foi-se adicionado o termo Caatinga por se tratar de uma área com predominância de plantas típicas do clima homônimo. A denominação de Várzea da Caatinga permaneceu como nome de identificação da comunidade até o ano de 1967. Quando a comunidade tornou-se município passou a ser denominado de Rafael Godeiro, em preito ao Sr. Rafael Godeiro - Prefeito da cidade de Patu na época -, o qual contribuiu com a criação do Distrito.

As famílias de origem da comunidade[editar | editar código-fonte]

As famílias de origem do município são: a família Paiva, a família Lopes e a família Paulo, a família Cortez e a família Elias.

A família Cortez descende do Sr. Nicolau Cortez (Itália), que chegou ainda jovem, por volta do século XIX, na comunidade de Maniçoba, tendo constituído famílias.

A família Elias, descende do Sr. João Elias (Amazonas), ocupou inicialmente o território de Martins, e posteriormente mudou-se para a comunidade de Várzea da Caatinga, também por volta do século XIX, constituindo famílias.

Logo, os habitantes do município descendem,sobretudo, do entrecruzamento dessas entre outras famílias.

Geografia[editar | editar código-fonte]

Rafael Godeiro está distante 342 km de Natal, capital estadual, e 1 552 km de Brasília, capital federal. Ocupa uma área de 100,073 km², e se limita com os municípios de Olho d’água do Borges, ao norte; Almino Afonso, a sul e a Patu ao leste.

GEOGRAFIA RAFAEL GODEIRO

Coordenadas geográficas Rafael Godeiro Latitude: -6.07711, Longitude: -37.716

6° 4′ 38″ Sul, 37° 42′ 58″ Oeste

Superfície Rafael Godeiro 10.007 hectares

100,07 km² (38,64 sq mi)

Altitude Rafael Godeiro 188 m

Relevo[editar | editar código-fonte]

Sua superfície compreende a depressão sertaneja, apresentando terrenos com irregularidades, e altitudes médias, equivalente a 200 m, cercado por morros, montes, várzeas, riachos, lagos, e com presença de solos rasos, pobres, pedregosos e ressequidos, que dificulta a prática da agricultura e pecuária de subsistência, sendo também marcado pelo clima tropical semiárido, característico do sertão nordestino, com precipitações pluviométricas anuais inferiores a 800 mm e temperaturas elevadas, acima de 28º Celcius.

Vegetação[editar | editar código-fonte]

A vegetação predominante nesse meio é a Caatinga, típica do sertão nordestino, com plantas xerófilas, características de climas secos e desflolhadas durante a estiagem.

Distâncias até as principais metrópoles[editar | editar código-fonte]

DISTÂNCIA RAFAEL GODEIRO

São Paulo 2167 km Rio de Janeiro 1964 km Salvador 772 km
Brasília 1552 km Fortaleza 278 km mais próxima Belo Horizonte 1672 km
Manaus 2497 km Curitiba 2481 km Recife 383 km
Porto Alegre 3019 km Belém 1304 km Goiânia 1724 km

Clima[editar | editar código-fonte]

Rafael Godeiro tem um clima tropical. Há muito mais pluviosidade no verão que no inverno. A classificação do clima é Aw segundo a Köppen e Geiger. 26.5 °C é a temperatura média em Rafael Godeiro. 868 mm é a pluviosidade média anual.

TABELA CLIMÁTICA RAFAEL GODEIRO

  Janeiro Fevereiro Março Abril Maio Junho Julho Agosto Setembro Outubro Novembro Dezembro
Temperatura média (°C) 27.5 27.1 26.7 26.4 25.8 25.2 25.3 25.5 26.4 27.1 27.5 27.7
Temperatura mínima (°C) 22.3 22.3 22.2 22.1 21.5 20.5 20.3 19.9 20.6 21.2 21.8 22.2
Temperatura máxima (°C) 32.8 32 31.2 30.7 30.2 30 30.3 31.2 32.3 33.1 33.2 33.2
Temperatura média (°F) 81.5 80.8 80.1 79.5 78.4 77.4 77.5 77.9 79.5 80.8 81.5 81.9
Temperatura mínima (°F) 72.1 72.1 72.0 71.8 70.7 68.9 68.5 67.8 69.1 70.2 71.2 72.0
Temperatura máxima (°F) 91.0 89.6 88.2 87.3 86.4 86.0 86.5 88.2 90.1 91.6 91.8 91.8
Chuva (mm) 66 122 224 220 99 52 32 7 4 9 7 26

Se compararmos o mês mais seco com o mês mais chuvoso verificamos que existe uma diferença de precipitação de 220 mm. As temperaturas médias têm uma variação de 2.5 °C durante o ano.

