Rafael Manzano Martos

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre.
Saltar para a navegação Saltar para a pesquisa
Rafael Manzano Martos
Nascimento 6 de novembro de 1936
Cádiz, Flag of Spain.svg Espanha
Nacionalidade Espanhol
Prêmios Cavaleiro Comandante da Ordem Civil de Alfonso X, o Sábio, 1967
Medalha de Ouro de Mérito nas Belas Artes, 1972
Prémio Shiller, 1980
Medalha de Prata de Osuna, 2001
Prémio Richard H. Driehaus de Arquitectura Clássica, 2010

Rafael Manzano Martos (nascido em Cádis, Espanha, em 6 de novembro de 1936) é um arquiteto espanhol. Foi educado na Escola Superior Técnica de Arquitectura de Madrid. Manzano é um representante do Novo Urbanismo e da Nova Arquitectura Clássica.

Há um prémio de arquitectura com o seu nome, o Prêmio Rafael Manzano de Nova Arquitectura Tradicional[1]

Educação[editar | editar código-fonte]

Rafael Manzano Martos formou-se na Escola Técnica de Arquitectura de Madrid em 1961 e obteve o doutoramento em 1963 no ramo de estudos históricos e nas teorias e técnicas de restauração de monumentos. Foi também colaborador da Escola de Estudos Árabes de Madrid de 1956 a 1963, onde cultivou o seu interesse pela história e arqueologia islâmica.[2]

Trabalhos e projetos selecionados[editar | editar código-fonte]

Em todas as suas obras, ele tem expressado sua fidelidade à linguagem clássica e à integração de seu trabalho no meio urbano ou na paisagem rural. Nas suas restaurações de monumentos, evitou qualquer abordagem agressiva aos edifícios do passado, respeitando a arquitectura transmitida e complementando-a com uma arquitectura simples mas académica que se integra no monumento sem qualquer agressão visual ou transformando-a num pretexto para criar uma obra contemporânea de qualidade questionável.

Entre os monumentos que Rafael Manzano restaurou e desenhos encontram-se:

  • Praças e Sé, em Castelló d'Empúries, Girona.
  • Praça e Sé, em Tarragona.
  • Fortaleza da Sé Velha de Lérida
  • Igreja de Maria Madalena, em Taraçona.
  • Castelo de Alcañiz, em Teruel.
  • Igreja de São Miguel, em Cuenca.
  • Completa reconstrução exterior e novos interiores para a Real Academia de Farmácia, em Madrid.
  • Reconstrução do claustro, torre, sala capitular, escadaria e outras partes do Mosteiro "Sobrado de los Monjes", na Corunha.
  • Reconstrução total do antigo Palácio dos Duques de Medina Sidonia, em Córdoba.
  • Alcazaba de Málaga (Restaurações e anastilose das casas próximas).
  • Igreja de São Dionísio com reconstrução do seu telhado perdido e descoberta da sua alvenaria gótico-mudejar em Jerez de la Frontera, Cádiz.
  • "Palacio de las Dueñas", "Casa del Rey Moro" e outros edifícios importantes em Sevilha.
  • Consolidação das ruínas de Itálica em Santiponce, e construção do seu museu monográfico.
  • Restauração total da Igreja de São Jorge em Palos de la Frontera e organização dos seus arredores.
  • Designer, juntamente com o arquitecto Fernando Chueca Goitia, de três grandes projectos para a ampliação do Museu do Prado.
  • Escavação do terreno da antiga "Casa de Contratación de las Indias", com reconstrução do seu pátio e jardim Almohad e uma nova fachada.
  • Casa particular das Marquesas de la Granja, em Sevilha.
  • Designer, em 1991, da total restauração e decoração do Hotel Rei Alfonso XIII em Sevilha.
  • Palácio residencial para o Faisal Hassan Jawad do Bahrain, nos Emirados Árabes Unidos.
  • Propriedade "Hacienda De La Paz" em Los Angeles, California.
  • Design de uma residência para o toureiro Curro Romero em Coín, Málaga; agora pertencente ao cantor Julio Iglesias.
  • Residência e casa de hóspedes em Cadima, Portugal.

Premios e honras[editar | editar código-fonte]

Manzano é membro de várias instituições académicas espanholas, incluindo a Real Academia de Belas Artes de San Fernando, bem como as Academias Reais de História e Belas Artes de Granada, Córdoba, Cádiz, Málaga, Écija, Toledo e a Corunha, e a Academia de Boas Letras de Sevilha.

Em Espanha recebeu a Medalha de Ouro das Belas Artes (13 de Abril de 1972) e é Cavaleiro Comandante da Ordem Civil de Alfonso X, o Sábio (7 de Novembro de 1967).

Em termos de aclamação internacional, foi galardoado com o Prémio Richard H. Driehaus de Arquitectura Clássica 2010 pela sua carreira.

Em 1980 recebeu o Prêmio Shiller de Restauração e Conservação.

Também recebeu a Medalha de Prata da Cidade de Osuna, em 2001.

Links externos[editar | editar código-fonte]

  • "Premio Rafael Manzano Martos" Accessed 05 June 2015.
  • «Rafael Manzano Martos» (PDF) (em Spanish)