Fonte: pt.climate-data.org

Religião[editar | editar código-fonte]

Formação da comunidade católica[editar | editar código-fonte]

De acordo com o sítio eletrônico da Paróquia de Almino Afonso,[6] a comunidade católica do atual município de Rafael Godeiro, foi formada, por volta de 1892, a partir da criação de um grupo de veneração à Santo Antônio dos Pobres, no sítio Várzea da Caatinga, cuja presidência coube à Joana Alexandrina da Silva, até 1923, quando ocorreu o seu falecimento. Então, o Sr. Antonio Tomaz de Paiva e a Sr. Raimunda Mercês da Silva, deram continuidade a missão de propagar a devoção a Santo Antônio. Com o falecimento de Raimunda Mercês, sua irmã Francisca Maria da Conceição uniu-se aos demais membros do grupo e lançaram o sonho de construir uma capela no referido sítio. Por volta do ano de 1925, a comunidade já apresentava  sinais de crescimento.

Entre 1930/1941, os habitantes do lugar e adjacências se empenharam na elaboração do projeto de construção da Capela, cujo plano foi entregue ao Pe. Humberto, coadjutor da Paróquia de Patu / RN.

Por volta de 1941, foi empreendida uma grande campanha em prol da construção da capela, em que naquela ocasião foi celebrada uma missão e em seguida foi realizada uma coleta cujo rendimento foi suficiente para comprar tijolos e telhas para a construção.

É indubitável salientar que as missas chegaram a ser celebradas por um certo período, sobre barracas cobertas com palhas de coqueiros, sendo que uma das maiores barracas localizava-se em frente da casa do Sr. Francisco Raimundo, e a outra ao centro, nas proximidades da atual praça da Igreja.

Em 1947, José Paulo de Oliveira fez a doação do terreno que constitui o patrimônio de Santo Antônio. A doação ocorreu pelo fato do Sr. José Paulo não ter herdeiro, e por isso o governo poderia se apossar do bem. Naquela ocasião, ele foi abençoado pelo Bispo Diocesano, Dom João Costa.

Por volta de 1948, o vigário de Patu, Pe. Agostinho Bohlen, celebrava missas no dia 13 de outubro. No ano seguinte (1949), iniciava-se as celebrações das trezenas de Santo Antonio, encerrando-se com uma missa no dia 13 de Junho. Após essa celebração litúrgica, houve uma festa e um leilão em benefício da construção da igreja.

Em 1950 foi celebrada a primeira missa do Natal no mercado público.

Em 23 de fevereiro de 1951 foi celebrada a primeira missa no templo recém construído, celebrada pelo Reverendíssimo Pe. Agostinho Bohlen.

Tendo Inaugurado a igreja, a comunidade passou a contar com Celebração Eucarística; a Celebração da Palavra; as novenas do mês mariano, em maio; as Trezenas de Santo Antonio, no mês de junho; catequese e demais encontros.

Outras Igrejas Cristãs[editar | editar código-fonte]

O município conta atualmente com outras manifestações religiosas como: Assembleia de Deus; Igreja de Cristo e Casa de Oração para todos os povos.

Referências

  1. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 29 de março de 2019 
  2. IBGE (10 out. 2002). «Área territorial oficial». Resolução da Presidência do IBGE de n° 5 (R.PR-5/02). Consultado em 5 dez. 2010 
  3. «Censo Populacional 2010». Censo Populacional 2010. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 29 de novembro de 2010. Consultado em 11 de dezembro de 2010 
  4. «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Atlas do Desenvolvimento Humano. Programa das Nações Unidas para o Desenolvimento (PNUD). 2010. Consultado em 6 de agosto de 2013 
  5. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2004-2008». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 11 dez. 2010 
  6. [www.paroquiadealminoafonso.com/p/rafael-godeiro.html «Capela de Santo Antônio - Rafael Godeiro»] Verifique valor |url= (ajuda). Consultado em 24 de junho de 2019 
Ícone de esboço Este artigo sobre municípios do estado do Rio Grande do Norte é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.